Esperando e confiando em Deus

Postado em
0

por Francisco Santos Júnior (Maceió-AL)
*Graduado do Centro de Treinamento Bíblico Rhema

Nós, muitas vezes, ouvimos que precisamos confiar em Deus, outras vezes ouvimos pessoas dizendo “tô esperando em Deus”, mas em alguns casos temos muitos equívocos acerca de esperar e confiar em Deus. Aqui, vamos aprender e ter as lições da Bíblia de instruções e exemplos de como esperar e confiar no Senhor, nas situações que apresentamos a Ele em oração, e como nos mantermos firmes e constantes neste processo de espera.

O primeiro princípio é o da perseverança, que mantendo uma constância de nossa posição em Deus crendo e confiando para que o Senhor realize o que estamos crendo para obter o que desejamos:

“Portanto, não abandoneis a vossa confiança; pois nela há grandioso galardão. Em verdade vos afirmo que necessitais de perseverança, a fim de que, havendo cumprido a vontade de Deus, alcanceis plenamente o que Ele prometeu” (Hebreus 10.35-36 Vers. KJA).

Um exemplo que ajuda a entender como é esse processo de espera é o de Abraão, que apesar de condições desfavoráveis, ele creu e manteve-se na posição e recebeu a promessa de Deus. Enquanto o que ele estava crendo ainda não se manifestava, mantinha-se firme dando glória a Deus e não entenda como só dizer a expressão glória a Deus, mas de glorificar a Deus porque o que O Senhor prometeu ele vai fazer, e fez:

“Abraão, crendo, esperou contra todos os prognósticos desfavoráveis, tornando-se, assim, pai de muitas nações, como ficou registrado a seu respeito: “Assim será a sua descendência”. Sem desfalecer na fé, reconheceu que seu corpo físico perdera a vitalidade de outrora, pois já contava cerca de cem anos de idade, e que também o ventre de Sara não tinha o vigor do passado. Mesmo considerando tudo isso, não duvidou nem foi incrédulo quanto ao que Deus lhe prometera; mas, pela fé, se fortaleceu, oferecendo glória a Deus, estando absolutamente convicto de que Ele era poderoso para realizar o que havia prometido. Por essa razão, “isso lhe foi atribuído como justiça” (Romanos 4:18-22 Vers KJA).

Outro principio é esperar e descansar em Deus, não de forma literal de esperar como sentado num canto até chegar a nossa vez, é enquanto não chega, continuarmos na nossa vida, fazendo nossos afazeres, mas mantendo-se crendo e confiando em Deus, mantendo-se firmes que nosso Deus está trabalhando por nós.

“Aquieta-te diante do SENHOR e aguarda por Ele com paciência; não te irrites por causa da pessoa que prospera, nem com aqueles que tramam perversidades” (Salmos 37.7 Vers. KJA).

“Em ti, SENHOR, espero: Tu me responderás, ó SENHOR meu Deus!” (Salmos 38.15 Vers. KJA).

Mais um ensinamento que nos ajuda no processo da espera de Deus é a convicção do que estamos pedindo, porque precisamos de fé para pedir. Tiago nos dá exemplo disso com o exemplo da sabedoria pedida a Deus, que temos que pedir com fé e não sermos inconstantes em nossos pedidos, porque essa postura que nos temos não recebermos nada do Senhor.

“Se algum de vós tem falta de sabedoria, roga a Deus, que a todos concede liberalmente, com grande alegria. Todavia, peça-a com fé, sem qualquer sombra de dúvida, pois quem crê com reservas é semelhante à onda do mar, agitada e levada pelos ventos. Não imagine tal pessoa que assim receberá coisa alguma do Senhor, pois é vacilante e inconstante em todos os seus caminhos” (Tiago 1.5-8 Vers. KJA).

Outra lição dos ensinamentos, de espera e confiança em Deus, é nos mantermos em um lugar de crença na nossa oração, porque quando temos essa firmeza no nosso crer em Deus, Ele é atraído pela nossa convicção, para realizar o que estamos crendo nas nossas confissões e de nossas orações, e assim o Senhor vai fazer, mas a questão não é se Deus vai fazer ou não. Ele quer fazer, mas quando ele for fazer o que estamos crendo, Deus nos encontrará em fé, no lugar de crença?

“Então Jesus propôs uma parábola aos seus discípulos, com a intenção de adverti-los quanto ao dever de orar continuamente e jamais desanimar. E lhes contou: “Em certa cidade havia um juiz que não temia a Deus, tampouco era sensível às necessidades das pessoas. E havia, naquela mesma cidade, uma viúva que freqüentemente se dirigia a ele, rogando-lhe: ‘Faze-me justiça na causa que pleiteio contra meu adversário!’. Ele, por algum tempo, não a quis atender; todavia, mais tarde considerou consigo mesmo: ‘É bem verdade que eu não temo a Deus, nem respeito à pessoa alguma; contudo, como esta viúva me importuna, farei justiça a ela, para não acontecer que, por fim, venha a me aborrecer ainda mais’”.

Então, concluiu o Senhor: “Atentai à resposta do juiz da injustiça! Porventura Deus não fará plena justiça aos seus escolhidos, que a Ele clamam de dia e de noite, ainda que lhes pareça demorado em atendê-los? Eu vos asseguro: Ele vos fará sua justiça, e depressa. No entanto, quando o Filho do homem vier, encontrará fé em alguma parte da terra?” (Lucas 18.1-8 Vers. KJA).

Para finalizarmos nosso ensino é o crer que você recebeu o que pediu na oração, porque aquilo que esperamos, já está em nossas mãos no momento em que a gente orou, não quando o que esperamos se materializar, mas quando nós oramos por esse “algo” que queremos, assim nós recebemos o que pedimos.

“E, com toda a certeza eu vos asseguro, que se qualquer pessoa ordenar a este monte: ‘Levanta-te e lança-te no mar, e não houver dúvida em seu coração, mas crer que se realizará o que pede, assim lhe será feito’. Portanto, vos afirmo: Tudo quanto em oração pedirdes, tenhais fé que já o recebestes, e assim vos sucederá” (Marcos 11:23-24 Vers. KJA).

Estejamos firmes sempre, Deus está disposto a manifestar o que estamos crendo e desejando em oração, mas Ele quer de nós um coração forjado pela perseverança e nossa fé solidificada, para assim materializar o que estamos pedindo ou pensando, não desfaleçamos na nossa espera, mas procuremos estar alicerçados em fé para não sermos abalados, ser desfocados por crenças erradas e/ou provocar impedimentos ao agir de Deus em nossa vida, pensem nisso.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA