Emoção marcou evento para as mães no presídio feminino em Aracaju (SE)

Postado em
0

Uma atmosfera emocionante e de muita rendição tomou conta do Presídio Feminino (Prefem), localizado no povoado Tabocas, no município de Nossa Senhora do Socorro, na grande Aracaju. Em comemoração ao Dia das Mães, o projeto de assistência social nos presídios, coordenado pela Igreja Verbo da Vida em Aracaju (SE), promoveu uma tarde de adoração, ministração da Palavra de Deus, homenagens e distribuição de lanches para as internas daquela unidade prisional. O resultado foi uma tarde de salvação, perdão, cura e 42 vidas convertidas a Cristo.

A programação especial, organizada por Miquéias Leite da Silva, líder do projeto, aconteceu no pátio do Prefem, das 14h às 16h30, e contou com a participação de mais de 250 pessoas, entre as mulheres internas e os funcionários do local.

Para ser realizado, o evento precisou do reforço de outros departamentos da igreja. Assim, uma equipe extra foi convocada para dar conta das demandas da programação, que também teve o apoio e a presença do pastor Ricardo Mendonça.

Quem também deu sua contribuição foi o Departamento de Música da igreja local, por meio das canções, proporcionando um ambiente favorável para a recepção da Palavra. Já a ministração ficou a cargo de Paula Pasquetti, esposa do pastor Rodrigo Pasquetti.

Em vários momentos, as reclusas se emocionaram e não puderam conter as lágrimas. A ministra da tarde iniciou sua participação lendo duas cartas. A primeira, de uma criança de nove anos, endereçada à mãe que se encontrava reclusa. A segunda, de uma mãe para uma filha interna. Em seguida, a ministra falou sobre o amor de Cristo, levando as mulheres a se renderem por meio da confissão de salvação. No final, elas ainda desfrutaram de um momento de comunhão, enquanto saboreavam o lanche oferecido pela igreja.

TESTEMUNHOS

Segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional, em 2021, o Brasil registrava mais de 30 mil mulheres encarceradas. Uma delas é “C.P.D”, de 40 anos, reclusa no Prefem há três anos. Ela contou que conheceu Jesus na prisão e reconheceu o quanto o Senhor tem feito por sua vida, ainda que restrita a uma cela.

“Mesmo eu estando privada da liberdade, separada das pessoas que amo, Ele me deu ânimo e esperança. Os ensinamentos da igreja abriram os meus olhos espirituais. Hoje, eu sei que até mesmo uma árvore com a raiz podre, em Deus, encontra vida. Então, aos poucos, estou vendo Jesus restituir minha vida, minha casa e as pessoas que estão a minha volta. Por isso, sou grata pelas pessoas que chegaram até aqui na cadeia para falar sobre Jesus para mim”, declarou.

Quem também foi impactada foi “A.B.S.”, de 38 anos, que diferente da colega de presídio, já conhecia a Jesus antes de chegar ao Prefem.

“Mas eu optei por outro caminho e foi preciso eu vir parar neste lugar para conhecê-lO de verdade, através da Igreja Verbo da Vida, que envia essas pessoas para falar sobre Jesus para nós. Eu pude me reconciliar com Ele e, hoje, eu sou uma ex-traficante e ex-drogada. Lá fora, eu usava muita droga, bebia muito e vivia na balada, mas no dia seguinte sentia uma depressão, um vazio enorme. Agora, Jesus preencheu esse vazio. Ele é tudo para mim e, mesmo estando privada da minha liberdade, eu sou feliz. Estou reclusa há seis anos e seis meses e só venci esse tempo porque Jesus esteve comigo”, compartilhou.

Ela continuou seu depoimento, destacando experiências de cura por meio da fé.

“Jesus me curou de um mioma no útero, curou a minha mãe de trombose, restaurou a vida da minha filha que tem 17 anos e estava perdida nas baladas, mas hoje faz faculdade de Direito. Hoje eu sou curada e posso confirmar, com exames, que a cura aconteceu. A Palavra de Deus mudou a minha vida. Eu desejei, durante cinco anos, me reconciliar com meu irmão que está preso na cidade de Tobias Barreto. Então coloquei isso em oração e também jejuei, orei e descansei. Certo dia fui procurada pela assistente social do Prefem, que me surpreendeu com uma chamada de vídeo da assistente social do presídio onde está o meu irmão. Ele pediu essa ligação para falar comigo e, naquele momento, eu pedi perdão e recebi o perdão dele. Eu ainda tenho cinco meses de pena para cumprir, mas sairei daqui levando Jesus comigo para nunca mais deixá-lO”, concluiu.

Augusto Henrique de Jesus, diretor do Prefem, ressalta a diferença que essas ações promovem no ambiente prisional. “Esse trabalho tem impactado, não só a vida das internas, mas também a vida dos servidores deste lugar. É um trabalho que não pode parar nunca. A Palavra de Deus e os louvores trazem paz e harmonia para este ambiente. Eu só tenho a agradecer, especialmente, ao pastor Ricardo, ao pastor Miquéias e toda sua equipe, pois fomos presenteados com esse evento. As portas deste presídio estão abertas para trabalhos desse nível”, finalizou.

Voluntária do projeto da igreja nos presídios desde 2017, Elaine Santos foi uma das responsáveis pela programação e falou com emoção sobre o Dia das Mães especial:

“A Palavra de Deus causa impacto na vida delas e também na nossa, porque a gente vê o poder que essa Palavra tem de quebrantar corações que estão totalmente endurecidos, voltados para o pecado e para o crime. Eu digo muito a elas que não tem como mudar o passado, mas elas podem, sim, ressignificar a vida delas, mudar o futuro, fazer com que o passado delas se torne um testemunho para edificar a vida de outras pessoas. Eu conheço meninas que já estão na rua, em liberdade, e hoje são mães de família, e escreveram sua história novamente, através do Poder da Palavra”, disse.

Sobre o envolvimento da equipe no trabalho, da qual seu esposo, Carlos Dias Santos, também faz parte, ela destacou: “Você ter uma equipe disposta a entrar no presídio e falar do amor de Cristo para aquelas pessoas, independentemente do crime que tenham cometido, simplesmente crendo que a Palavra tem o poder de transformar a vida delas, é o amor de Deus em movimento”, celebrou.

ATUAÇÃO NOS PRESÍDIOS

O projeto de assistência social nos presídios existe há mais de 15 anos, através da Igreja Verbo da Vida em Aracaju. Suas ações levam o Evangelho às unidades prisionais, impactando a vida dos reclusos, dos familiares e dos funcionários desses locais. 

Em Sergipe, o projeto desenvolve ações semanais em quatro presídios: Presídio Feminino (Prefem), Cadeia Territorial de Nossa Senhora do Socorro (Cadeião), Complexo Penitenciário Advogado Antônio Jacinto Filho (Compajaf) e Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan).

O objetivo final é resgatar vidas para Jesus e ajudar na ressocialização dos presos, inserindo-os novamente na sociedade, como cidadãos transformados pelo poder da Palavra!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA