Fidelidade de Deus

Postado em
0

por Everton Vieira (Belém-PA)
*Pastor da Igreja Verbo da Vida em Marco

Nos dias de hoje ter um claro conhecimento sobre fidelidade já é algo maravilhoso, agora se o meu conhecimento sobre fidelidade vai além do superficial ao ponto de conhecer sobre a fidelidade de Deus, esse conhecimento se torna um porto seguro em minha vida.

Em nossos dias, não existe mais a preocupação de construir algo para durar, até mesmo os móveis, eletrodomésticos e quase tudo que é construído, já sai da fábrica com um “prazo de validade” estabelecido e não existe muita coisa que nós possamos fazer para mudar está realidade. Vivemos em um mundo com essas características e, se não tomarmos cuidado, vamos levar esse mesmo entendimento para nosso relacionamento com o Senhor Jesus. Não tem como comparar o que encontramos nesse mundo com a realidade do reino de Deus. Nesse reino, nós encontramos segurança plena.

Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre

Vivemos num mundo onde a palavra de alguém nem sempre é digna de confiança. Um lugar em que a instabilidade predomina e tudo parece sem solidez. Essa aparente liquidez não é algo recente. A humanidade não tem encontrado a sustentação que tanto procura e que deseja em suas vidas. E se nós colocarmos nossa segurança nesse ambiente incerto, podemos nos decepcionar.

O apóstolo Paulo, falando a Timóteo, diz que ele deveria exortar os ricos do presente século, ensinando-os a não depositarem a sua confiança na instabilidade das riquezas, mas em Deus que tudo nos provê ricamente (I Timóteo 6.17).

As riquezas são inconstantes, o que hoje é amanhã já não é. Como um exemplo a tomar, podemos mencionar as muitas inovações existentes atualmente na área da saúde. Todavia o que hoje pode ser considerado como um tratamento revolucionário, amanhã já estará ultrapassado. O mundo vive sempre nessa constante mudança e, por conta disso, tudo parece ser muito instável. Mas, em Deus, nós não temos essa variação, n’Ele temos segurança. Essa é uma certeza que precisamos ter! Nem Ele nem a Sua palavra mudam. O escritor de Hebreus disse que o mesmo Cristo que foi ontem, é hoje e será assim para sempre.

Tiago diz que em Deus não existe nem sombra, nem variação de mudança. Então, nós temos esse lugar firme, onde nós podemos fundamentar a nossa vida por meio da Sua Palavra. 

“Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína” (Mateus 7.24-27).

Percebemos, assim, que a nossa vida está constantemente sendo edificada. Se eu edificar a minha casa sobre a rocha, significa dizer que eu estou considerando o que a Palavra de Deus diz ao meu respeito.

No tocante à fidelidade, podemos citar o livro de Êxodo, que fala do momento em que o Senhor começa a agir para libertar o povo d’Ele, que estava preso no Egito. Nessa ocasião, muitos anos tinham se passado desde que o povo havia ido para lá, por meio de José. Naquela época, eram apenas 70 pessoas, mas, após 400 anos, o povo tinha se tornado uma numerosa nação. Então, quando Moisés saiu com eles do Egito, só de homens, tinha mais de um milhão.

Em algum momento, nesses anos de cativeiro, o povo provavelmente pensou que não tinha outro futuro, a não ser ficar ali preso no Egito pelo resto de suas vidas. Elas não deveriam mais acreditar na possibilidade de libertação.

Quando Deus levantou Moisés e o enviou aos líderes da nação de Israel, esse grande homem de Deus teve que provar que o Senhor havia falado com ele. Não foi fácil convencê-los de que o Senhor o escolhera como libertador. Então Moisés precisou operar alguns sinais e, possivelmente, à medida que tudo transcorria, o povo foi confiando cada vez mais na esperança de livramento, mesmo que ela fosse vaga.

Na Bíblia lemos em Êxodo 2.23: “Decorridos muitos dias, morreu o rei do Egito; os filhos de Israel gemiam sob a servidão e por causa dela clamaram, e o seu clamor subiu a Deus”. Ouvindo Deus a lamentação do povo, lembrou-se da Sua aliança com Abraão, Isaac e Jacó.

A multidão estava sofrendo, mas a Palavra diz que Deus só fez algo por causa da aliança que tinha com os pais daquele povo. Logo, a fidelidade d’Ele a essa aliança foi o fator principal pelo qual Ele agiu a favor da nação de Israel. Eles estavam num cativeiro, no entanto, o que move Deus não é a angústia, não é a dor, nem a situação em si.

O que move Deus é a nossa fé e confiança que depositamos n’Ele e em Sua Palavra. Isso, quando buscamos à Ele em oração e nos colocamos em Sua total dependência

Não existe nenhuma outra necessidade que o homem tenha e que seja maior do que  a salvação. Qualquer outra necessidade que o homem tenha, não se compara com perder a sua salvação e eternidade. Para operar salvação na vida de alguém, Deus precisa que essa pessoa assim creia e busque. Para as outras situações, Ele também vai esperar por uma ação do homem.

O próprio Senhor Jesus chegou à terra d’Ele em Nazaré e a Bíblia diz que Ele não pôde fazer ali muitos sinais, apenas curou alguns poucos enfermos impondo as mãos (Mateus 13.58). Jesus admirou-se da incredulidade deles. Essa incredulidade fez com que se levantasse uma barreira entre Cristo e as necessidades das pessoas. Existiam pessoas doentes e Ele não pôde fazer nada, porque não dependia só d’Ele.

O texto diz muito claramente: Ele quis fazer, mas não pôde fazer. Então a necessidade em si não é um fator determinante para o agir de Deus.

É primordial fazermos a nossa parte nos posicionando com firmeza na Palavra e nas promessas do Senhor.

A Bíblia diz que o povo estava clamando por causa do seu sofrimento, mas o que fez Deus operar foi a lembrança da aliança. Temos um Deus que é fiel a Sua aliança, a Sua palavra, àquilo que Ele diz! Nada mudará isso! Nós podemos nos alimentar da fidelidade de Deus, pensando no caráter de um Senhor que é fiel e imutável! E o que foi dito por Ele, nada vai mudar. O próprio Senhor falou: “Não alterarei o que os meus lábios proferiram!” (Salmo 89.34)Então aquilo que Ele disse ao nosso respeito, na Sua Palavra, continua sendo o mesmo. Apegue-se a isso!

Louvado seja o nome do Senhor porque nós podemos nos alicerçar no caráter de um Deus fiel e imutável. Pois Ele continua sendo o mesmo! 

Porque o SENHOR é bom, a sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a sua fidelidade(Salmos 100.5).

Você não encontra em Deus a infidelidade que você encontra no mundo, nas pessoas. Não faça essa associação! Fique firme no Senhor! Confie na Sua Palavra e nas Suas promessas, pois elas são inabaláveis.

Se nós formos infiéis, Ele permanece fiel, pois não pode negar a Si mesmo. A fidelidade é um atributo do caráter de Deus. Assim como Ele é amor, Ele é fiel! Se nós mudarmos, Ele permanece! Ele não é fiel a nós, mas ao que Ele disse sobre nós, à palavra que Ele proferiu ao nosso respeito, a despeito do que nós viermos a fazer. Ele tem palavras de vida e de paz.

Que você possa se alimentar com isso e encher o seu coração com essa convicção de um Deus imutável e fiel! Ele tem prazer quando vê a Sua Palavra se cumprir: Assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei” (Isaías 55.11).

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA