Jesus: Plano B?

Postado em
0

por Leonardo Godoy (Pouso Alegre -MG)
*Aluno do Centro de Treinamento Bíblico Rhema

Por que Deus criou a humanidade? Muitos pensam que somos apenas escravos ou fantoches, dEle, mas, na verdade, fomos criados para ser seus filhos, para ter comunhão com Ele! Quando Adão foi criado, no final da tarde, Deus ia até ele para terem um relacionamento, contudo, devido ao pecado, o homem morreu espiritualmente. Houve uma separação do espírito dele e Deus. O nosso Pai não convive com o pecado, pelo contrário, Ele o abomina.

Coloque-se no lugar de Deus que fez algo perfeito, com suas próprias mãos, e soprou o fôlego de vida no homem. É óbvio que Ele odeia o pecado que separou, de Si, a sua criação. Ele sabia que isso aconteceria e, mesmo assim, deu o livre arbítrio para Adão. Deus falou que Adão poderia comer de qualquer fruto, exceto o da árvore do conhecimento do bem e do mal. E, em meio a gigantesca variedade de frutos que poderiam ser comidos, Adão optou por não seguir o conselho de dEle.  

Deus já tinha um plano perfeito e Jesus não foi o plano B. No antigo testamento, tudo o que lemos aponta para Jesus. Veja: Abraão, Noé, Moisés, Davi, Josué, José, todos apontam para Jesus! O plano de Deus era restaurar sua comunhão com seus filhos. “(…) porque Deus amou o mundo (…)” (João 3.16). Não importa se a pessoa era uma assassina, ou se roubou, estuprou, se era traficante ou mentiroso, não importa! Jesus morreu por esses também. Quem somos nós para sermos juízes? Quem somos nós para julgarmos quem deve, ou não, ir para o inferno? O desejo do pai é que todos sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade (I Timóteo 2.4). Infelizmente, muitos partiram sem conhecer essa verdade, muitos se foram sem saber que eram amados. Jesus veio restaurar a comunhão entre Deus e a humanidade.

Jesus se fez pecado mesmo não tendo pecado. No momento em que Ele foi pendurado se tornou maldito, pois as escrituras dizem “(…) maldito todo aquele que for pendurado no madeiro (…)” (Deuteronômio 21.23). Jesus não merecia estar lá, uma vez que não havia feito nada de errado. Todavia, Ele se entregou e se sacrificou para que nós tivéssemos a sua vida. Ele foi o sacrifício perfeito, Ele foi o cordeiro imaculado. No terceiro dia, Jesus ressuscitou, subiu aos céus e tudo foi concretizado. A partir desse momento, Deus passou a habitar no corpo do homem. Ele fez morada em nosso coração, recriou o nosso espírito, o restaurou. Ele nos deu uma nova vida! E sabe o que mais é interessante? Jesus passou 40 dias com seus discípulos tendo COMUNHÃO com eles e, quando ele subiu aos céus, enviou o Consolador, que veio até nós e que hoje está em nós e sobre nós! O Espírito Santo é o nosso ajudador, consolador e o nosso guia. Ele nos mostra o caminho que devemos seguir. Quanto mais buscarmos nEle, mais próximos dEle ficaremos, ou seja, seremos mais íntimos por termos mais COMUNHÃO com Ele.

No Éden, Deus vinha nos finais de tarde ter comunhão com Adão, porém, nós podemos ter essa comunhão hoje 24 horas por dia. Você pode ser perguntar: “Ah, mas e os nossos pecados?”. Jesus já nos perdoou. Paulo nos ensina que Jesus é o nosso advogado fiel (I João 1.9). Jesus levou sobre si todos os pecados, não só daqueles que o aceitaram, mas os de toda a humanidade. Para desfrutar desse perdão, devemos crer com o nosso coração e confessar com a nossa boca que Ele é o nosso salvador e Senhor! (Romanos 10.9). Aqueles que ainda não o fizeram, permanecem mortos espiritualmente. Jesus é a vida, Ele é quem nos dá a vida eterna! Quando O confessamos nossos pecados e nosso passado são apagados! Então, Deus passa a habitar em nós e passamos a desfrutar do seu amor, sua bondade, paz e benignidade e o nosso espírito se torna um com o nosso Pai.

Deus criou o homem para ambos terem comunhão. Ele não quer fantoches. Nós devemos adorar a Deus em espírito e em verdade com nossas atitudes no dia a dia. “Trabalhamos” para Ele porque reconhecemos o seu sacrifício por nós. 

Devemos mostrar ao mundo a obra que Ele fez, pois fomos feitos filhos e agora somos embaixadores de Cristo na Terra. Onde chegarmos, ali estará chegando o Reino de Deus. Fomos criados para desfrutar da comunhão com o papai, para conversarmos com Ele.

Mesmo que o pai já saiba o que vamos falar, Ele quer nos ouvir! A escolha de termos essa vida é apenas nossa, já que Ele não nos impõe nada. Isso se chama livre arbítrio! Lembram-se do que ocorreu com Adão? Tudo na vida tem uma consequência e a escolha do que iremos fazer ou não é nossa! Eu, particularmente, prefiro uma vida de comunhão com o meu Papai, seguindo os passos do meu amigo e irmão Jesus com o meu melhor conselheiro e ajudador, o Espírito Santo!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA