Deus e o “amor de mãe”

Postado em
0

por Stephani Borba (Campina Grande-PB)
*Professora do Centro de Treinamento Bíblico Rhema

“Como alguém a quem sua mãe consola, assim Eu vos consolarei” (Isaías 66.13)

“Acaso, pode uma mulher esquecer-se do filho que ainda mama, de sorte que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas, ainda que esta viesse a se esquecer dele, Eu, todavia, não me esquecerei de ti” (Isaías 49.15)

Que interessantes são esses dois versículos. No primeiro, Deus se comparou a uma mãe. No segundo, querendo mostrar o tamanho do Seu amor e cuidado pela nossa vida, Ele usou uma mãe que gerou e amamenta como o exemplo máximo de amor, para nos dizer, em outras palavras: “Eu vos amo mais!”.

Somente quando me tornei mãe é que pude enxergar de forma mais intensa o quanto Deus me ama e cuida de mim. Eu sempre penso: “se isso que sinto com relação a Estevão é tão forte, intenso, verdadeiro, grande…. imagina o que Deus sente por mim?”. De imediato, eu sou fortalecida e encharcada pelo amor do Senhor. Ele nos ama demais!

Como mãe, estou sempre atenta às necessidades do meu filho e posso garantir que ele está em meus pensamentos o dia todo, não só porque, naturalmente, ainda é muito dependente de mim, mas acima de tudo porque é o meu filho. Não importa o que você esteja passando, sempre se lembre de quem você é: filho de Deus.

Os olhos do Senhor estão sempre atentos à nossa vida, Ele não nos esquece e nem nos abandona em nenhum segundo do dia. Ele é onipresente e onisciente, mas também é onipotente. Como mãe, sei que Estevão vai crescer e não poderei estar sempre com ele. Também queria poder fazer mais pelo meu filho, mas como qualquer outra, tenho as minhas limitações. O nosso Deus, porém, é ilimitado, Ele é o Todo Poderoso e “não há impossíveis em nenhuma das Suas promessas” (Lucas 1.37).

Olho para o meu filho e só quero o melhor para ele. Quero que Estevão esteja sempre bem, feliz e satisfeito. Cuidar dele, preparar a sua comidinha, brincar e estar com ele é tão prazeroso que compensa qualquer sacrifício. A rotina, muitas vezes, é bastante cansativa, mas ver o seu sorriso e a alegria dele em estar comigo supera tudo.

Imagino que com Deus é sempre mais intenso. Às vezes, damos muito trabalho para Ele, não é verdade? Mas, quando O priorizamos e Ele se torna mais importante do que qualquer pessoa ou serviço, desfrutamos da Sua presença, abdicando de outros prazeres, meditando nas Suas promessas, ouvindo palavras de amor para sermos guiados pelo Seu Espírito e refrigerados pela Sua comunhão… Então, certamente, Ele “vê o fruto do Seu penoso trabalho e fica satisfeito” (Isaías 53.11).

Você já ouviu a expressão “é igual a coração de mãe”? Nesse tempo, eu tenho visto cada vez mais o quanto esta é uma verdade, o amor materno é enorme. Porém, o amor de Deus por nós é ainda maior. O mandamento deixado por Jesus foi que, assim como Ele nos amou, devemos nós também amar uns aos outros (João 13.34-35).

Então, vamos amar e cuidar das pessoas, não importa o que façam com você, esteja sempre disposto a perdoar, acolher e ajudar. Que tenhamos um coração igual ao de Deus,  onde “sempre caberá mais um”.

*Fonte: Revista Verbo, edição 51

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA