Um bom líder de ministério de música

Postado em
3
3382

felipeFelipe Aguiar

Ministro de música na Igreja Verbo da Vida em Pedra de Guaratiba-RJ

Fazer parte da liderança de qualquer departamento da igreja não é uma tarefa fácil. Mas, no ministério de música que atua em praticamente todas as programações da igreja local, muitas vezes as demandas são ainda maiores. São muitas pessoas para discipular e ensinar, muitos talentos para desenvolver, muitas escalas para supervisionar (Ufa! Muitas escalas mesmo!!!). Há graça para fazer tudo isso, graças a Deus! Entretanto, posso deixar algumas dicas para que esse processo não seja árduo e o fruto seja notório! Você é um bom líder? Tenho certeza que sim, mas ainda há muito a melhorar!

1 – Seja organizado

Como as demandas são grandes, normalmente as escalas e os eventos são muitos! Por causa disso, o líder deve ser organizado para que não seja atropelado pela quantidade de eventos na igreja. Nas igrejas locais normalmente há um ciclo natural, de períodos com mais eventos, formaturas, conferências e outros períodos um pouco mais tranquilos. É necessário que o líder anteveja todas essas demandas e organize o seu grupo para elas, para que ninguém fique sobrecarregado. Aproveite também as épocas de descanso maior para ter comunhão com os membros e também descansar.

2 – Seja equilibrado

Todos queremos que a igreja local cresça, que o ministério avance e que o grupo atinja patamares maiores. Mas você não pode simplesmente decidir pelo grupo trabalhar mais a cada ano, com mais força e mais rápido se esse crescimento não for sustentável. Quando o nosso trabalho começa a ganhar projeção, seja alcançando mais pessoas ou recebendo convites a ministrar em outros lugares, um bom líder olha para seus liderados e não pensa logo no aumento da carga de trabalho que pode dar para ele. Um bom líder olha para como eles estão vivendo suas vidas, na sua família e no trabalho. Um bom líder garante que eles tenham tempo para viver, para brincar e se divertir, para estar na presença de Deus e para viver uma vida de oração e Palavra. Enquanto todos podem estar olhando para o resultado daquele trabalho a mais, o líder deve estar olhando e checando com equilíbrio a vida dos seus liderados.

3 – Ame as pessoas mais do que os seus talentos

Quando as pessoas sabem que são amadas e valorizadas, elas trabalham com muito mais alegria e leveza. Alguns líderes mantêm apenas um relacionamento de trabalho com seus liderados, e eu percebo que essa relação é mais frágil e muito mais fácil de ser rompida do que quando há uma relação de amizade fora do trabalho na igreja. Aquele baixista ou aquela jovem da projeção não é apenas um trabalhador, ele ou ela é uma pessoa, com sentimentos, sonhos e desafios. Um bom líder tem a sua casa e, além disso, o seu coração aberto para conhecer seus liderados, sua família e seu modo de viver. Por isso as confraternizações são tão importantes. Ao menos uma vez no ano procure reservar um tempo para o seu grupo se confraternizar, sem falar nem pensar em trabalho. Um time que conhece um ao outro produz muito mais musicalmente, e a interação entre eles faz toda a diferença na hora da música.

4 – Ensine à sua equipe

Não basta ter pessoas talentosas à sua disposição se elas não entendem o valor espiritual daquilo que fazem. Por isso é tão importante que haja sempre um tempo para ensinar e aprender. Músicos que entendem sobre adoração, sobre aquilo que cantam e sobre santidade são muito mais efetivos em seu serviço. Percebemos claramente a diferença que faz ter pessoas posicionadas espiritualmente para o serviço na música, mesmo que essas mesmas pessoas não sejam os melhores músicos ou cantores. Um bom líder deve estar atento ao conhecimento e crescimento espiritual e técnico da sua equipe.

5 – Prepare as pessoas para vencer

Um dos papeis mais importantes e delicados de um líder nesse ministério é o de mentorear e preparar pessoas para avançar. Como líder, é bastante comum que lidemos com pessoas às vezes muito mais talentosas do que você mesmo, e se deixarmos o orgulho tomar conta, acabamos por deixar aquela pessoa de lado com medo de “perder o posto”. Muitas vezes teremos que sair do caminho e deixar a pessoa crescer na sua jornada. Não tenha medo de fazer isso, pelo contrário, crie situações para que aquela pessoa dê certo!

Por exemplo, ao colocar uma pessoa para dirigir música pela primeira vez, crie um ambiente favorável, coloque ao redor dela uma banda experiente que consiga seguir qualquer coisa que ela fizer. Coloque uma outra pessoa para ministrar junto, porque se alguma coisa acontecer, ela pode tomar a frente. Muitas vezes quando acontece algum fracasso na primeira vez, a pessoa mesmo acaba se cobrando demais e repetindo aquela cena em sua mente um milhão de vezes. Algumas até desistem de tentar a segunda vez. Crie situações para que isso não aconteça, mas se acontecer, não é a hora de corrigir, mas de encorajar! Cite os pontos positivos e encoraje a pessoa a prosseguir.

Como já disse, tenho certeza que você faz um bom trabalho na sua igreja. Mas sempre há como melhorar. Espero que essas dicas o ajudem a fazer um trabalho cada vez melhor com a sua equipe!

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá Felipe,
    Graça e Paz.

    ótimo texto, muito, muito bom, através dele pude perceber que estou indo bem e fazendo certamente algumas coisas você citou, e me abriu os olhos para algumas outras coisas também.

    Muito obrigado por ser inspirado a escrever essas coisas, que Deus te acrescente a cada dia mais e mais.

DEIXE UMA RESPOSTA