Livre-se da ofensa

Postado em
0

por Denise Renner
(vice-líder da Igreja Boa Nova em Moscou na Rússia)

A amargura é uma prisão, uma armadilha e é cheia de tormento. Você não pode manter essas coisas dentro do seu coração. Uma raiz de falta de perdão que estava em meu coração começou a afetar meu corpo. Aquela situação estava afetando minha saúde. Eu sei que pessoas precisam perdoar para serem curadas. 

Somos capazes de perdoar qualquer ofensa, porque o amor de Deus está derramado em nosso coração. 

E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.”
(
João 20.22-23)

Jesus está nos dando muito poder, de tal forma que se nós perdoarmos aquela pessoa com quem alimentamos uma ofensa ela fica livre, mas se segurarmos a ofensa, a ofensa permanece em nós. A pessoa que nos ofendeu pode estar no outro lado do mundo, mas se você segura aquela pessoa na ofensa é como se tivesse uma ligação invisível entre vocês. É isso que Jesus disse, a pessoa que nos ofendeu já seguiu em frente, mas a ofensa continua no coração daquele que foi ofendido. Mas, Jesus disse, que se você perdoar então será perdoado. 

Nós temos o poder de liberar as pessoas, de deixÁ-las livres. 

Eu creio que, até hoje, existem pessoas em hospitais mentais, magoadas, ofendidas, e os atormentadores chegaram e tomaram o controle da sua mente. Deixar a porta da ofensa aberta para o diabo, ele vai entrar. Não é impressionante que a primeira coisa que Jesus disse para eles é a respeito do perdão?

Eu creio no que Jesus disse, que se não perdoarmos não seremos perdoados. Esse versículo também me assusta, isso nos diz quão sério é, e quão sério Jesus é a respeito do perdão que Ele nos deu e o equipamento que Ele nos tem dado através do Espírito Santo, isso nos deixa sem desculpa nenhuma a não ser perdoar.

E, ouvindo eles isto, enfureciam-se em seus corações, e rangiam os dentes contra ele. Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus.” (Atos 7.54-55)

Estevão, no último segundo de fôlego de vida, perdoou a multidão enfurecida, inclusive o futuro Apóstolo Paulo estava ali, também, e tentava lhe matar. Devemos olhar da forma que Jesus olha para os nossos ofensores, porque Jesus olhou para seus ofensores com amor, Ele dizia: “Pai Perdoa-lhes.

Quando alguém lhe fere, quando alguém rouba algo de você, quando alguém lhe abandona, quando alguém lhe trai, faça o mesmo que Jesus, diga: “Pai, perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem, perdoa-lhes.” O mundo tem a habilidade de machucar as pessoas profundamente, mas nós como cristãos, que temos o amor de Jesus derramado no nosso coração, podemos agir até mesmo como Estevão dizendo: “Perdoa-lhes.”

Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos. E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos. E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.”
(Mateus 18.23-25)

Esse servo devia muito, e a sua pena era muito grande, mas vamos olhar o versículo 26: 

Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.”
(Mateus 18.26)

Nós devíamos a Deus uma grande dívida que não tinha forma nenhuma de podermos pagar. Nós merecíamos a punição, mas Ele teve compaixão e perdoou a nossa dívida.

Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.”
(Mateus 18.26)

Mas, as pessoas que fizeram algo contra nós, elas nos devem, sim, elas têm uma dívida, mas como você, como eu, não podíamos pagar a nossa própria dívida, a nossa dívida foi perdoada. 

A única forma de tirar alguém da prisão da ofensa, é tirar as chaves do meu bolso
e libertá-la.

E Jesus continuou, no v. 29-35:

Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.”
(Mateus 18.29-35)

Eu que tenho o poder para perdoar. Sou eu que tenho o poder de manter alguém aprisionado. Como cristãos, nos foi dado o poder. Eu creio tanto, que o nosso Deus é tão bom e gentil, Ele nunca nos pediria para fazer algo que não fôssemos capazes de fazer e não nos dar a ferramenta para fazer, mas Ele nos deu o amor do próprio Pai. Sou eu que tenho o poder para libertá-la.

Mas, eu quero lhe contar uma história

Há muitos anos, nós estávamos servindo na Ucrânia, e comecei a conversar com a líder de louvor, ela estava no segundo casamento e estava muito feliz. Vi o marido, o filho, uma imagem linda. Eu disse para ela como ela estava feliz nesse casamento e perguntei o que não deu certo no primeiro. E ela disse que na primeira vez ela não era salva, o marido era alcoólatra e muito abusivo, ele abusava dela, do filho, a ponto da criança ter problemas mentais. Mas, ela saiu daquele casamento.

Tempos depois ela se converteu, conheceu o seu segundo marido. Depois de um tempo, ela percebeu que estava acusando o seu segundo marido do que o primeiro tinha feito, viu que a ofensa estava envenenando o seu segundo casamento. E ela começou a pedir ao Senhor para que conseguisse perdoar. Um dia, ela estava limpando o apartamento, fazendo mudanças, e tinha juntado uma pilha enorme de lixo e ela estava feliz que o trabalho estava acabando. Olhou para o lado e viu um pedacinho de papel no chão, enquanto estava varrendo ele para perto da pilha de lixo, Deus falou ao seu coração: “Está vendo essa pilha toda de lixo? Essa é a dívida que você tinha comigo. Está vendo esse pedacinho de papel? Essa é a dívida que o seu marido tem contra você“. Ela perdoou o marido, Deus curou o filho dela e ela está feliz.

Perdão abre as portas do céu, falta de perdão abre as portas do inferno.

Essa é a vontade de Deus. O diabo quer nos separar, mas Deus fez tudo para nos unir de volta, restaurar relacionamentos. Eu sei de vários testemunhos de mulheres que ouviram a respeito do perdão. Uma mulher não falava com o seu pai há 16 anos, ela ligou e disse ao pai “me perdoe, perdoe os meus sentimentos e as minhas ações contra você”, o pai chorou e pediu perdão e Deus restaurou o relacionamento dos dois. Essa é a vontade de Deus, nós devemos representar o amor de Deus nesta terra.

Nós devemos replicar o reino dos céus, não o reino das trevas. Não devemos ser como o povo do mundo, que anda com amargurados, com essa dor dentro deles, mas andamos com o próprio Deus dentro de nós, então nós oramos pelos nossos inimigos, amamos os que nos perseguem, porque o amor de Deus está dentro de nós, é nesse lugar que fomos chamados para andar. 

*Trechos da mensagem durante a Conferência de Ministros Verbo da Vida, em Julho de 2019  

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA