Coordenação Feminina iniciou série “Mulheres Relevantes” no Instagram

Postado em
0

O perfil Feminina no Instagram, dedicado às Mulheres Verbo da Vida, iniciou a série “Mulheres Relevantes”.  A proposta busca dar visibilidade à relevância do papel feminino na Bíblia, e mostrar que Deus sempre as valorizou e sempre deu lugares de destaque a elas. Por essa razão, a advogada Alana Carvalho foi uma das convidadas para participar da referida série, que já está disponível no Instagram.

Alana tem 36 anos, é filha de Fernando e Socorro Carvalho, casada com Flávio Martins e mãe de dois filhos: Daniel e  Anne. Ela é membro da Igreja Verbo da Vida Zona Leste em Campina Grande (PB) e graduada no Rhema e Escola de Ministros. A advogada é especialista em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental. Durante entrevista inédita concedida ao Portal Verbo da Vida, ela falou sobre justiça, trabalho e família. Confira!

PORTAL: Por que escolheu o Direito?

Alana: Na verdade, eu tinha duas pretensões. Estava entre o Direito e a Medicina. Desde criança eu amava a argumentação e o senso de justiça, de querer me meter nas causas dos outros e interpelar. Então, o Direito era algo que desde criança me chamava a atenção. Sempre gostei de defender causas e não suportava injustiça. Eu tinha que enveredar por esse caminho.

Meu pai começou a me dar livros tanto de Direito quanto de Medicina. Eram coleções mais simplificadas, comecei a verificar que tinha uma vocação para a área de Humanas e fui me apaixonando. A convicção chegou quando cursava o Ensino Médio. Ainda cursando o segundo ano, prestei vestibular e passei. Naquela época, não tinha Enem e após a aprovação fui pleitear a vaga na Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Foi um período que tive que lutar pela minha vaga, mas com a greve extensa que teve na UEPB, isso facilitou a minha entrada porque, quando as aulas  voltaram, eu já estava no final do terceiro ano. Em 2008, conclui o curso de Direito. Eu tinha apenas 20 anos. Já tinha feito o concurso da Prefeitura Municipal de Campina Grande (PB) e já estava trabalhando. Fiz também a prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), antes de concluir o curso e creio que tinha um propósito nisso tudo e sempre houve favor do Senhor. 

PORTAL: Como tem sido a sua atuação na área jurídica da Prefeitura Municipal de Campina Grande?

Alana: Eu acho que, ao longo desses anos, já transitei por tudo o que é área jurídica da prefeitura. Após ser aprovada no concurso, comecei a atuar na Procuradoria do município. Passei pela Secretaria de Obras, Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente, Secretaria de Planejamento, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, pelo gabinete, passando por várias gestões, por ser efetiva na prefeitura já passei por vários setores na área jurídica.

Tive a oportunidade de ser a coordenadora do Meio Ambiente, ainda em 2008, e nessa época, um professor meu da universidade era o coordenador e ia para Espanha fazer doutorado, então ele me passou um  desafio: assumir a relatoria do Código de Meio Ambiente. Eu, muito jovem, assumi esse desafio, e foram mais de 50 audiências, então, fui a relatora e coordenadora.  Fiz três especializações na área, depois passei a atuar na área de Parcerias Público Privadas, as PPP’s. Foram muitos setores atuando dentro da Prefeitura.

Atualmente, não estou trabalhando diretamente no jurídico pois recebi o convite para presidir a Agência Municipal de Desenvolvimento, lá temos vários desafios, mas Deus está me ajudando a ter sensibilidade em saber gerir bem essa área. Estamos com uma montadora de veículos vindo para a nossa cidade, ela gerará muitos empregos, pelo menos mil empregos, diretos e indiretos. Estamos na coordenação do projeto Superação, que é um auxilio criado pela prefeitura para pessoas com baixa renda, serão 4 mil famílias assistenciadas. Creio que o propósito de Deus é que eu cumpra a minha missão e abençoe a minha cidade de alguma forma.

PORTAL: Já consultou a Bíblia para tomar uma decisão? O que aprendeu com isso?

Alana: A Bíblia é o nosso manual de instrução. Como juristas usamos muito o Vade Mecum*  Antigamente, tinha isso, porque hoje, com a internet, nós consultamos tudo de forma on-line. Mas no meu tempo de faculdade não íamos para as aulas sem ele, que era uma amostra de toda legislação essencial. Mas a Bíblia é mais que isso, é o nosso norte. É onde temos todas as respostas que precisamos.

Na verdade, todas as nossas decisões precisam estar pautadas na palavra de Deus. Nós temos o Espírito Santo que habita dentro de nós. Sei que existe a lei e o Espírito  e que precisamos ter esse equilíbrio como numa balança e, assim como existe no Direito, o símbolo da justiça é a balança também. Precisamos estar balizados e equilibrados entre a lei e a graça, entre o fruto e a manifestação do Espírito. Equilíbrio entre  legalidade e a legitimidade. Com a Bíblia aprendemos como nos comportar, como ser guiados pelo Espírito, como ter uma vida de êxito e sucesso ouvindo aquilo que o Senhor já deixou para nós. 

PORTAL: Na sua casa, você advoga em favor de um filho, por exemplo?

Alana: Com certeza! (risos). É o que eu mais ouço, principalmente do marido e do outro filho. Na verdade, a gente está sempre tomando posição, em especial, quando vejo que um está sendo injusto com o outro.

Quando está tendo ali alguma situação de desequilíbrio e tentamos colocar a balança no ponto de equilíbrio, precisamos ser justos, primeiro como filhos de Deus, esse é o nosso papel. E, claro, quem é do mundo do Direito não tem como ser diferente, tenta buscar a justiça e a conciliação, e basicamente fazemos isso com os nossos filhos. Ali vemos quem está querendo fazer manha demais, dengo demais ou querendo usar de esperteza demais, ali é a hora de advogarmos em favor do menos favorecido para trazer um equilíbrio ou a disciplina mesmo.

PORTAL: Defina justiça.

Alana: Justiça para mim tem um conceito muito amplo. Vai além da legalidade. É além do legítimo. Vai nas profundezas da legitimidade. Justiça é quando buscamos tudo aquilo que está na essência, os princípios que regem o Direito. Justiça é quando conseguimos buscar além do aspecto frio da lei, até mesmo além da legitimidade. Justiça, como diz a Constituição é aquilo que é fundamental, pétreo. Justiça é um arcabouço de tudo que é reto, certo, legitimo e justo. 

PORTAL: Como lida quando se depara  com a injustiça?

Alana: Não tem como não nos movermos quando vemos uma injustiça. Não tem como ser indiferentes e passivos, nem ficarmos inertes. Particularmente, esqueço da posição que estou. A injustiça mexe até com o que nós cremos, e eu não consigo ficar indiferente a ela. Me movo em amor e compaixão nesses casos. Existe um senso de amor ao próximo que me move e procurarei fazer sempre o melhor pelas pessoas no trabalho e na vida. Vejo tantas situações que, se não me mover em amor e justiça, não farei um bom trabalho. 

PORTAL: Qual a maior lição que você aprendeu com o Direito?

Alana: São tantas lições, mas vou citar que maior que a legalidade é o senso de justiça e legitimidade. O aspecto frio da lei nos faz tão desumanos, trazendo para nós que conhecemos a Cristo, que se não for o amor, o senso de justiça e o temor não vamos buscar, verdadeiramente, a justiça. 

Se não nos movermos em amor para com o próximo tudo isso é vão. De que é que adianta o termo frio da lei se a gente não puder estar aqui nos movendo em amor proporcionando justiça para o próximo? O que adianta eu trabalhar e não favorecer aquele que é menos favorecido, que não tem acesso ao conhecimento? O que estamos fazendo nesta terra? A maior lição é nos movermos nos princípios certos. É usarmos aquilo que Deus colocou em nossas mãos para trazermos legitimidade ao Direito, porque o nosso Pai é um Pai cheio de princípios. O nosso Deus sempre se moveu sobre eles. É isso que nos respalda seja no Direito ou no que for. 

PORTAL: Jesus é conhecido como nosso Advogado. Que atributo de Jesus aquele que cursa Direito pode pegar?

Alana: A resposta anterior já diz tudo. O nosso Deus através de Jesus mostrou que Ele é um Deus que não quebra princípios. Ele os respeita e assim como no Direito, a Constituição,  nos traz as cláusulas pétreas, o nosso Deus, desde o princípio, mostrou as cláusulas pétreas através da sua Palavra. Nela, ele deixou o mandamento como principal. Esse é um princípio que nos rege. Ele é o primeiro mandamento, devemos nos mover nos princípios. Desde que comecei a estudar Direito , entendi que Deus não quebra princípios. Quando não usamos os princípios corretos, tudo o que nós fazemos decorrentes daquilo, perde a eficácia, seu valor.   

 

Vade Mecum: De forma geral é a denominação para qualquer livro de referência de uso muito frequente. Em Direito refere-se a um compêndio das obras básicas para serem consultadas facilmente. Pode ser genérico, trazendo o texto da Constituição vigente, os códigos e as leis gerais, mas pode ainda ser especializado e compilar a legislação de uma determinada área do Direito.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA