Moço Rico

Postado em
0

por Cassio Oliveira
(Graduado da Escola de Ministros Rhema)

“E eis que alguém, aproximando-se, lhe perguntou: Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. E ele lhe perguntou: Quais? Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. Replicou-lhe o jovem: Tudo isso tenho observado; que me falta ainda? Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. Tendo, porém, o jovem ouvido esta palavra, retirou-se triste, por ser dono de muitas propriedades”. (Mateus 19.16-22)
 
Interessante que o moço aqui já cumpria grande parte dos mandamentos, mas o que lhe faltava era deixar aquilo que era propriamente seu. Isso é, ainda hoje, o mais difícil ao seguir Jesus é deixar as próprias vontades, os títulos, as riquezas.
 
Esse jovem, talvez, pudesse vir a ser um dos 12 apóstolos; ou um homem que seria citado na Bíblia por fazer grandes milagres. Se ele tivesse seguido a Jesus, talvez, tivesse ficado no lugar de Judas. Afinal, Matias foi escolhido por ser seguidor de Jesus. 
 
“É necessário, pois, que, dos homens que nos acompanharam todo o tempo que o Senhor Jesus andou entre nós, começando no batismo de João, até ao dia em que dentre nós foi levado às alturas, um destes se torne testemunha conosco da sua ressurreição. Então, propuseram dois: José, chamado Barsabás, cognominado Justo, e Matias. E, orando, disseram: Tu, Senhor, que conheces o coração de todos, revela-nos qual destes dois tens escolhido para preencher a vaga neste ministério e apostolado, do qual Judas se transviou, indo para o seu próprio lugar. E os lançaram em sortes, vindo a sorte recair sobre Matias, sendo-lhe, então, votado lugar com os onze apóstolos”. (Atos 1.21-26)
 
Talvez, ele se tornasse um dos diáconos levantados em Atos 6.1-6.
 
“Ora, naqueles dias, multiplicando-se o número dos discípulos, houve murmuração dos helenistas contra os hebreus, porque as viúvas deles estavam sendo esquecidas na distribuição diária. Então, os doze convocaram a comunidade dos discípulos e disseram: Não é razoável que nós abandonemos a palavra de Deus para servir às mesas. Mas, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria, aos quais encarregaremos deste serviço; e, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra. O parecer agradou a toda a comunidade; e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. Apresentaram-nos perante os apóstolos, e estes, orando, lhes impuseram as mãos”. (Atos 6.1-6)
 
Entre eles, como lemos nos versículos, estão Estevão, homem que foi usado poderosamente por Deus e Filipe, o evangelista, que ganhou Samaria para Jesus e ainda provou do poder de ser trasladado por mais de 50 quilômetros. 
 
Não abandonar o seu desejo, a sua paixão, pode lhe impedir de viver o melhor de Deus, não só aqui na Terra, mas também no céu. Seguindo no capítulo 19 de Mateus, Jesus fala dos benefícios de viver em prol da vontade de Deus. Ele diz que na Terra não faltará assistência para você cumprir o seu chamado.
 
“E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe ou mulher, ou filhos, ou campos, por causa do meu nome, receberá muitas vezes mais e herdará a vida eterna”. (Mateus 19.29)
 
Tudo que fizermos a Deus, não por barganha, terá recompensa. Jesus também diz que os apóstolos receberão uma autoridade para julgar cidades e nações no milênio. Este é um galardão na eternidade.
 
“Jesus lhes respondeu: Em verdade vos digo que vós, os que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do Homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis em doze tronos para julgar as doze tribos de Israel”. (Mateus 19.28)
 
Aquele moço rico poderia ter se tornado um  referencial positivo na Bíblia. Poderia ter se tornado um apóstolo, um homem notável. Mas, ficou registrado como um exemplo a não ser seguido, pois não deixou a sua vontade para seguir a Cristo.
 
Jesus deixou algo bem claro em Lucas 9.23-24 (NTLH) sobre ser seu seguidor:
 
“Depois disse a todos: —Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto cada dia para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa terá a vida verdadeira”. (Lucas 9.23-24) 
 
Vale a pena deixar os planos e viver os planos de Deus. Não seja tão natural a ponto de estar preso às coisas terrenas. O nosso maior tesouro aqui é cumprir a vontade de Deus. 
 
Tenha os pés no chão. Mas, o coração na eternidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA