Rafaela Külkamp: de Sinop (MT) para Campina Grande (PB)

Postado em
0

Rafaela Külkamp Eyng é natural de Lages, Santa Catarina. Uma moça de sorriso fácil, que esbanja amor e tem um coração missionário. Atualmente, ela está em Angola e é uma das integrantes da liderança da ONG Baluarte, idealizada por Marcos Freire, que coordena a instituição junto a Jonnes Queiroz. Rafaela concluiu o Centro de Treinamento Bíblico Rhema, em 2014, em Sinop (MT). Lá, ela congregava na Igreja Verbo da Vida local, mas logo viajou para Campina Grande (PB), com o objetivo de cursar a Escola de Missões e de Ministros

Você já deve saber que, no próximo ano, a Escola de Ministros Rhema funcionará estritamente em Campina, não havendo o funcionamento de escolas itinerantes. Por isso, Rafaela é a nossa convidada, de hoje, para inspirá-lo com o seu testemunho de como foi se preparar para exercer seu chamado passando por essa cidade, sede internacional do Ministério Verbo da Vida!

PORTAL: Conte-nos sobre as suas atividades ministeriais antes de cursar a Escola de Ministros Rhema:

RAFAELA: Na minha igreja local, Verbo da Vida Sinop (MT), eu liderava a Secretaria de Missões e integrava a equipe de Comunicação. Basicamente, procurava me envolver em vários departamentos, seguindo o conselho do meu pastor, que dizia: “Se quer ser bênção lá fora, seja uma benção em sua igreja local”. Fiz uma viagem à Uganda, em 2015, para dar suporte ao missionário Daniel Barbanti e, a partir daí, comecei a minha jornada ministerial e a busca por mais conhecimento e uma preparação maior para tudo o que estava por vir.

PORTAL: Como decidiu que gostaria de cursar a EMR em Campina Grande? Encontrou desafios para realizar esse desejo? 

RAFAELA: Após realizar algumas viagens e alguns trabalhos ministeriais, decidi cursar a Escola de Missões e de Ministros em Campina Grande, pela necessidade de me aprofundar mais, no que diz respeito à vida e preparação de um ministro do Evangelho. Não encontrei grandes desafios, mas encontrei limites que precisavam ser superados.

Quando tomei, de fato, a decisão de cursar a EMR, tudo o que estava a fazendo naquele momento convergiu para que se encaixasse com aquilo que eu estava planejando para minha vida ministerial.

PORTAL: Como você viu Deus operando para auxiliá-la na vitória de cada limitação?

RAFAELA: Deus é perfeito em tudo, não é mesmo? Lembro que, na época, eu precisava organizar muitas coisas em minha vida pessoal e, por um momento, pensei que a EMR não aconteceria para mim naquele ano. Mas foi apenas uma vez que pensei isso, pois no mesmo instante, recebi ligações e mensagens de pessoas, que inclusive eu tinha pouco contato, mas me incentivaram trazendo soluções para o que eu estava vivendo.

Como eu já morava em Campina Grande, porque, no ano anterior, havia cursado a Escola de Missões, algumas amigas estavam chegando para morar comigo no ano seguinte e, uma semana antes das aulas começarem, elas me “pegaram”, proporcionando um momento marcante e sobrenatural em meu apartamento. Nós gritamos, choramos e rimos muito (risos). Naquele instante, eu sabia que aquele seria o meu “ano dourado” e o início do grande sonho de Deus para mim.

PORTAL: Qual foi a sua matéria preferida?

RAFAELA: Quase todas! (risos). Mas gosto muito de tudo o que fala sobre “liderança” e sobre a postura e caráter do ministro. Então, todas as matérias que vinham com esse tema, eu ficava “presa” nelas.

PORTAL: Depois que saiu de Campina, levou na bagagem alguma história marcante sobre esse tempo na cidade?

RAFAELA: Todos os dias havia histórias e coisas que marcavam. Cheguei em Campina Grande, em 2017, para cursar a Escola de Missões e saí no final de 2018, ao finalizar a EMR. A cada dia tinha um novo limite a ser superado, então, todo dia Deus derramava algo novo para que fosse vencido e eu pudesse desfrutar plenamente de Sua graça, do Seu amor e  pudesse contemplar de forma clara aquilo que Ele sonhava para minha vida.

O que mais me marcou foram os dias de evangelismos. Passávamos o dia fora e as histórias mais marcantes foram nesses dias com o Grupo Vida. Para mim eram dias preparados com todo o cuidado de Deus. Eu amo vidas, amo pessoas, estar em seu meio e ouvir as suas histórias, me colocando no lugar delas. Os evangelismos eram isso para mim. Quando eu voltava para casa, estava esgotada, mas, ao mesmo tempo com uma injeção de ânimo para que eu rompesse algo na minha vida, em Deus, e para viver o que vivo hoje. Lembro-me que encontrei famílias destruídas e que, no final da visita, a gente saia encharcado de lágrimas e com muita gratidão da parte delas. Nunca deixei de orar por elas.

Cada oportunidade que eu tive, soube aproveitar bem, e o resultado é que hoje eu estou exatamente onde Deus sonhou que eu estivesse. 

Também vivi muitas alegrias com meus amigos mais próximos. Muita comunhão, amor e muito compartilhamento de tudo. Conheci pessoas fantásticas que eu tenho até hoje em minha vida. As minhas melhores amizades, eu construí em Campina Grande. Alguns estão espalhados pelo mundo e outros ainda estão lá.


PORTAL: Quais os maiores frutos que a EMR deixou em você?

RAFAELA: Com toda a certeza, liderança. Sempre fui apaixonada por esse tema, mas a EMR me trouxe uma clareza e uma lucidez, ainda maior, sobre isso, sobre equilíbrio nas emoções, sabedoria em agir e falar. Sempre fui muito apaixonada pelo assunto e muito interessada por saber mais sobre liderança, inclusive tenho muitos livros sobre esse tema.

Todas as vezes que era uma matéria que abordava algo, nesse sentido, ou se eu soubesse que o professor era um líder nato, eu sugava todo o conhecimento que pudesse. Eu acabava com as folhas do meu caderno de anotações durante essas aulas. Até hoje consulto essas anotações e está tudo muito fresco em minha memória. Hoje eu sou uma das responsáveis pela ONG Baluarte e vejo essa marca muito forte em relação à liderança. Isso com certeza é um dos principais frutos que a EMR deixou em mim.

Se não fosse a EMR me ensinando sobre liderança e sobre o carácter real de um ministro, com certeza eu não teria tantos frutos de sucesso em tudo o que faço, e na minha trajetória, desde que saí de Campina Grande.


PORTAL: Se tivesse que resumir o ano em que cursou a EMR em apenas três palavras, quais seriam?

RAFAELA: Três palavras? (risos). Ai, ai, ai, que difícil! Mas talvez possa ser “ano do despertar”.

PORTAL: Deixe um recado para incentivar pessoas que estão em outros lugares e desejam cursar a EMR em Campina Grande:

RAFAELA: O que eu posso dizer é: apenas vá! Creia no que o Senhor tem comunicado ao seu coração, saiba ter sabedoria para ouvir conselhos dos seus líderes e daqueles que já cursaram a escola. Jamais será um ano perdido e no final você não dirá: “Pronto, chegou o final do ano, a escola acabou, consegui!”, mas com certeza você dirá: “Que ano espetacular, o Senhor acrescentou na minha vida e é somente o início do novo e grande plano de Deus para mim e para aqueles que eu influenciarei”.

Posso dizer que tive as melhores experiências; tanto na Escola de Missões, quanto na Escola de Ministros, porque eu estava aberta e pronta para tudo o que era proposto para fazermos. Aproveite cada minuto, cada atividade, cada professor e cada direção. Se não fosse por isso, hoje eu não estaria onde estou e não faria nem metade do que Deus confiou em minhas mãos.

A provisão chega! Ouse sonhar os sonhos de Deus, que Ele se encarregará de preparar tudo o que for necessário para que isso seja real. Somente creia, busque, se prepare e vá! Vale muito a pena!

Para conhecer mais da trajetória de Rafaela, clique aqui.

Agora o convite que não quer calar: venha cursar a Escola de Ministros Rhema em Campina Grande! Para realizar a sua pré-inscrição e começar a planejar voos ainda mais altos em 2021, basta acessar o link abaixo:

pré-inscrições

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA