Conheça os novos diretores da Escola de Ministros em Campina Grande (PB)

Postado em
0

Este ano, Reuel e Camila Santos assumiram a diretoria da unidade sede da Escola de Ministros Rhema (EMR), em Campina Grande (PB). Eles são casados desde 2018, mas, antes disso, já eram colaboradores do Ministério Verbo da Vida, ele na Comunicação, ela no auxílio à Sylvia Lima, na Coordenação Feminina e também na própria supervisão da EMR.

Reuel é filho do pastor Marconde e Gildete Santos, os quais lideraram por anos a igreja e o Centro de Treinamento Bíblico Rhema, em Guarulhos (SP). Em 2010, Reuel se mudou para Campina Grande, para estudar justamente na Escola de Ministros. Desde então, tem se destacado no ministério de socorros e também há vários anos como professor do Rhema.

“Reuel é uma das pessoas mais fiéis com quem já trabalhei e sei que Deus o está honrando para que ele multiplique o seu coração de servo nos alunos que estarão sob os seus cuidados”, disse Perilo Borba, coordenador de Reuel no MVV.

Camila é de Brasília (DF), onde foi graduada na EMR itinerante em 2014. Viajou a Campina Grande para estudar na Escola de Missões Rhema, em 2016. Ela também se destaca pela sua disponibilidade e o seu dinamismo na obra do Senhor.

Em entrevista, eles compartilharam sobre esse novo tempo na direção da Escola:

Quais as maiores expectativas para esse tempo à frente da Escola de Ministros Rhema?

As minhas expectativas são altíssimas. Principalmente porque sabemos que na escola teremos um ambiente de influência, de firmeza e de crescimento na vida das pessoas. Os ministros serão treinados, para principalmente não terem medo e não serem vulneráveis, mas acreditando sempre que a Palavra de Deus é o que nos transforma para transformarmos os outros. Afinal, a Palavra é a verdade e ela é a base para a nossa vida. Que os alunos sejam impactados com isso. Estamos crendo em uma turma boa com cerca de 120 alunos. 

CAMILA – Estamos crendo que o Senhor fará grandes coisas e trará pessoas para a Escola com esse coração de querer aprender, servir, reconhecendo que é importante seu trabalho para o ministério, sendo alívio e socorro para as pessoas. Porque isso é que é ministério: trabalho, ajudando outras pessoas, aliviando as cargas delas. Cremos em um ano próspero, sobrenatural, com alunos sedentos e comprometidos.

Como receberam o convite para dirigir a Escola de Ministros no próximo ano?

REUEL – Nós estávamos com uma expectativa em dar um novo passo em nossa vida. Um novo rumo mesmo, no âmbito ministerial e pessoal. Em um momento nós compartilhamos com os nossos líderes sobre o nosso desejo de sermos treinados para desempenhar coisas novas para as nossas vidas. Inclusive, conversamos também com o Apóstolo Guto Emery, compartilhando com ele desejos do nosso coração, foi uma conversa franca e entre amigos, e como conselheiro que ele é para a gente, ali ele nos deu essa missão e, claro, aceitamos, até porque eu não quero deixar de receber e seguir uma ordem de Guto (risos). Aprendi com o pastor Bud Wright que é muito difícil negar o comando de alguém quando ele é um líder tão confiável para nós.

Camila, há 6 anos, você tem trabalhado ao lado de Sylvia Lima. Agora, a sua supervisora! Como foi esse tempo de treinamento?

CAMILA – Comecei a trabalhar com Sylvia porque ela precisava de alguém para ajudá-la nos bastidores da Coordenação Feminina e das Escolas de Ministros. Comecei voluntariamente, depois fui contratada como funcionária. O maior aprendizado que eu tenho ao trabalhar com ela é permanecer firme nos dias fáceis e nos dias difíceis. É fazer aquilo que está no coração do Senhor e ser um instrumento de Deus para ajudar pessoas. Sylvia é alguém que trabalha com muito amor e isso é visto muito mais nos bastidores.

E, para você, Reuel, o que qualifica um bom ministro?

REUEL – Eu acredito que a primeira característica e talvez a principal é o caráter, com integridade e honestidade, porque a Escola tem esse foco maior em desenvolver muito a parte técnica e doutrinária. Mas, claro, não deixando de abordar as áreas que citei inicialmente e estabelecer bem a qualificação do ministério. É mais fácil você ensinar uma pessoa que é íntegra sobre as demais coisas, do que você ensinar a uma pessoa que tem muitas habilidades, que fala bem, prega bem, é eloquente, entende e conhece a doutrina, mas não tem caráter.

Para encerrar, deixe um conselho para os jovens ministros:

REUEL – Para mim é muito importante se manter na visão. Cresci neste ministério e sei o quanto vale a pena ser fiel à visão. Por isso, aos jovens, deixo dois conselhos:

1- Você que fica pensando: “Ah, faço uma faculdade ou faço o Rhema?”. Se você tem tempo, faça os dois. Ambos lhe darão base e estrutura em áreas diferentes. Mas, uma coisa é certa, sem o Rhema, com certeza você terá muito mais dificuldades em se manter firme e estruturado espiritualmente para cumprir o chamado de Deus.

2- Seja um jovem que preza por valores. Valorize coisas sustentáveis como honestidade, integridade e a verdade. Não minta! Não tenha dificuldades em obedecer, quer seja aos seus pais ou a outra autoridade. Assim como não desrespeite as regras, seja em casa, na escola, na igreja ou no trabalho, etc.

Como filho de pastor, cresci com a referência do meu pai. Inclusive, meus pais já foram os diretores da Escola, minha irmã mais velha foi diretora do Rhema em São Paulo, e isso me mostra uma boa herança que eles têm me passado. Isso me mostra disposição para o trabalho, algo que é realmente uma característica na nossa família. Mas não estou nessa posição, hoje, porque sou filho do pastor, mas entendo como parte do que Deus tem para a nossa vida.

Seja aquilo que Deus o chamou para ser! Manter-se na visão vai lhe trazer crescimento. Estar dentro de uma igreja, envolvido nos departamentos, mesmo que não seja pregando nos púlpitos, é manter-se na visão também. Congregue e sirva o máximo que puder, é isso!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA