Humanos

Postado em
1
805

por Juliana Toledo
(Graduada da Escola de Missões Rhema)

É interessante compreender a humanidade em cada um de nós. Somos tão frágeis e ao mesmo tempo tão agressivos. Podemos nos ferir rapidamente e, da mesma forma, ferir aos outros ou nosso redor. O Senhor me trouxe a palavra legado esses dias. Não foi enquanto eu lia sobre o legado de grandes homens, ou observando os passos de Jesus na Terra, poderia ser, mas eu estava lendo o legado de agressores.

Dione Alexsandra publicou no blog Gente Boa o testemunho de pessoas que foram abusadas (Leia aqui). Enquanto lia os testemunhos, pensei nos agressores. Nas marcas que eles deixaram nestas pessoas e, consequentemente, o legado deles no mundo. Imaginei alguns nos últimos dias de suas vidas totalmente despedaçados, imperdoáveis por si mesmos, sem saber o que lhes aguarda na eternidade. Quero acreditar que muitos encontraram Jesus no caminho e conseguiram se perdoar, mudar o rumo das suas vidas e deixar um bom legado.

Portanto, sejam misericordiosos, assim como o vosso Pai também é misericordioso

Lucas 6.36.

Pensei também no que levou estas pessoas a praticarem tais maldades. Sabemos que o diabo é o dono deste mundo e não podemos ignorar seus esforços para acabar com a dignidade e trazer sofrimento para a história de cada um. Imagine o quanto ele ganha com histórias assim – uns são marcados por sofrer abusos horríveis, outros por praticá-los. Isso me traz tanta raiva. Satanás é muito sujo. Quando pensamos em agressores, pedófilos, ladrões, terroristas, etc; nossa tendência é colocá-los no hall das piores espécies, classificamos eles como imperdoáveis pelas marcas que deixaram. Esquecemos que Jesus enquanto sofria na cruz, injustamente, perdoou um ladrão que não merecia. Olhamos para todos com os olhos da justiça humana e não pensamos nas suas dores, apenas nas suas ações.

Costumo olhar pelas janelas quando estou em pontos altos e observar as centenas de casas, apartamentos, luzes que revelam vida por toda parte e penso: “Como vamos alcançar tudo isso?”. Nesses momentos, falo com o Senhor: “Pai, você conhece cada um nesses lugares, cada pequeno ser, você se importa com cada um, conhece suas dores, alegrias e desejos; sabe como alcançá-los. Nos mostre como Lhe ajudar, como fazer isso por você, desperta o nosso coração para cumprir os anseios do Seu”. Da mesma forma, as pessoas que foram marcadas possuem tantas lutas para vencer. O campo de batalha da mente está sempre lá, as palavras de satanás tentam reprimi-las e derrubá-las. E nem sempre suas ações serão as melhores, elas podem demorar para dar a volta por cima e podemos julgá-las sem sequer imaginar o que está por trás daquilo.

“Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade, suportando-vos uns aos outros e perdoando-vos uns aos outros, se algum tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição”. (Colossenses 3.12-14)

Não quero olhar para os seres humanos e colocá-los em castas de acordo com os valores morais ou cristãos esperados. Não quero julgar alguém por suas atitudes ou falta delas. Não quero deixar marcas nesse mundo que se apagarão com a chuva; tampouco marcas ruins que permanecerão por gerações. Quero ser as mãos do Senhor, Seus pés, Suas palavras, Seu toque. Olhar para cada ser humano como Ele olha. Quero conhecer cada dia mais a Jesus e, cada dia mais, ser semelhante a Ele.

Essa mensagem é apenas uma reflexão. Talvez, um clamor desesperado por mudança. Meu desejo é que o coração de Deus seja impresso no meu e no seu. Que nosso legado alcance gerações e possa calar dores, socorrer corações quebrados, transformar a maldade em bondade. Não para que sejamos lembrados, reconhecidos ou idolatrados. Mas, para que a glória de Deus seja vista através de nós e no legado que estamos deixando. Que o eco das nossas marcas reverbere o único digno e perfeito. A profundidade das riquezas. Aquele que sonda os corações e que amou a cada um, quando já sabia dos seus pecados.

Quero deixar um vídeo aqui para reflexão, por favor, não deixem de assistir:

 

1 COMENTÁRIO

  1. Caramba Juliana! Que ternura! Amei a essência e a simplicidade que tocou nessa ótica. Também penso assim, e o vídeo arrematou tudo que falou anteriormente. Siga com essa sensibilidade. Parabéns e muito obrigada!

DEIXE UMA RESPOSTA