A importância do estudo da Palavra

Postado em
1

por Paulo Pimenta
(Pastor da Igreja Verbo da Vida em Montes Claros-MG)

Ultimamente, existe uma tentação que tem crescido, que tem ficado forte e evidente no mundo. É uma onda anti-intelectual, contra o estudo, contra o conhecimento, que equipara a opinião indivíduo por indivíduo, e desconsidera o tempo de estudo e esmero de alguém. Acredita-se que a opinião de alguém que tem estudo e conhecimento em uma área vale o mesmo tanto que a opinião de qualquer pessoa.

Assim, no meio cristão, essa tentação existe também. Gente que acredita que ter o Espírito Santo é tudo o que precisamos para instruir alguém na Palavra. Que basta ser nascido de novo e ter uma vida de oração para poder se mover no seu chamado e propósito.

Interessante é que a Palavra de Deus rebate frontalmente esse posicionamento. Vejamos:

“O ensino deles alastra como câncer; entre eles estão Himeneu e Fileto. Estes se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição já aconteceu, e assim a alguns pervertem a fé” (II Timóteo 2.17-18)

Perceba que o “câncer” que se alastra é o ensino errado, equivocado. Talvez, Himeneu e Fileto tivessem uma vida de oração e, até amassem ao Senhor verdadeiramente. Mas, por não seguirem a sã doutrina, foram considerados anátema pelo Apóstolo Paulo (segundo o que ele disse em Gálatas 1.8).

Paulo continua sua instrução a Timóteo, seu filho na fé:

O objetivo desta instrução é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência e de uma fé sincera. Alguns se desviaram dessas coisas, voltando-se para discussões inúteis, querendo ser mestres da lei, quando não compreendem nem o que dizem nem as coisas acerca das quais fazem afirmações tão categóricas (I Timóteo 1.5-7)

Perceba que é NECESSÁRIO compreender o que se diz e o que se afirma. Isso não vem pelo Espírito Santo. O Espírito Santo traz revelação acerca do conhecimento que temos. Por isso a Bíblia é um livro para ser estudado, compreendido. Se não houvesse a necessidade do estudo, não haveria a necessidade da Bíblia, certo? Ou então, bastava somente a Escritura que fosse suficiente para que pudéssemos nascer de novo, e daí pra frente o Espírito Santo nos ensinaria tudo. Mas, não é assim! A Bíblia é cheia de instruções para fundamentar e balizar a doutrina dentro de nós, para nosso próprio bem!

Rejeitem qualquer pensamento ou ensino que lhe leve à preguiça de estudar a Palavra. Rejeitem a qualquer um que tente ensinar essas coisas. O próprio Jesus crescia em sabedoria (Lc 2.52), e era chamado de Mestre em Israel. Ele jamais teria alcançado esse título, jamais teria sido aceito para pregar nas sinagogas se não tivesse se submetido ao estudo das Escrituras. Se Jesus se submeteu a aprender as Escrituras, por qual motivo pensamos que não precisamos sentar para estudar?

“Porque desde criança você conhece as sagradas letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (II Timóteo 3.15-17)

Estudar a Palavra não é um luxo, não é algo trivial; estudar a Palavra é uma prerrogativa para todo cristão. Não é opcional.

No Rhema, você vai receber vacina o suficiente para se manter longe desse câncer que se alastra, dessa tentação diabólica contra os planos de Deus. Matricule-se, dá tempo!

“É da vontade de Deus que todos os homens sejam cheios do conhecimento da verdade” (I Timóteo 2.4). Ele vai lhe ajudar a remir o tempo, a honrar com as mensalidades, pois é parte do plano dEle para a sua vida!

1 COMENTÁRIO

  1. Um daqueles artigos excelentes que pouco – ou nada – recebem de comentários. Um tema importantíssimo para a Igreja de Cristo, sobretudo as que que creem na continuidade e totalidade dos dons espirituais e ministeriais, onde esse movimento de Anti-Intelectualidade tão bem pontuado tem se infiltrado com maior facilidade.

DEIXE UMA RESPOSTA