Vamos ser como criança?

Postado em
2
2656

por Godofredo Couto
(Graduado da Escola de Ministros Rhema Itinerante em Brasília-DF)

Uma das frases de Jesus que mais me tocou assim que me converti foi:

“Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como meninos, de modo algum entrareis no reino dos céus (Mateus 18.3)”

Aí eu pensava sobre em quais aspectos eu posso ser como uma criança. Talvez, eu tenha gostado mais dessa frase por ter tido uma infância muito boa. Só tenho imagens alegres de quando era pequeno lá em Parnaíba, no Piauí, época em que brincávamos na rua, com muitas outras crianças. Longe da tecnologia, passávamos um bom tempo nos divertindo com bolas de gude, futebol, queimada, pique-pega, pique-bandeira, brincadeiras de roda, subir em árvore, fazer teatro, tomar banho de riacho, colecionar figurinhas, soltar pipas e muito mais.

Por outro lado, teve uma fase em que eu queria muito ser adulto para fazer o que eles faziam. Mas, que decepção tive quando cheguei lá. Agora, eu podia fazer de tudo. Porém, tinha tanta coisa feia que os adultos viviam, que era melhor mesmo ser criança. Violência, traição, maldade, injustiça, depressão, preocupação e falsidades eram apenas algumas das coisas de adultos com as quais, infelizmente, me deparei. Não que criança não faça nada de errado. Porém, tudo o que ela faz, até certa idade, é por pura inocência.

Mas, o que as crianças fazem a ponto de Jesus falar que deveríamos nos parecer com elas e que se não nos tornássemos como elas não poderíamos ver o Seu Reino? Refletindo bastante, eu elenquei algumas características interessantes. Confira comigo.

SIMPLICIDADE

Jesus deu uma dica nesse capítulo de Mateus. No versículo 4, Ele fala sobre sermos humildes como os meninos. Ser humilde, como vemos em outras versões bíblicas, é ser simples. A simplicidade, portanto, é uma virtude a ser seguida. Criança é tão simples. Ela, por exemplo, não faz acepção de pessoas, a não ser que seja ensinada a isso. Ela brinca com seus semelhantes, independente da classe social, da cor, do credo. Ela não precisa de um brinquedo caro para se divertir. Se você der uma pequena bola para um pequenino, você verá que ele vai se divertir por um bom tempo com aquilo. Então, vamos valorizar as coisas simples. O Evangelho é algo simples. Ele se resume no amor.

AMOR

Essa é outra característica bem presente no mundo infantil. Desde que estimulada, a criança vive intensamente o amor. Ela é carinhosa e trata os outros com respeito. Ela abraça de verdade, beija de verdade e, se diz que ama, é porque ama mesmo.

SINCERIDADE

Por isso mesmo, é que a sinceridade é outra característica de uma criança digna de imitação. Criança não diz que algo feio é bonito e nem o contrário. Ela é sincera em suas afirmações, opiniões e conduta. É por isso que ninguém pode fazer algo errado na frente de uma criança e esperar que ela fique calada. Uma hora ela vai falar o que viu. Pois, ela é sincera.

INOCÊNCIA

A inocência é outra faceta da fase infantil. Assim como ela é sincera no que diz, ela entende que aqueles que estão ao seu redor também são e facilmente acredita no que todos dizem. A verdade para ela é o que os outros ensinam. É por isso que é fácil enganar uma criança com promessas impossíveis de serem realizadas. Por outro lado, por sua pureza, a criança também tem facilidade em exercitar a fé e ver milagres se propagando. Elas têm uma fé pura, genuína. Talvez, por isso, Jesus tinha tanta alegria em tê-las por perto. Certa vez, Ele disse:

“Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas”  (Mateus 19.14)

PERSISTÊNCIA

Criança também tem uma característica bem marcante que é a persistência. Meu filho mais velho, o Kevin, ganhava muita coisa de nós por causa de sua habilidade de não desistir. Ele insistia em algo até conseguir. Sarah também trilha por esse caminho.

ALEGRIA

É ainda na infância que normalmente somos mais alegres. As crianças podem até ficar chateadas, magoadas ou tristes. Mas, sempre é por pouco tempo. Logo elas, levantam a cabeça e estão a sorrir e brincar como se nada tivesse acontecido. Para onde foi a chateação, a mágoa ou tristeza? Isso é coisa de adulto, não é mesmo?

Quando crescemos fisicamente parece que as circunstâncias da vida roubam de nós as boas características da infância. A “adultice” deixa alguns mais soberbos, com falta de amor, desestimulados, dissimulados e carrancudos. Isso, é claro, se não tiver o Espírito Santo.

Afinal, o fruto do espírito, segundo escrito no texto bíblico de Gálatas 5.22, é “amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, domínio próprio”.

Aqui está, portanto, para quem quiser, a receita de como voltar a ser como criança: é só alimentar o fruto do espírito que já temos dentro de nós.

Então, vamos nos alegrar hoje como criança?

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA