Nossa força vem de Deus

Postado em
0

por Luana Moura (Vitória da Conquista-BA)
*Graduada do Centro de Treinamento Bíblico Rhema

O livro de Juízes narra um tempo em que o povo de Israel vivia em um círculo vicioso, não havia um Rei naquela nação, eles viviam em desobediência a Deus e todas as vezes que eram opressos pelo inimigo, clamavam ao Senhor por ajuda e Ele lhes enviava um juiz, para libertar e redirecionar a nação ao caminho da obediência.

“Porém os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR; e o SENHOR os deu nas mãos dos midianitas por sete anos. E, prevalecendo a mão dos midianitas sobre Israel, fizeram os filhos de Israel para si, por causa dos midianitas, as covas que estão nos montes, as cavernas e as fortificações. Porque sucedia que, semeando Israel, os midianitas e os amalequitas, e também os do oriente, contra ele subiam. E punham-se contra ele em campo, e destruíam os frutos da terra, até chegarem a Gaza; e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos” (Juízes 6.1-4).

Durante sete anos, Israel viveu momentos de medo e escassez, ao ponto de estar o tempo todo clamando a Deus por socorro. A Palavra nos mostra (Juízes 6.1-7) a situação em que eles estavam: opressos pelos inimigos, tudo o que eles produziam era roubado, à medida que o povo semeava os midianitas e seus aliados destruíam as plantações e saqueavam o povo sem deixa-los com o mínimo para o seu próprio sustento.

A Bíblia relata que os inimigos de Israel eram tão numerosos, que foram comparados com nuvens como se fossem de gafanhotos. “E os midianitas, os amalequitas, e todos os filhos do oriente jaziam no vale como gafanhotos em multidão; e eram inumeráveis os seus
camelos, como a areia que há na praia do mar” (Juízes 7.12). Israel estava sofrendo as consequências de sua desobediência. Nos versículos 11 e 12 de Juízes 6, vemos o momento em que um homem chamado Gideão estava debulhando trigo no lagar para escondê-lo de seus inimigos: “Então, o Anjo do SENHOR lhe apareceu e lhe disse: O SENHOR é contigo, varão valoroso”. Nesse momento, Gideão reclama da situação em que vivia, e recebe a resposta do anjo dizendo que o próprio rapaz libertaria Israel da mão dos seus inimigos. Sabemos que Gideão questiona a Deus por um tempo, e não confia que ele poderia ser usado para libertar aquele povo da opressão dos midianitas.

Muitos de nós estamos assim como Gideão, com medo e escondidos, aceitando a ideia de que somos os menores da casa, inferiores em muitas áreas, sem possuir a convicção do nosso chamado, ou possuímos essa convicção, mas nos sentimos incapazes.

O sentimento de incapacidade pode gerar medo em nós, ao ponto disso, nos deixar paralisados. Deus nunca teria dito “ser forte e corajoso”, se a tarefa fosse fácil. O fato de algo ser muito difícil, não significa que será impossível de ser realizado.

O Senhor começa a libertar Seu povo com um homem tímido chamado Gideão, depois de convertê-lo e o fazer destruir os ídolos de seu pai, então faz com que ele chame os soldados das quatro tribos de Israel para lutar contra o numeroso exército oponente que possuía 135 mil soldados, contra 32 mil israelitas. Para cada soldado de Israel, o inimigo tinha mais quatro. O que parecia ruim, aparentemente se torna pior, Deus com sua infinita sabedoria decide que havia soldados demais no exército israelita e que teriam que reduzir o número das tropas. O Senhor vai instruindo Gideão e ao longo do caminho esse número é reduzido a 300 homens apenas. Agora a diferença era ainda mais assustadora: para cada soldado israelita havia 450 oponentes.

Mesmo em minoria, o povo de Deus venceu a guerra, cercando durante a noite o acampamento dos midianitas com tochas, trombetas e cântaros vazios, após isso, tocaram
as trombetas gritaram e quebraram os cântaros. Com todo o barulho os midianitas saíram
das suas cabanas desorientados fazendo com que os inimigos tornassem suas espadas uns
contra os outros e Deus ofereceu uma vitória sobrenatural ao Seu povo.

Em Efésios 6.10 está escrito: “Sede fortalecidos no Senhor e na força do Seu poder”. Existem duas verdades nesse texto: a primeira é que devemos nos fortalecer em Deus, e a segunda é que a nossa força vem do poder que há n’Ele! Não seria mais fácil vencer uma guerra com 32 mil soldados, ao invés de 300? O que Deus queria ensinar com isso?

O Senhor não queria que ao final da guerra o povo dissesse: vencemos por causa da nossa força, “a minha própria mão me livrou” (Juízes 7.2). Ele queria que o povo reconhecesse o Seu poder. Deus não deseja que depositemos nossa confiança em nós mesmos, naquilo que podemos fazer na nossa força ou intelecto, mas que confiemos no Seu poder que opera em nós.

Estamos continuamente dizendo: “eu não consigo”, mesmo que apenas internamente, mas Deus tem uma palavra para nós acerca disso: “Forjai espadas das vossas enxadas, e lanças das vossas foices; diga o fraco: Eu sou forte” (Joel 3.10).

Todas as vezes que olhamos apenas para circunstâncias, nossa fé tende a enfraquecer, certamente, vamos nos desanimar. Nós devemos declarar aquilo que somos: fortes em Deus! Se você está se sentindo fraco, diga a si mesmo: “eu sou forte”.

Em 2 Coríntios 12.9 o apóstolo Paulo afirma: “E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo”. Quando nos sentimos fracos ou incapazes de realizar algo, e confiamos no Senhor, o poder de Deus que habita em nós transforma a nossa fraqueza em força e nos capacita a vencer qualquer circunstância.

“E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas. Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões. Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos” (Hebreus 11.32-34).

Só Deus e o Seu poder, que opera dentro de nós, pode transformar fraqueza em força, da impossibilidade humana fazer acontecer milagres. Só o Senhor pode transformar nada em tudo, perda em ganho, morte em vida. A resposta para o impossível na sua vida está na Palavra, está naquilo que o Senhor disse ao nosso respeito. Com Deus somos sempre maioria!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA