PELA VIDA: Marcha do Verbo em Campo Grande, no Rio, levou avivamento às ruas

Postado em
0

Em novembro, os membros da Igreja Verbo da Vida de Campo Grande, no Rio de Janeiro (RJ), liderados pelo Pastor Caoxande Chianca e sua esposa Marcela Chianca, realizaram uma Marcha pela Vida, percorrendo as ruas do entorno da igreja em obediência a uma direção recebida pelo Pastor.

Segundo o Pr. Caoxande, em 2019, quando a igreja vivia o ano da Consolidação, ele recebeu a inspiração de cantar a música Quão Grande é o Meu Deus na rua, para que as pessoas ouvissem sobre a grandeza de Deus. Como estava próximo do fim do ano, e a agenda de eventos da igreja teria início a partir de março de 2020, período em que a pandemia chegou, foi necessário aguardar.

Finalmente, com a chegada da vacina e o gradual retorno às atividades, a inspiração foi crescendo outra vez até que, no dia 24 de outubro do corrente ano, quando o Pastor Vitor Mesaque, do Verbo da Vida de Três Lagoas (MS), ministrava um culto, a convite, o Pastor Caoxande recebeu uma direção:  

“Veio muito forte que era tempo da gente ganhar o nosso quarteirão. Ao final do culto, levantei-me e pedi para fazermos um ensaio dentro da igreja. As pessoas abraçaram a visão e fizeram. Ali ficou definido que a data seria no dia 2 de novembro. Depois disso, recebi o entendimento de que essa data não se tratava apenas de um feriado, mas era Dia de Finados e, após 20 meses de pandemia, com tantas vidas ceifadas, era como se Deus estivesse dizendo para dar um basta nesse processo de morte.”

O Departamento de Eventos organizou a programação, que seguiu três etapas: às 9h da manhã ocorreu a concentração na igreja, para recebimento de instruções gerais e oração pelo evento; às 10h foi a saída para a marcha, que teve um momento de parada em frente ao viaduto, um importante via de ligação entre os dois lados de Campo Grande, onde foram feitas orações e declarações profetizando bênçãos para o bairro e seus habitantes; finalmente, às 11h, houve o retorno à igreja para encerramento.

Mais de 300 pessoas foram contabilizadas, incluindo adultos e crianças. O pastor afirmou ter se impressionado com o grande número de presentes, sobretudo por ter se tratado de uma manhã chuvosa. Outra grata surpresa para ele foi a organização, cada um tomou para si a responsabilidade, dentro da sua área de atuação.

Tudo o que ele fez foi apresentar para a igreja a direção conforme recebeu, sem muitos detalhes de como seria. Mas, quando viu, a organização estava completa. Foram providenciados carro de som, microfones, balões brancos, acompanhamento da Guarda Municipal, músicos, banda, entre outras coisas que possibilitaram tranquilidade e o fluir da unção. O líder operacional, Thiago Benetti, resumiu o sucesso que impactou o pastor: “A unidade no aceite à convocação e na realização das atividades resultou na concretização do evento”.

Em um dia que era para ser triste, foi possível ver uma grande alegria em todos os envolvidos, que foram impactados e animados pelo poder do Espírito Santo. Um exemplo desse poder está no testemunho de Verônica Ferreira, profissional da beleza, que participou da Marcha:

“Jamais pensei em viver um momento como esse, com o mover e a unção que foram emanados. Minha cliente de 84 anos, que é vizinha da igreja, estava sozinha em casa, com saudade do marido e da mãe, e esperando os filhos que ainda não a tinham ido visitar. Ela estava no portão e eu parei um pouco lá, orei por ela, que estava chorando, tristinha e ela se alegrou; disse que a nossa passagem, com a aquela cantoria toda, transformou o ambiente de tristeza e opressão em que ela se encontrava, tornando a sua tarde mais tranquila e feliz, inclusive recebendo a visita do seu filho.”

O pastor Caoxande acredita que esse foi só o início de grandes coisas que estão sendo destravadas:

“Deus colocou uma visão em meu coração, de uma pequena onda, como as provocadas quando se atira uma pedra na água. Primeiro ela faz um círculo, depois outro, e outro, até seu raio chegar à margem. Eu creio nessa visão. O Senhor está nos dando o quarteirão e a partir desse quarteirão, tem uma promessa de avivamento, com ondas maiores que atingirão todo o bairro de Campo Grande, e vai fluir a partir de nós. A unção que provamos me deu a percepção de que algo se rompeu espiritualmente. Ainda estamos discernindo o que vai ser, mas temos a certeza de que o melhor lugar é o da obediência. Deus deu uma instrução, ainda não temos todos os dados, mas é sempre melhor obedecer do que sacrificar. Tenho a percepção de que esse não foi um evento único. Foi só uma demonstração. Deus nos chamou para algo que a igreja abraçou e demonstrou que é capaz de fazer coisas grandes. Creio que essa foi a primeira marcha de muitas outras que vão surgir e os raios dessa onda vão aumentar.” 

A direção de Deus transformou aquele feriado, que é marcado por ser uma data triste, em um dia de alegria e festa. Há, também, a certeza nos corações da liderança e de toda a igreja de que aquele dia transformou não só o visível, mas principalmente o espiritual. Certamente os frutos deste ato de fé serão vistos em breve, como sempre acontece quando obedecemos à instrução do Senhor.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA