Graça para todas as estações

Postado em
1

por Katia Rocha
(Professora do Centro de Treinamento Bíblico Rhema)

Há uma graça disponível para superarmos todas as circunstâncias.

“Ora, muito me regozijei no Senhor por finalmente reviver a vossa lembrança de mim; pois já vos tínheis lembrado, mas não tínheis tido oportunidade. Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece” (Filipenses 4.10-13)

Analisando a vida de Paulo, pude entender que ele nos deixou, assim como Cristo, um exemplo de que todo filho de Deus está capacitado pela graça de Deus. Podemos usar da autoridade no nome de Jesus em todas as estações da nossa vida. Foi pensando nisso que me peguei fazendo algumas comparações da vida cristã com as tão conhecidas estações do ano: Outono, Inverno, Primavera e Verão.

O Outono é uma bela estação, na qual, as folhas das árvores caem para que novas folhas venham a florescer; porém, nela, tudo também parece estar sem vida. As árvores parecem estar morrendo, não é mesmo? Na verdade, estas árvores estão passando por um processo de renovação, sendo preparadas para receber novas folhas.

Em comparação com nossa vida, passamos por tempos específicos de mudanças, geralmente muito traumáticas, mas o Outono é tempo de renovação! Pode até parecer que está tudo perdido, mas a Palavra nos dá a garantia de que se mortificarmos as obras da carne, viveremos! (Romanos 8.13).

O desânimo pode acabar matando nossos sonhos e nos tornando incapazes de perceber a vida de Deus em nós, mas fomos chamados para a justiça, paz e alegria no Espírito Santo para sempre!

E o Inverno? Friozinho, nós nos agasalhamos bem e procuramos abrigo para nos aquecer. Isso não nos lembra aqueles dias em que acordamos vendo tudo nublado? Dias em que o medo, dúvida e murmuração, que são inimigos da nossa fé, vêm para tentar tirar a certeza de que podemos tudo nAquele que nos fortalece.

“Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez” (Filipenses 4.11-12)

Se em um período de inverno, meditarmos nas Palavras de Deus escritas por Paulo, seremos agasalhados e aquecidos, pois este disse que estava instruído para passar por qualquer estação. Posso até supor que Paulo estava em um momento de inverno quando escreveu a passagem acima, mas ele foi suprido porque estava instruído pelo Espírito Santo. Ele sabia que o suprimento chegaria, e chegou. Paulo tinha a certeza de que podia todas as coisas no Senhor.

Se assim como Paulo, nós, os filhos de Deus, que temos a graça disponível, nos agasalharmos com a Palavra, seremos aquecidos também em nossa jornada Cristã. 

“O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao Senhor: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio. Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro” (Salmo 91.1-4a)

Nosso amado irmão Paulo, certamente conhecia muito bem este Salmo. Se assim procedermos, teremos também sempre a nossa Primavera, dias de glória, repletos de flores, estando prontos para frutificar e exalar o bom perfume de Cristo (II Coríntios 2.15).

Nessa estação, as árvores frutíferas estão floridas e são essas mesmas flores que se tornarão frutos para alimentar a todos os que passarem por elas. Assim, se permanecermos firmes nas outras estações, estaremos repletos de frutos para alimentar a todos os que vierem até nós procurando pela Palavra que liberta. A partir daí, o Sol da Justiça brilhará para o mundo por meio de nós, refletindo o caráter dEle expressando a verdadeira vida que existe em cada Filho de Deus. Chegou o Verão!

“Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (II Timóteo 4.7)

Deixo, por fim, um texto que muito me alegra, porque temos a graça de Deus em nós!

“Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo.Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte. Porque quando estou fraco então sou forte” (II Coríntios 12. 9-10)

Espero que você se veja como Paulo, forte quando se sentir fraco, pois você tem a graça.

O cristão não deve negar a dor, as fraquezas nem o sofrimento, mas ter a sua força e motivação alicerçadas na certeza da provisão.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA