Luiz Arcanjo é vocalista do Ministério ‘Trazendo a Arca’. O projeto se iniciou em 2002 e ficou conhecido em 2003, quando lançaram seu primeiro CD e, pouco tempo depois, gravaram a famosa canção “Restitui”. Em 2007, a banda passou a se chamar ‘Trazendo a Arca‘, adotou outras mudanças e lançou o terceiro álbum chamado ‘Marca da Promessa‘.

Luiz Arcanjo, Vocal

Picture 1 of 5

No último fim de semana, a banda participou do segundo dia do evento evangelístico Alternavida em Olinda-PE. Foi uma noite repleta da glória de Deus, na qual muitas vidas foram alcançadas. Luiz Arcanjo foi entrevistado por nossa equipe do Portal e contou grandes experiências que o grupo viveu cumprindo o chamado de Deus.

Confira, abaixo, a conversa:

O que vocês acharam da noite no Alternavida em Olinda-PE?

Nós temos um pernambucano em nossa banda. Isaque nosso guitarrista é pernambucano, então, o nosso relacionamento com esse estado sempre foi muito bom. Acho que não me lembro de nenhuma vez em que nós estivemos aqui que não tenha sido algo tão intenso e caloroso como foi hoje. As pessoas estavam elétricas e o poder de Deus desceu. A glória de Deus desceu. Nós saímos daqui com a sensação de dever cumprido. Acho que 37 almas, se não estou enganado, se renderam ao Senhor e foram salvas. Então valeu muito a pena ter vindo.

Qual a importância da música como um meio para alcançar vidas?

_MG_4868Eu não me lembro de nenhum evento em que estivemos que nenhuma alma tenha sido salva.  Se, hoje, apenas uma alma tivesse sido salva, apenas uma se rendesse; já teríamos ganho o dia. Nós sabemos que Deus quer salvar… Muitas vezes, as pessoas recebem convites para ir à igreja, mas elas não querem ir; mas na praça o Evangelho as alcança. Até quem está em casa, acaba ouvindo sem querer. Eu creio que o Evangelho alcança até quem está sentado nas barraquinhas ou nos bares. Sempre há resultados.

Quais conselhos você dá para os músicos?

_MG_4815Músicos sempre têm uma certa preocupação com a técnica e eu aconselho que mantenham essa preocupação. Precisamos tocar bem, tocar com excelência. A gente precisa fazer essa arte cada vez melhor. Porém, não vai adiantar nada tocar muito se você for vazio da unção de Deus, da graça de Deus; se você for vazio da Palavra.

Algo que sempre enfatizo é que a Bíblia diz que os músicos que tocavam com Davi não eram músicos, eram profetas. A Bíblia diz que eles profetizavam com seus instrumentos. E é isso que nós buscamos fazer desde que entendemos isto. Músico, a gente tem um monte, o que vai fazer a diferença é o seu conteúdo profético, a sua vida espiritual. Isso é o que vai fazer a diferença na vida e ministério das pessoas.

Conte-nos alguma experiência marcante que vocês viveram nestes anos de ministério.

São muitas experiências. Mas, certa vez, em um Domingo de manhã; estávamos na igreja e ensinando as pessoas a cantar a música “Senhor e Rei”. Naquela semana, Deus tinha acabado de nos dar aquela canção. E, enquanto a igreja cantava: “habita entre nós, óh santo Deus…”, a gente começou a ouvir um pessoal, lá atrás, gritar e gritar… Vimos que Deus estava fazendo alguma coisa ali. De repente, do meio daquele povo, veio uma mulher correndo e ela subiu no púlpito e tentou retirar o microfone que estava na minha mão para falar alguma coisa. Os obreiros a seguraram porque ainda não sabiam do que se tratava.

Ela não conseguia falar por causa da emoção, então, fingiu que tinha se acalmado. Levaram ela para um canto e ela conseguiu recuperar o fôlego e conseguiu gritar e a dizer: “Eu era cega, vocês não estão entendendo! Eu era cega, eu era cega”. Enquanto a igreja estava cantando: “habita entre nós óh santo Deus”, aquela mulher foi curada. Isto foi uma das experiências mais marcantes que tivemos. Deus, verdadeiramente, habita no meio dos louvores.

Alternavida em Olinda-PE, 2017
Alternavida em Olinda-PE, 2017

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA