O propósito do casamento

Postado em
0

por Cintia Ribeiro
(Graduada do Centro de Treinamento Bíblico Rhema em Pirituba-SP)

O principal objetivo de um casamento é um cônjuge ajudar o outro a ser melhor.

Em nosso casamento, nossas atitudes despertam em nosso cônjuge a sensação de estar no céu ou no inferno? Muitos desconhecem qual o principal objetivo do casamento e, por isso, em todo o mundo cerca de metade dos casamentos terminaram em divórcio. 

A instituição do casamento vem desde a criação do mundo, quando Deus criou a terra tornando-a habitável para todos os seres vivos: “Então disse Deus: ‘Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança […]'” (Gênesis 1.27). Esta afirmação nos dá uma pista do objetivo da instituição do casamento.

Deus criou Adão do pó da terra e Eva da costela de Adão. Em seguida, Deus levou-os juntos para uni-los no sagrado matrimônio:Então, o SENHOR Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar. E da costela que o SENHOR  tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão. E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne; esta será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada” (Gênesis 2.21-24).

Deus santificou a instituição do casamento quando Ele uniu o primeiro homem e a primeira mulher. Somente Deus pode instituir e santificar uma união conjugal. Temos um exemplo bíblico que, se analisarmos com uma ótica mais ampla, podemos ver que isso se aplica também para o casamento; o compromisso de Rute com Noemi: Disse, porém, Rute: Não insistas para que te deixe e me afaste de ti; porque, aonde quer que tu fores, irei eu e, onde quer que pousares à noite, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu e ali serei sepultada; me faça assim o SENHOR e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti” (Rute 1.16-17).

O compromisso expresso e a fidelidade de Rute por sua amizade e vínculo familiar com Noemi é o que maridos e esposas devem ter uns com os outros. Paulo compartilhou conosco uma grande realidade do relacionamento conjugal que representa a Igreja se unindo com Jesus Cristo em um casamento divino. Cristo, como noivo, prepara sua noiva prometida para a grande comunhão do casamento. Observe comigo o que diz Paulo:

“Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra, para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama. Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja; porque somos membros do seu corpo. Eis por que deixará o homem a seu pai e a sua mãe e se unirá à sua mulher, e se tornarão os dois uma só carne. Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja . Não obstante, vós, cada um de vocês também ame a própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite ao marido” (Efésios 5.25-33)

Na prática, o casamento foi idealizado para nós, seres humanos, para que possamos aprender a amar uns aos outros e as nossas famílias a partir desse maravilhoso relacionamento concebido por Deus. Os casamentos são feitos, não nascem prontos. O marido e a esposa interagem em seu casamento, compartilhando e se sacrificando um pelo outro (Efésios 5.21-28).

O casamento humano, concebido maravilhosamente por Deus, tipifica a realidade e a realização do casamento divino de Cristo com a Igreja. Este é o objetivo final do casamento.

A instituição do casamento é a principal forma em que Deus nos recria à Sua imagem espiritual. Ele está criando em nós o Seu caráter justo e Sua unicidade com Ele. Nossos corpos físicos não vão durar para sempre; apenas o caráter espiritual voluntarioso.

Em segundo lugar, quanto à ruína do matrimônio e da família, você tem que se conscientizar que Satanás está distorcendo a união matrimonial além do que é devido. Ele cegou a maioria da humanidade quanto à pura verdade sobre Deus, Seu glorioso Evangelho e a instituição do casamento. Ele influencia a humanidade para que se autodestrua, porque ele conhece o nosso potencial no reino e na família de Cristo. Satanás não pode nos destruir; no entanto, ele pode nos influenciar a destruirmos a nós mesmos. Isso ajuda a explicar porque continuamente a instituição do casamento tem sido alvo de ataques.

Quando retornar, Jesus Cristo vai se casar com a Igreja em um casamento divino. Deus nos deu a instituição do casamento para nos ajudar a entender a relação profunda e amorosa que vamos compartilhar com Jesus Cristo por toda a eternidade no Seu Reino. Agora você pode agir para tornar o seu casamento mais feliz.

O divórcio é uma golpeada ao âmago do plano de Deus para que as pessoas sejam unidas. A coisa mais importante para Deus é a unidade de mente e coração e, particularmente, com Ele. Leiamos um trecho da última oração de Jesus ao Pai antes da Sua crucificação: “Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, como és em mim, e eu, em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17.21). Deus se agrada de relacionamentos íntimos e não de rompimento de relações.

O seu casamento foi instituído por Deus para que as pessoas que te cercam e o mundo creiam que Deus enviou o seu Filho para que hoje você viva um matrimonio em abundância de amor e graça.

Em um mundo tão deturpado o seu casamento refletirá a gloria de Deus.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA