Difamação: A Infiltrada

Postado em
0
2204

por Raffael Reis
(Graduado da Escola de Ministros Rhema)

É lamentável perceber o quanto relaxamos a respeito de alguns assuntos em nosso meio. Um dos que desejo tratar, hoje, é sobre a difamação.

Há uma nova tendência “rodando” a Igreja, cuja declaração é: “Estou falando isso sobre fulano, mas ele já sabe. Eu digo na frente dele”. Porém, o importante de analisarmos é que a difamação não está ligada à ausência ou presença do indivíduo, mas sim, de acordo com o dicionário da língua portuguesa, quando os defeitos alheios são ressaltados, trazendo descrédito, desonra e, um dos mais fortes, atacar alguém falando mal.

Conversando com um querido amigo, nós ficamos estarrecidos com a quantidade de costumes mundanos que permeiam a Igreja.

Paulo declarou:

“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. (Romanos 12.2 [NVI])

Não imitem o comportamento e os costumes deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma mudança em seu modo de pensar, a fim de que experimentem a boa, agradável e perfeita vontade de Deus para vocês”. (Romanos 12.2 [NVT])

PADRÃO = COMPORTAMENTO E COSTUMES
 
A Palavra de Deus é poderosa, mas é fácil perceber que os seus efeitos não operam em plenitude nos dias de hoje. Façamos a seguinte pergunta: “O que está errado?”. O Senhor Jesus disse que a Fé é a única coisa que precisamos para ver a glória de Deus! No entanto, a santíssima fé só opera pelo amor ou pelo Espírito!
Vejamos os seguintes textos:
 
“Porque, em Cristo Jesus, nem a circuncisão, nem a incircuncisão têm valor algum, mas a fé que atua (opera) pelo amor”. (Gálatas 5.6 [RA])
 
“Ora, o intuito da presente admoestação visa ao amor que procede de coração puro, e de consciência boa, e de fé sem hipocrisia”. (I Timóteo 1.5 [RA])
Quando a Fé está misturada com falsidade (hipocrisia), ela não opera! A forma bíblica para ter uma vida bem sucedida é andar e viver no Espírito, em amor. Fingimento é a ausência da verdade. Porém, isso não quer dizer que ser “sincero” é ser verdadeiro. A verdade que deve estar misturada com a nossa fé é a Palavra de Deus! Andar em amor é totalmente diferente do que o mundo ensina. Difamar é gostoso para o ego, pois ressaltar os defeitos dos outros coloca o difamador num falso pedestal, produzindo superioridade no coração, ou seja, orgulho. A Palavra nos oriente de forma diferente:
 
“Não sejam egoístas, nem tentem impressionar ninguém. Sejam humildes e considerem os outros mais importantes que vocês”. (Filipenses 2.3 [NVT])
 
Como poderíamos considerar alguém mais importante, minando a sua influência com difamação?
 
O espírito crítico é hospedeiro da difamação! Vejamos o que Jesus disse:
 
“Não bombardeiem de críticas as pessoas quando elas cometem um erro, a menos que queiram receber o mesmo tratamento. O espírito crítico é como um bumerangue. É fácil ver uma mancha no rosto do próximo e esquecer-se do feio riso de escárnio no próprio rosto. Vocês têm o cinismo de dizer: ‘Deixe-me limpar o seu rosto’, quando o rosto de vocês está distorcido pelo desprezo? Isso também é teatro, é fazer o jogo do ‘sou mais santo que você’, em vez de simplesmente viver a vida. Tire o cinismo do rosto e, então, você poderá oferecer uma toalha ao seu próximo, para que ele também limpe o rosto”. (Mateus 7.1-5 [A Mensagem])
 
Vejamos os versos 1 e 2 na Versão Amplificada, de Mateus 7:
 
“Não julgue, critique e condene os outros, de modo que você não seja julgado, criticado e condenado. Pois, assim como você julgar, criticar e condenar outros, você será julgado, criticado e condenado, de acordo com a medida que você [costuma] tratar aos outros, isso será tratado de novo para você”.
 
Isso produz temor em você? Palavras que arrepiam! Pois isso não é uma sugestão é um mandamento! Paulo nos ensinou a desenvolvermos nossa salvação com temor e tremor (Fl 2.12). Precisamos levar a Palavra de Deus a sério!
 
Então, alguém pode perguntar: “O que devo fazer para ser salvo da difamação?” A resposta é simples: Ore sem cessar. Paulo disse a Timóteo:
 
“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens”. (I Timóteo 2.1 [RA])
 
Percebe que orar é o oposto de difamar? Enquanto a oração é a favor (para o bem), difamação é para o mal. Oração é uma obra do Espírito e difamação é da carne. Logo, baseado em Gálatas 5.17, não há como estar nos dois ao mesmo tempo. Os espirituais não difamam, pois são impelidos a orar ao identificar uma fraqueza alheia e, quem ora, desenvolve o fruto chamado Amor. Quem ama, espera o melhor das pessoas (I Co 13.7), vendo-as como Deus as vê.
 
Andar no Espírito sempre produzirá vida e vida em abundância! Porém, quem anda na carne, executando suas obras, não demorará muito para colher destruição (Gl 6.8)!
 
Que possamos falar como Jesus: “[…], porque aí vem o príncipe do mundo; e ele nada tem em mim” (João 14.30). Somos Seu Corpo aqui na Terra! É impreterível estarmos limpos de toda impureza para que sejamos reluzentes e impactantes para este mundo!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA