A verdadeira vida de louvor!

Postado em
0

por Daiene Bonetti 

*Supervisora do departamento de jovens

Eu acredito que você deseja saber qual é o propósito da sua vida, o que Deus tem pra você como grande plano geral, mas também individualmente, o que Deus deseja que você realize.

Quando não conhecíamos ao Senhor, existia um vazio em nós, um buraco que ainda não estava preenchido. E que só foi preenchido através da própria vida de Deus, que passa a habitar em nós quando recebemos ao Senhor. O Senhor nos chama para viver uma vida boa. Isso não quer dizer que será uma vida ilesa de situações, que não teremos problemas para superar, mas existe um lugar em que estamos guardados no Senhor e é na Presença dEle. Ela nos capacita a vivermos de maneira diferente do mundo, porque não estamos mais debaixo do domínio de satanás.

Pertencemos a um Reino de paz e alegria. Cabe a mim e a você andar conscientes dessa presença gloriosa. Uma vida de louvor não é apenas viver cantando. A música faz parte dela também, mas a vida de louvor está em reconhecermos a Palavra que já habita ricamente em nós e darmos voz a ela. À medida em que andamos consciente dessa Palavra, da vida de Deus em nós, a maneira que vivemos e aquilo que falamos é uma grande expressão de louvor ao Senhor. Isso é dar significado para a inspiração que já está dentro de nós. 

A adoração é o nosso estilo de vida, mas o que seria essa adoração? é comunhão com o senhor, comunhão com o Espírito Santo, comunhão com a Palavra. Esse foi o plano de Deus desde a criação do mundo: Ser um Deus que se relacionava com o homem. Ele criou todas as coisas, mas com o homem Ele conversava, Ele se relacionava. Ele criou o homem a sua imagem e semelhança e soprou nele as Suas características.

Em Jó 32 a Bíblia diz que o sopro do todo poderoso nos faz sábio. Em Gênesis vemos que Deus criou o mundo e sopra no homem, deposita Sua vida, Suas características para o homem viver e manifestar no natural aquilo que já existe no Reino sobrenatural. Nós vivemos como uma extensão de Deus aqui na Terra. Somos uma exibição de quem o Pai é. E Ele nos convida a viver aqui o que Ele desejou desde o princípio: Uma vida de comunhão, relacionamento, oração. Então o homem foi criado à imagem e semelhança pra ter comunhão com o Senhor.

O HOMEM PECOU

“…e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória”. (Isaías 61.3)

Deus cria o homem no formato dEle para representá-lo e dar louvor e glória a Ele através da sua vida. Sabemos também que o homem pecou e, quando isso aconteceu, ele perdeu o contato com Deus, perdeu essa comunhão. No Jardim do Édem, existia uma conexão. Deus dava ao homem inspiração para viver e o homem retribuia a isso louvando a Deus através de tudo o que fazia. Quando o homem pecou, a comunicação foi interrompida. O homem foi desligado da vida de Deus e Deus não podia mais habitar dentro do homem, porque não existia mais comunhão entre luz e trevas. E o homem precisava reconhecer o seu estado pecaminoso. Contudo, Deus tinha um plano, porque Ele desejava oferecer o seu perdão e resgatar a humanidade. A lei foi instituída por Deus para que o homem pudesse reconhecer a sua incapacidade espiritual, para que ele pudesse perceber que estava desligado da vida de Deus, da comunhão com o Senhor e da sua capacidade de adoração, então, Deus institui o tabernáculo, mostrando o seu desejo de estar perto do homem. Mas em Hebreus 10.1 a Bíblia diz que todas essas simbologias do tabernáculo eram apenas sombra daquilo que há de vir, porque Deus tinha um plano.

“Ora, visto que a lei tem sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas, nunca jamais pode tornar perfeitos os ofertantes, com os mesmos sacrifícios que, ano após ano, perpetuamente, eles oferecem”. (Hebreus 10.1)

A lei, o tabernáculo, eram só uma sombra daquilo que haveria de vir e do que eu e você viveríamos na Nova Aliança. Deus nunca desejou viver em uma caixa de madeira ou em um templo de alvenaria. Deus desejava ter comunhão e se relacionar, estar ligado ao homem. Ele deseja comunhão, conexão direta. O sacrifício de Jesus era o único sacrifício perfeito e a única forma que poderia remover o pecado de uma vez por todas e mudar a condição do homem.

“pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, 8a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” (Filipenses 2.6-8)

A Palavra criou o homem. Na criação Deus disse: façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Jesus mesmo veio, padeceu em nosso lugar como o único sacrifício perfeito, como o sacrifício de uma vez todas removeria o pecado. Porque aqueles sacrifícios oferecidos na velha aliança precisavam ser refeitos ano após ano. Mas o sangue de Jesus foi suficiente. A Palavra habitou entre nós, se fez carne e, de uma vez por todas, tirou o homem da condição de pecado e nos religou a Deus, somos conectados de novo através desse único sacrifício perfeito. 

A COMUNHÃO RESTAURADA

Deus deseja que a gente viva conforme o Seu plano original para nós. Jesus restaurou a nossa comunhão com o Pai e é por isso que eu e você voltamos a receber inspiração para a nossa vida. É por isso que hoje podemos levantar e cantar: “na sua presença”. Porque hoje somos o santuário de Deus, a sua habitação. A Bíblia diz que Cristo vive em nós. Que grande privilégio e responsabilidade saber que nós carregamos uma presença tão santa, gloriosa e poderosa. Um poder que pode reverter qualquer situação.

Dessa forma, a Bíblia nos chama para vivermos como imitadores de Deus. Manifestando quem Ele é nessa Terra. Não podemos viver para nós mesmos, precisamos viver para manifestar aquele que nos chamou das trevas para a luz. Cristo vive em nós.

‘Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E Ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou”. (II Coríntios 5.14-15)

Às vezes percebemos até dentro da igreja crentes que começam a ficar desanimados. Que ficam acostumados com aquilo que já ouviram e acabam se esquecendo das verdades que salvaram a gente há um tempão atrás e que são poderosas para salvar a nossa vida ainda hoje. Como eu e você vivemos uma vida de louvor? Vivendo de maneira que agrada ao Senhor. À medida que nossas ações manifestam quem Deus é e dão glória a Deus, estamos louvando a Deus, Tudo o que fazemos revela o caráter do nosso pai e dá glória a Deus. É por isso que falamos que é um grande privilégio, mas também, uma grande responsabilidade ter a vida de Deus em nós. Precisamos manifestar a vida do Rei dos Reis aqui, somos o sal da Terra e a luz do mundo. Somos nós que vamos falar para o mundo: vem me ver.

A nossa vida inspirada é um exemplo, a maneira como tratamos as pessoas, a maneira como vivemos em família, os nossos procedimentos, uma vida santa, representando quem o nosso Pai é. Para que o mundo olhe e veja: ‘Ei tem algo diferente aí nesse pessoal’. Precisamos atrair as pessoas para Jesus. Vivemos em um novo e vivo caminho, somos de Deus. A Bíblia diz que somos um só espírito com Ele e que somos chamados a estar com ele! Nós somos chamados a ter uma vida de comunhão e intimidade com o Senhor. O momento de comunhão é um momento de prazer, de deleite, é esse momento em que nós cantamos sobre refrigério. Na presença do Senhor, onde somos abastecidos, alimentados, conectados com a fonte por meio da leitura e meditação na Palavra. 

Um dos princípio da adoração é que quando nos expomos a quem adoramos começamos a ficar cada dia mais parecidos com Ele. Somos chamados para viver como Jesus vivia. Manifestando quem o Pai é, a sua glória. Podemos viver nossa vida cotidiana fazendo todas as coisas considerando a Presença. Dirigindo o carro, pagando contas, entrando em um aplicativo. Seja o que for que você vá fazer, faça conectado. Quando estamos conscientes da presença do Senhor, isso nos livra até de pecar. Consciente da presença, eu tomo cuidado com o que vou ver na televisão, tomo cuidado com os meus relacionamentos, tomo cuidado com as minhas associações.

Conscientes da presença, vamos viver o chamado de Deus para nossas vidas, porque glorificamos a Ele quando vivemos tudo aquilo que Ele nos chama para viver. Deus não criou o homem para que fosse infrutífero. Deus te habilita. A presença gloriosa dEle te dá direção, sabedoria. quando nos expomos a essa presença, não ficamos confundidos; chega a clareza, satisfação. Vamos crescer, amadurecer, ser transformados de glória em glória, cada dia mais preparado para fazer tudo aquilo que Ele deseja que façamos nesta terra.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA