O Poder da fala e o perigo dos males sutis

Postado em
0
378

Francisco Junior

(Graduado do Centro de Treinamento Bíblico Rhema)

Certo dia, estava eu a andar pela área da minha casa, quando tropecei em uma planta espinhosa. Aparentemente não aconteceu nada, então, segui a minha vida. Depois de certo tempo, senti um pinicado no pé, e fui ver o que estava acontecendo, era o pedaço do espinho da planta que ficou no meu pé, passei minha mão no dedo que doía e vi que era no polegar do pé

Tentei tirar o espinho com uma pinça e, na medida das tentativas erradas, o espinho doía muito, e depois de certo tempo tentando (10 ou 15 minutos mais ou menos) consegui tirá-lo. Era muito pequeno, mas me doía muito…

Quando o Senhor começou a dar a ideia do texto que estou escrevendo agora, Ele me revelou que, muitas vezes, coisas que falamos ou ouvimos têm o poder de nos penetrar e nem percebemos que fez efeito. Às vezes são palavras até ardilosas como esse pequeno espinho que encravou e tirei do meu pé, mas que nos colocam laços, abrem feridas em nosso interior, etc. Aparentemente, coisas que falamos, fazemos ou coisas que ouvimos, que até dizemos: “é besteira” ou “não é nada demais”, temos que ter cuidado com isso. “O início de um desentendimento é como a primeira rachadura em uma enorme represa; por isso resolva pacificamente toda a questão antes que se transforme em uma contenda destruidora”. (Provérbios 17.14)

Vamos ter esse cuidado, com o que acontece com nós na fala ou no que estamos vendo e ouvindo, pois, dependendo do que acontece, pode ser uma armadilha sutil, aparentemente inofensiva, mas nós damos brecha a isso e acabamos tendo um sofrimento, então, para removê-la, devemos ter cuidado com nosso coração

“Agarrai-nos as raposas, as pequenas raposas que devastam nossas vinhas, porquanto as nossas vinhas já estão em flor”. (Cantares 2.15)

Devemos ter cuidado até mesmo com a sinceridade de nossas opiniões, pois, até mesmo isso, pode acabar atrapalhando, mesmo que seja verdade existem meios para falar a verdade

“Abomináveis são para o SENHOR os pensamentos dos maus, porém Ele se agrada sobremaneira de palavras sinceras ditas com bondade. (Provérbios 15.26)”

Se esse versículo diz que pode haver palavras sinceras ditas com bondade, pode haver também na fala sincera ter palavras ditas com maldade. Vamos ter cuidado com o que falamos, pois vamos colher o que plantamos, vamos usar nossa boca com sabedoria pois somos imagem e semelhança de Deus. Ele criou a Terra com o poder da palavra de sua boca, e temos esse poder em nós, para construir ou destruir. Tenhamos, portanto, o bom senso nos nossos pensamentos e falas para desfrutarmos do melhor de Deus.

“A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que a usam habilmente serão recompensados”. (Provérbios 18.21)

“Portanto, quem quiser amar a vida e ver dias felizes, refreie a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade”. (I Pedro 3.10)

“Acima de tudo o que se deve preservar, guarda o íntimo da razão, pois é da disposição do coração que depende toda a tua vida”. (Provérbios 4.23)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA