Nova diretora do Rhema Angola, Maria Amélia, concede entrevista. Confira!

Postado em
0

O Rhema Angola segue em plena atividade nesse novo ano e conta nova diretora. Trata-se de Maria Amélia, ela que é professora do Rhema Brasil e Escola de Ministros, estará seguindo na coordenação da Escola que por três anos foi liderada por Rita De Cássia Cavalcante. Amélia esteve no Centro de Operações do Ministério Verbo da Vida e concedeu entrevista equipe do Portal. Confira:

Fale-nos sobre a transição do Rhema Angola:

Quando nos dispomos para o Senhor Deus, Ele vai guiando os nossos passos. Então, quando eu fui para Angola minha atitude de servir ao Senhor era primordial, pensava apenas em estar disponível em tempo integral, e dedicando-me ao Senhor. Em meu coração havia o desejo de ajudar Rita, e isso surgiu ainda em 2009, quando eu estive por um mês ensinando na escola. Me senti a vontade, não vi tantas dificuldades, me sentia bem e confiante. Não pensei da primeira vez que fui, em ficar, em morar e, mas em passar um tempo. Já na segunda ida tive um desejo maior, e passei três meses. E nesses tempo o Espírito Santo começou a comunicar algumas coisas no meu coração, percebi algumas coisas, mas eu não falei para ninguém, porque cheguei a pensar que era só impressão. Vinham nuances e o desejo de permanecer. Enquanto isso, fiz orações de consagração, pedindo as direções do Senhor. No segundo semestre, as coisas se definiram, porque até então, não sabia de fato da saída de Rita. E acredito que essas mudanças vieram por uma direção para a vida pessoal dela, novos passos que ela tinha que dar em Deus, tanto na vida pessoal como ministerial. Acredito que Deus estava preparando uma pessoa para ficar em seu lugar. Vejo que houve um agir de Deus em vários sentidos, tanto de um lado como de outro, fomos vendo os marcos, as placas que Deus foi colocando diante de nós e fomos seguindo. Para mim, esse tempo de transição realmente não tem sido um tempo fácil, porque são grandes os desafios. De fato, é desafiador avançar em um trabalho que estava funcionando. Vou com aquela expectativa de que Deus vai nos ajudar, guiando-nos para as coisas avançarem. No reino de Deus tudo é de degrau em degrau e de glória em glória, quando estamos na vontade Dele.

Quais os primeiros passos para 2011?

O nosso retorno está previsto para fevereiro. Tenho o grande apoio de duas missionárias brasileiras. Ana Amélia, e Katy como vice-diretora, e Ana Amélia vai estar em uma função dentro do departamento financeiro. E a nossa visão é dar continuidade ao trabalho, treinar nacionais que é um trabalho que Rita já havia começado e é uma coisa em longo prazo. Vejo que Deus tem levantado pessoas tanto brasileiros como nacionais para dar continuidade ao trabalho. Estamos aguardando o visto para retornar e algumas questões pessoais também.

Neste novo ano, pretende fazer alguma mudança específica na Escola?

Eu acho que seria interessante usar mais a parte tecnológica, eu gostaria de ver essa possibilidade de melhorar a agilidade, a questão também do atendimento e agora temos pessoas treinadas. Ana Amélia que já trabalhou no Rhema em Brasília tem experiência nesta área, e nosso alvo é esse de melhorar tanto a parte tecnológica, como a comunicação com o Brasil. Eu também recebi treinamento para utilizar o SARA, e isso vai melhorar essa comunicação, cadastrando os alunos e dando agilidade a parte administrativa. Porque antes o que era feito no SARA era manualmente. A estrutura será ampliada. Os alunos do Rhema e Escola de Ministros, receberam no último ano muitas informações sobre o Brasil, sobre o Ministério, o funcionamento do Rhema, e isso os empolgou, deixando-os comprometidos e envolvidos, querendo que os seus parentes também façam o Rhema. Estamos com uma expectativa muito grande para 2011, com relação ao número de matrículas e a quantidade de alunos. Cremos que vamos ter um número maior do que tivemos o ano passado e eu acredito que teremos 180 matrículas no segundo ano agora em 2011.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA