JESUS: O verdadeiro sentido do natal

Postado em
0

por Klycia Gaudard
*Coordenadora dos Recursos Humanos do Ministério Verbo da Vida

“Por esta razão, importa que nos apeguemos, com mais firmeza, às verdades ouvidas, para que delas jamais nos desviemos. Porque, se a palavra falada por meio de anjos se tornou firme, e toda transgressão ou desobediência recebeu justo castigo, como escaparemos nós, se não levarmos a sério tão grande salvação? Esta, tendo sido anunciada inicialmente pelo Senhor, depois nos foi confirmada pelos que a ouviram” (Hebreus 2.1-3).

Quando nos tornamos pais, é gerado  algo em nós que nunca havíamos experimentado – surge um amor incondicional. Você vê seu filho se machucar, por exemplo, e dentro de você vem o desejo de trocar de lugar com ele, para que, de alguma forma, você possa poupá-lo daquela dor. Mas sabemos que isso não é possível.

Na verdade, isso já foi feito uma vez, e não foi uma substituição temporária, passageira, que precisa ser renovada a cada ano. Foi uma substituição completa! Jesus não foi um mártir que se colocou na nossa frente, Ele foi o nosso substituto.

Desde o princípio, Jesus era um com Deus. Ele fez parte da criação de todas as coisas. Ele abriu mão de tudo que Ele era; da sua condição; sua essência. Tudo isso para nascer como um ser humano e para que um plano de redenção se cumprisse.

Precisamos fazer uma reflexão acerca do significado do Natal. Que este ano possamos ter um novo entendimento sobre essa data.

A mensagem do Natal não é apenas sobre o nascimento de Jesus, mas sobre a vida d’Ele e o que Ele fez por nós. O Natal não é sobre ceia natalina; não é amigo secreto; não é receita nova na internet; não é comprar roupa vermelha. Essas são coisas lícitas, mas não são o sentido do Natal! A mensagem do Natal envolve o que Jesus conquistou nas cruz. Ele assumiu nosso lugar para que fôssemos um com Ele.

Para que essa mensagem tenha sentido, precisamos ser Corpo de Cristo, andando como ele andou e fazendo o que ele fez, pois Ele mesmo nos prometeu: “Aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará” (João 14.12).

Jesus sabia que tinha um propósito. A vida d’Ele era tão impactante, que as pessoas eram influenciadas e saiam falando d’Ele pra os outros. Assim como quando provamos algo bom e temos o desejo de espalhar pra todo o mundo, assim eram as pessoas que tinham contato com o Senhor Jesus. Elas tinham a necessidade de compartilhar e é isso que precisamos fazer: influenciar pessoas com a mensagem do Evangelho.

O último ato de Jesus antes da vinda do Consolador, como está escrito em João, foi um ato de serviço – Ele lavou os pés dos discípulos. Esse era seu último momento de comunhão e Ele poderia ter feito qualquer coisa, mas decidiu fazer uma ceia e servir. Essa é a verdadeira mensagem do Natal: serviço!

A mensagem do Natal envolve ser útil pra alguém, como uma garçom, servindo com a vida. É o amor externado através de um ato de serviço. A mensagem do Natal, claro, é o cumprimento de muitas profecias que envolvem o nascimento de Jesus, mas também deve envolver  a Sua vida e a forma como Ele se conduziu em amor.

“Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores e que sabe o que é padecer. E, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e dele não fizemos caso. Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o considerávamos como aflito, ferido de Deus e oprimido” (Isaías 53.3,4).

Como podemos ver em Isaías 53, o sofrimento físico de Jesus foi terrível, contudo, maior que isso, foi a separação dele com o Pai.  O plano de redenção é aquilo que Ele fez, assumindo nosso lugar e oferecendo o próprio sangue em sacrifício.

A mensagem natalina precisa ser a mensagem da cruz. É  uma mensagem que inclui o nascimento, a morte, mas, acima de tudo, a ressurreição. Ele morreu, foi ao inferno, mas agora está assentado à destra do Pai. Ele vive!

Agora temos um advogado a nosso favor. Ele está à direita de Deus Pai e nos garante que: Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça (1 João 1.9). Não temos permissão, nem concessão para pecar, mas como diz a Palavra, “se alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo”(1João.2.1).

Quando erramos, ferimos a justiça, quando nos arrependemos, encontramos misericórdia.

Neste Natal, precisamos ser representantes de Cristo; representantes do amor, serviço e unidade. Somos o reflexo na salvação; somos o retrato dela e precisamos dizer às pessoas quem é Jesus. As pessoas ainda estão com medo, perdidas…as portas estão abertas para a pregação do Evangelho. Abra a boca e seja Jesus para essas pessoas. Existe unção pra você fazer isso. Existe unção para as pessoas serem curadas através de você. Eu e você somos a solução. Não precisamos de presente de Natal, nós somos o presente.

Seja por telefone, vídeo ou presencialmente, seja o reflexo de Jesus. Nós carregamos a mensagem da cruz e representamos a vida de Deus.

No Salmo 23, percebemos que servimos a um Deus que tudo provê. Ele abre portas, faz seu salário multiplicar e supre suas necessidades. Ele nos faz repousar em tempos de angústia e  refrigera nossa alma. Existe consolo do Senhor para nossa família. Hoje somos livres da maldição da morte, da miséria. Ele é nosso mediador e o nosso bom pastor.

Existe um propósito na vida de cada um de nós. O que carregamos é muito poderoso pra ficar represado. Que os rios fluam ao abrir da nossa boca. Que haja percepção espiritual, para sabermos o que dizer, quando e como dizer.

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA