Termine 2020 sem frustração

Postado em
0

por Guto Emery

No campo ministerial passamos por algumas estações e precisamos aproveitar e pegar algum material para a nossa vida para nos fortalecer e não nos desanimar. As frustrações também fazem parte do ministério. Não é bom passar por uma frustração, mas ela nos ensina coisas importantes na vida.

Olhando para a vida de Jesus e de todos os outros personagens importantes na Bíblia, podemos ver que essas pessoas passaram por frustrações. Você lembra do que tem escrito em Marcos 6 quando Jesus não pode fazer ali muitos milagres? Eu acredito que Jesus deve ter ficado um pouco frustrado. Não é que Ele não queria. Às vezes, quando a gente quer fazer uma coisa e não consegue fazer, lidamos com frustração. Mas Jesus não diminuiu intensidade que Ele tinha no ministério.

O que é importante saber é que quando uma porta se fecha, ou uma situação não dá certo, a gente não deve desistir, desanimar, mas avançar para aquilo que Deus tem para a nossa vida e a vida de outras pessoas. É importante você saber que é encarregado por Deus para atuar e ativar o poder divino na vida de muitas pessoas. E se você desiste, talvez essas pessoas não tenham chance de ser tocadas pelo poder do Senhor.

Diante disso, eu quero despertá-lo para algumas coisas que são bem importantes. Lidamos com situações que vêm sobre as nossas vidas e simplesmente acontecem, sem que tenhamos controle sobre elas. Por exemplo, Jesus narrou o desejo que Ele tinha de passar para outra margem do barco no lago e foi para dentro do barco com seus discípulos. Eles se depararam com uma tempestade e sabemos que essa tempestade não foi promovida por Deus. Deus não estava querendo ensinar algumas coisas para eles colocando aquela tempestade. Se Deus tivesse feito a tempestade e Jesus a tivesse repreendido, Jesus estaria repreendendo uma obra de Deus. E sabemos que aquilo não era uma obra de Deus.

Então nós sabemos que, mesmo que haja uma direção divina para cumprirmos e saibamos o que fazer, situações podem se levantar influenciadas pelo diabo, por pessoas ou por algo que não quer nos deixar avançar. Por isso quero que você entenda que essas frustrações de não chegar lá, na hora que a gente quer, podem acontecer. É importante a gente não se desconectar do plano de Deus porque as coisas não aconteceram no dia que a gente quer, da maneira que queremos, da forma como a gente espera.

Se o apóstolo Paulo fosse desistir do chamado de Deus e da vontade de Deus, por causa de situações que o impediram de chegar no objetivo que tinha, a gente não teria o Evangelho conosco. Não teria as cartas de Paulo. Mas, pelo contrário, mesmo que o diabo o impediu de ir para alguns lugares e, inclusive, ele narra isso com uma simplicidade tão grande, ele diz: “Quis ir até vocês por duas vezes, mas Satanás me impediu de avançar, me impediu de chegar até vocês”. Então, por vezes, ele relata em suas cartas que foi impedido.

Outras vezes, o apóstolo Paulo decidiu que sendo uma porta aberta de Deus, ele não sentiu paz. Pense nisso, mesmo sendo o próprio Deus abrindo a porta para ele, Paulo disse: “Eu não tenho tranquilidade no meu espírito”. O que é não ter tranquilidade? Falta dessa paz para ele avançar em algo que ele sabia que era uma porta divina, mas porque ele não encontrou a base correta para poder trafegar e avançar, por causa de um certo amigo que ele tinha no ministério, ele decidiu não entrar nessa porta. Tem coisas que nós podemos analisar e de alguma forma perceber e nunca desistir.

A frustração vem de várias áreas, por exemplo, você pode perder um ente querido e eu posso dizer que por um motivo como esse eu poderia ter ficado frustrado, quando perdemos familiares esse ano, (nem considero uma perda, porque ele está salvo), nós precisamos entender que a morte não é uma destruição, a morte é uma porta de passagem para outra vida, para um lugar melhor. Mas é possível ter pessoas que ficaram frustradas por perdas de parentes.

Tivemos perdas consideráveis no ministério com a partida do apóstolo Bud Wright, do profeta Gilson Lima que foram pessoas emblemáticas na nossa vida. Quem nunca teve uma profecia de Gilson Lima…Quem nunca teve uma lembrança da atuação do apóstolo Bud Wright no ministério? Convivemos com essas perdas, sem desistir. Por mais que eles tenham sido pessoas tão importantes na nossa vida, não podemos deixar de fazer aquilo que Deus quer, não podemos deixar de fazer aquilo que é a vontade de Deus. Porque se nós pararmos pessoas vão sofrer lá na frente. Por isso precisamos saber lidar com o sentimento de frustração que vem para todos nós.

Talvez você pense: “Chegou uma frustração na minha vida, eu estava querendo ir para um lugar e não consegui o visto, o que é que vou fazer? Vou abandonar o ministério”. Sabe que tem muita gente que abandona o ministério? Tem gente que abandona, porque alguém disse não, que não pode ir agora. Tem muita gente que abandona, porque perdeu entes queridos. A gente poderia abandonar o plano de Deus por causa disso? Alguns podem dizer: “O que posso fazer quando não estou conseguindo nem ouvir trovão, quanto mais a voz de Deus”. Eu lhe digo: permaneça fazendo o que você sabe que deve fazer. Se encaixe na igreja local. Vá fazer alguma coisa que puxe de você alguma responsabilidade. Enquanto isso, vá se preparando para quando a porta se abrir e você avançar.

Gosto do livro de Tony Cooke, chamado “Seu lugar no time dos sonhos de Deus”. Ele mostra tantas pessoas que passaram por frustrações na vida, pessoas que passaram por diversas circunstâncias e, não mostra pessoas apenas do meio cristão, mostra no meio profissional também. Pessoas que são destaques hoje para nós que passaram por problemas e muitas dificuldades, mas não desistiram.

Em um dos exemplos, o autor estava falando sobre ter persistência diante de um fracasso e fala de um jogador americano chamado Michael Jordan que era um jogador de basquete excelente e Tony Cooke diz o seguinte: “Michael Jordan era considerado por muitos o maior jogador de basquete de todos os tempos e o jogador disse: ‘Eu errei mais de nove mil arremessos em minha carreira, perdi quase 300 jogos, 26 vezes me confiaram o arremesso que nos daria a vitória no jogo, e eu errei. Fracassei muitas vezes em minha vida e foi por isso que eu tive sucesso’. Na realidade nossa atitude em relação ao fracasso é sempre mais importante do que o fracasso em si”. 

Henri Ford diz: “Fracasso é simplesmente a oportunidade de recomeçar, desta vez, de maneira mais inteligente.” É importante salientar que eu não estou falando de fracasso, quando diz respeito a pecado. Estou falando sobre frustração e fracasso, quando você está tentando avançar para uma obra, que é de Deus e, muitas vezes, você não consegue fazer da maneira correta e, de alguma forma, se frustra, fica abalado e quer desistir.

Não desista do que Deus começou a fazer na sua vida!

Muitas vezes, fazer o trivial, o normal, é o que mantém o Corpo de Cristo em funcionamento. O apóstolo Bud falava algo interessante e guardei pra mim: “É melhor fazer poucas coisas bem-feitas do que fazer muitas coisas malfeitas.”

Se concentre no que faz, faça o seu melhor! O que você está fazendo está contribuindo para Deus… Então, você está fazendo algo muito importante. O nosso trabalho é muito importante para o Senhor. Aquilo que fazemos dá base para que estruturas em outras nações possam acontecer. Não olhe para o que está fazendo como se fosse algo desprezível. Saiba que você faz parte de um time poderoso. 

Eu dou graças a Deus pelo início do ministério em Campina Grande. Muitos perguntam: “Guto, o que você fez para estar tão próximo ao apóstolo Bud Wright?” Eu respondo: disponibilidade, somente isso. Essa palavra disponibilidade diz muito, porque disponibilidade para ajudar uma pessoa não escolhe o que fazer, faz o que tem para ser feito. Eu sempre tive esse coração e permaneço agindo assim até hoje.

Alguns dizem: “Eu estou nessa função por anos…” Irmão, você precisa saber lidar com as suas frustrações. Talvez, na sua cabeça nada esteja acontecendo, talvez o diabo fale para você, mas fulano está fazendo assim e está avançando mais…

Querido, Deus tem uma visão para você e é bom você se encaixar nessa visão. Nem sempre as urgências ou o chamado de Deus vão chegar iguais para todo mundo, mas não deixe que a frustração o faça desistir do que Ele começou a fazer na sua vida.  Existe um trabalho de paciência só seu, e saber esperar as coisas acontecerem no tempo de Deus e na vontade d’Ele vai ajudá-lo a amadurecer. 

O irmão Kenneth Hagin abriu o Rhema com quase 60 anos, quando muitos estão esperando se aposentar, ele estava começando algo tão grandioso para o Reino de Deus. O Rhema foi um caminho traçado e trilhado com paciência na vida dele. 

A pandemia, em 2020, nos mostrou que precisamos parar algumas coisas, mas outras coisas aceleramos. Este ano foi de muito mais trabalho para nós, e o ano que vem será muito melhor e maior, mas depende de sua atitude. Você vai cumprir a visão de Deus na sua vida. 

Termine 2020 sem frustração e não desista daquilo que Deus começou a fazer na sua vida. Feliz Ano Novo!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA