Firmes na Verdade: quarto dia estabelece alicerces sobre a Palavra

Postado em
0

Na última quinta-feira (dia 26), o Seminário “Firmes na Verdade” estabeleceu alicerces ao abordar sobre a necessidade do cristão ouvir as mesmas coisas a fim de firmar-se na Verdade, através do preletor Manoel Dias, integrante da Diretoria do Ministério Verbo da Vida (MVV), na parte da manhã. No período da noite Natan Rufino, integrante da Coordenação Doutrinária do MVV, explanou sobre o propósito da vinda de Jesus ao mundo e como isso afetou a vida do cristão.

Às 9h, o quarto dia de Seminário foi iniciado com um momento de louvor, através do músico e pastor Beto Gomes. Em seguida a palavra foi passada ao preletor da manhã, Manoel Dias, que lembrou os presentes que por causa da tendência do ser humano em esquecer o que foi ensinado, é necessário ouvir as mesmas verdades constantemente. “Temos que nos manter firmes na Palavra e na doutrina. Sair desta firmeza traz destruição. Se pararmos de ouvir a Palavra, nossa fé diminuirá. Por isso, precisamos batalhar pela fé que nos foi dada”, completou.

Dias ressaltou que conhecer a Palavra além de fazer o cristão crescer, irá protegê-lo de falsas doutrinas. “Todo aquele que vai além da doutrina de Cristo não tem Deus, o Pai não está envolvido com pessoas que destrocem a Palavra. Devemos rejeitar a palavra de alguém que começa dizendo o que Deus disse e depois começa a inventar coisas”, afirmou.

“Quando somos praticantes da Palavra, Deus está envolvido e se manifestará a nós. Precisamos aprender a fechar os portões do nosso coração para doutrinas erradas para que não sejamos destruídos. Palavras transmitem vida ou morte, sempre”, concluiu.

A programação foi retomada às 20h, com o louvor realizado em conjunto entre o Pr. Beto Gomes e Ana Gaia. Na sequência a Palavra foi passada para o preletor da noite, Natan Rufino, que iniciou a ministração falando sobre Jesus e sua identificação com a humanindade. “Jesus desceu do céu e ao ter descido ele adquiriu um corpo humano com todas as vulnerabilidades. Ele adquiriu uma vontade própria que não deveria ser feita. Jesus tinha uma vontade como homem que não era igual a vontade de Deus. Por isso Ele precisou prevenir-se para não fazer a sua própria vontade, mas fazer a vontade de Deus”, explicou.

“Jesus foi tentado como nós, mas sem pecado! Ele viveu como homem exatamente como nós, Ele se fez o que nós somos e por isso foi considerado filho de Deus”, acrescentou.

Rufino lembrou que cada ser humano é atraído e tentado pela sua própria concupiscência e por isso há a necessidade de nos expormos à Palavra, como Jesus fez. “Jesus nasceu e cresceu. Ele começou seu ministério somente com 30 anos e não quando entrou na terra. De fato, Ele nasceu e cresceu como um ser humano normal, só que por dentro e por fora até a sua maioridade. Você deve dar atenção àquilo que a bíblia fala e repete, porque só pode ser muito importante para nós”, disse.

Citando Romanos 5:12, 3: 26 e 6:23, Rufino explicou que todos pecaram e não nasceram pecadores. E continuou: “Não teria como nascermos pecadores porque a morte é resultado do pecado. Cada um de nós somos responsáveis pela nossa própria vida. O pecado de Adão possibilitou o nosso pecado, mas não morremos por consequência do pecado de Adão, e sim por causa do nosso pecado. O homem nasce de Deus, como cidadão do Reino dos céus, mas não tem mais a vida de Deus fluindo do noso interior”.

“Os judeus não aceitavam quando Jesus dizia que era filho de Deus porque entendiam o significado. Os cristãos hoje aceitam porque não entendem realmente o que significa. Ser filho de Deus significa ser semelhante a ele”, concluiu.

O Seminário “Firmes na Verdade” prossegue até o dia 28 de julho, com cultos a partir das 9h, para graduados do Rhema, pastores e líderes evangélicos, por meio de inscrição na Associação Alumni e a partir das 20h, com programação aberta ao público. A transmissão dos dois períodos pode ser acompanhada através do site www.verbotv.com/firmes.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA