Pastor Jorge Anderson ministrou para autoridades na Prefeitura de Vitória (ES)

Postado em
1

Os trabalhos na Prefeitura Municipal de Vitória (ES) retornaram, depois de alguns dias de recesso, de uma forma bem diferente. Na última segunda-feira, o prefeito  recém empossado, Delegado Pazolini, autorizou a  volta de cultos mensais no auditório do Paço municipal. Há 8 anos não aconteciam cerimônias religiosas nas dependências da Prefeitura da capital.

Para iniciar esse novo tempo, o Pastor Jorge Anderson Bizoni, líder da Igreja Verbo da Vida no Espírito Santo, foi convidado para ministrar a Palavra, numa cerimônia que contou com a presença do Prefeito Pazolini, da Vice-Prefeita eleita, Capitã Estefany, do Presidente da Assembleia Legislativa, Deputado Erick Musso e do Presidente da Câmara Municipal, Vereador Davi Esmael, além de vários pastores, servidores e convidados.

O culto começou com Daniel Lucas, cantor capixaba, evangélico, e que deu nome ao primeiro filho do Pr Jorge Anderson. Com músicas conhecidas e de própria autoria, conduziu todo o plenário num tempo de louvor e adoração ao Pai. “Ele é um grande amigo e um grande homem de Deus. Eu tenho um filho com o nome de Daniel Lucas, em homenagem à mansidão com que esse jovem toca e todo amor que ele tem pelo evangelho!”. Disse Pr Jorge.

De acordo com o Prefeito Pazolini, esse foi um marco dessa nova administração em Vitória. “Essa aproximação da administração pública municipal das instituições religiosas vai ajudar na relação continua de diálogo e tratativas quanto às necessidades identificadas dentro das comunidades onde as igrejas atuam e o poder público não consegue chegar.”, disse.

Em sua ministração, para os cerca de 250 presentes, Pr Jorge falou sobre “A visão para quem conduz uma cidade”.

Após ler Habacuque 1.2-4, Pastor Jorge Anderson afirmou que via uma situação muito parecida com a  que vivemos hoje no Brasil. Os poderes invadindo a seara uns dos outros; injustiça por todo lado; valores completamente controversos e invertidos, dentro, até, de nossas igrejas, relatou. O ministro complementou a fala se referindo a fala do profeta  citado no texto: Até quando isso vai acontecer? E quantos de nós, muitas vezes chegamos diante de Deus e perguntamos: Até quando Senhor?

Esse mesmo profeta, segundo o pastor,  um pouco depois diz: “ Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação.” Mas, o que fez com que esse homem de Deus, que num primeiro momento se levantou com uma fala negativa, chorosa e questionadora mudar, inesperadamente, para uma fala de certeza e convicção? Uma posição tomada por um homem de Deus, fez com que ele mudasse completamente sua visão!

E disse, ainda, ao Prefeito e à Vice-prefeita: “O dia mal chega pra todo mundo. As adversidades e os confrontos chegaram pra Jesus e ele vai chegar para Vossa Excelência. E só tem um lugar, e nós, que de certa forma somos operadores da segurança, sabemos que torre é lugar de abrigo. Ficar numa guarita faz com que a gente veja e não seja visto; é lugar de esconderijo; é lugar onde podemos antever o perigo e atuar antes que ele chegue até nós. Quantos de nós tiramos serviço e muitas vezes cansados, nos mantivemos a postos para guarnecer a quem dormia e descansava? E não é diferente a posição que Vossas Excelências estão! As flechas virão, mas torre de vigia é lugar de direção e direção Dele. Torre de vigia é lugar de se ouvir Deus, é lugar de se posicionar.”.

O pastor também destacou: “O desejo do meu coração e do coração de Deus é que este Estado cujo nome é único, chamado Espírito Santo e essa cidade, que Vossa Excelência agora vai exercer governo, chamada Vitória vai fazer jus a ambos os nomes, para honra e glória do nosso Senhor Jesus Cristo.”

Os cultos na Prefeitura Municipal de Vitória vão acontecer nas manhãs das primeiras segundas-feiras de cada mês e serão abertas ao público e vão contar com a participação de um cantor ou banda e um pastor da capital.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA