O vício de culpar alguém

Postado em
2
2888

paulopimentaPaulo Pimenta

Pastor da Igreja Verbo da Vida em Montes Claros-MG

“Ao passar, Jesus viu um cego de nascença. Seus discípulos lhe perguntaram: “Mestre, quem pecou: este homem ou seus pais, para que ele nascesse cego?” – João 9:1,2

Nós, seres humanos, temos um impulso automático de tentar entender e justificar qualquer coisa que acontece em nossas vidas. Isso sempre existiu, conforme vemos a pergunta dos discípulos a Jesus. A culpa é um problema que nós tentamos lidar diariamente, e temos o vício de achar um culpado – seja indivíduo ou ação – para qualquer infortúnio em nossas vidas.

Adão respondeu “foi a mulher que tu me deste”, e a mulher rebateu “foi culpa da serpente”. De fato, vivemos tentando entender e achar os culpados pelos problemas do mundo. Algumas situações são mais fáceis de achar um culpado, outras tantas, nem tanto.

Muitas pessoas insistem em achar a culpa em todo mundo, menos neles mesmos. Outras – com uma autoestima mais baixa – acabam sempre se autoflagelando, achando-se culpados por qualquer mazela.

Dentre todos, ainda existe o maior injustiçado do mundo: Deus. Sim, Ele mesmo, Papai! Culpado por criar e amar a humanidade. Culpado por tantos por tantas coisas, e tantas coisas Ele não tem nenhum controle ou influência! Quantas e quantas catástrofes, mortes, doenças e fatalidades não são colocadas na conta do Senhor? Veja que, mesmo no exemplo do versículo acima, os discípulos procuram achar um culpado na Terra, mas também automaticamente apontam o culpado pelo “juízo” do pecado.

Antes de entrar nessa questão específica do texto de João 9, gostaria de esclarecer algo muito importante:

A culpa é sempre do Diabo.

“Ah pastor, mas aí fica muito fácil”. Então, eu não quero saber se fica fácil ou difícil. Vamos juntar os pontos:

– Paulo nos diz que “nossa luta não é contra carne e sangue”, mas sim contra as forças do inimigo, ou seja, se alguém comete uma falta contra nós, essa pessoa é simplesmente um filho perdido de Deus sobre forte influência do Diabo, mesmo que ela não saiba. O próprio Paulo perseguiu a Igreja, e se rotulou como “o pior dos pecadores”;

– Toda nossa culpa foi cravada na Cruz do Calvário; toda condenação que poderia estar sobre nós já foi colocada sobre Jesus. Crer nisso é um fundamento básico do Cristianismo.

Mas o pior de tudo são os cristãos que sempre culpam Deus de tudo o que acontece. Desde catástrofes naturais, passando por acidentes aéreos até doenças terminais, Deus sempre leva a culpa de tudo. Morre um filho, “ah Deus sabe de todas as coisas, foi propósito Dele”.

Tiago 1.17 nos diz que toda boa dádiva, todo dom perfeito, vem Dele. E ainda afirma que Ele não muda. Vamos ligar os pontos e parar de tentar achar propósito ou culpa em cada acidente, morte ou dificuldade que enfrentamos! João diz que “o mundo jaz do Maligno” e isso deve bastar! Vivemos por uma esperança de um mundo incorruptível, mas enquanto vivermos nesse, ainda que em Cristo, estamos ao sabor das intempéries dessa vida. Paulo passou por vários problemas, mas sem murmurar e culpar a Deus. Devemos fazer o mesmo.

Mas e as respostas? E por que acontecem coisas ruins a pessoas boas?

Olha, eu mesmo gostaria muito de saber e responder essa pergunta. Na verdade, essa foi a pergunta dos discípulos em João 9. Afinal de contas, como uma inocente criança nasce cega? E como algumas pessoas nascem com boa família e oportunidades de crescimento, enquanto outras nascem na miséria?

A resposta? Eu procuro usar a mesma de Jesus:

“Respondeu Jesus: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.”João 9:3

Significa que existe um propósito de Deus na doença? Ora, pelo contexto bíblico, vemos que não. Em português atual e claro, analisando o restante das Escrituras, o que Jesus disse foi “Não importa de quem é a culpa. Importa que a verdadeira vontade de Deus será manifesta a partir de agora na vida dele.” De fato, Jesus fez as obras de Deus, e elas incluíam apenas cura, e nunca doença.

Eu não tenho todas as respostas. Jesus inclusive se negou a dar essa, então quem sou eu para me atrever? Não importa o culpado, importa que a vontade de Deus é sempre boa, agradável e perfeita. Se algo acontece de ruim na sua vida ou na vida de alguém, não culpe a si mesmo, ou a Deus, ou a ninguém. Nosso foco deve ser na solução, e nós temos a solução.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA