Maná Diário

Conselhos dos nossos missionários – Parte 5

pela Agência Verbo da Vida de Missões

A série de Conselhos dos nossos missionários com certeza trouxe um panorama dos desafios enfrentados no campo, bem como, instruções preciosas que podemos aplicar na nossa caminhada cristã. Abaixo, você vai poder conferir muito mais!

Antes de qualquer tomada de decisão, consulte o Senhor para saber qual é a Sua vontade;

Tenha uma vida de oração e meditação na Palavra para que você possa estar sensível ao Espírito Santo;

Busque se aculturar na nação onde você está, pois somos muito propícios a ficar pensando que a nossa cultura é melhor, em vez de sermos empáticos e procurar entender a cultura do outro, colocando-se no lugar daquelas pessoas.  Por isso, na maioria das vezes, acabamos ficando apáticos com o país que devemos alcançar;

Evangelize em todo tempo;

Cuide da família e principalmente, se tiver filhos, é importante proporcionar momentos de lazer com eles;

Nunca se aparte da igreja que lhe enviou, mas tenha um relacionamento de paternidade com seu pastor;

Leia livros sobre nossa visão frequentemente, de preferência do irmão Kenneth Hagin;

Tome muito cuidado com as influências de outros ministérios com respeito à visão que carregamos. Podemos ser tentados a querer implantar outra visão que não concordamos porque está funcionando com eles;

Conecte-se a outros pastores e ministros no campo para um maior networking;

Ame e acredite nas pessoas independentemente de quem seja ou do seu nível social;

Treine os nativos para o ministério.

(Alexsandro José e Idaly Silva – Santa Cruz de La Sierra/ Bolívia)

 

Seja enviado – quem vai ao campo, vai porque alguém o enviou. “E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!” (Romanos 10.15)

Aprenda a importância de não estar no campo missionário por conta própria, sem ter a quem recorrer quando necessário e a quem sempre se submeter.

Prepare-se – Um dos lemas de nosso Ministério é: “Tempo de preparação não é tempo perdido”. A preparação vai levá-lo muito mais longe. “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade”. (2 Timóteo 2:15)

Invista em pessoas – Organizações, prédios, instrumentos musicais são ferramentas importantes, mas o nosso alvo são vidas. Devemos usar todas as ferramentas possíveis para alcançar pessoas e livrá-las do inferno. Pregar a Palavra, levar cura, transformação, libertação devem ser o trabalho do missionário, nunca juntar coisas.

Faça discípulos – Tão importante quanto pregar e evangelizar, é fazer discípulos. O missionário deve ter certeza de que, depois que ele partir para outro campo, a obra que ele iniciou continuará, e melhorará.

Tenha paciência – Toda árvore, antes de produzir frutos, tem que lançar raízes e isso depende da condição da terra. Há terreno fértil e terra boa para produzir, mas há terreno duro e terra sem nutrientes, que precisam de muito trabalho para que a raiz encontre água e nutrientes para frutificar. Assim é o trabalho missionário. Uma coisa é pregar no Brasil, outra é pregar no Japão, Sudeste Asiático, países árabes. Alguns lugares crescerão rapidamente, já em outros, levará anos para dar frutos.

Tenha paciência, pregue a Palavra, regue as sementes e aguarde com perseverança os primeiros frutos.

“O que escapou da casa de Judá e ficou de resto tornará a lançar raízes para baixo e dará fruto por cima” (Isaías 37.31).

Não leve sua cultura, leve o Evangelho – o missionário deve ter em mente que vai levar uma Mensagem do céu e não da sua nação ou cultura.

Missionário é um embaixador do céu e não um imigrante – para onde o missionário for, deve manter o entendimento de que sua cidadania é celestial, não local.

Lembre-se:

Todos esses morreram mantendo a fé, sem ter recebido as promessas; mas tendo-as visto e acolhendo-as de longe, declararam ser estrangeiros e peregrinos na terra. Os que dizem tais coisas mostram que estão buscando uma pátria. E, se estivessem se lembrando da pátria de onde saíram, teriam oportunidade de voltar.Mas agora almejam uma pátria melhor, isto é, a celestial. Por isso, também Deus não se envergonha deles, nem de ser chamado o seu Deus, porque já lhes preparou uma cidade” (Hebreus 11.13-16).

Não descuide do seu crescimento espiritual – Ser um missionário não significa ser maduro espiritualmente, mas, sim, alguém que está cumprindo o seu chamado. Ore e estude sua Bíblia diariamente. Faça disso uma prioridade no seu dia a dia.

Seja dizimista e ofertante – Não se omita de fazer essas coisas. Se você ensina isso aos outros e recebe de outros, seja o primeiro a fazer.

Lembre-se: “dai, e dar-se-vos-á; boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão; porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também” (Lucas 6.38).

(Pr. Marcos e Eunice Honório – Santiago/Chile)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques da semana​
Relacionados