Uma vida de oração fervorosa

Postado em
0

por Manoel Dias

Nós somos casa de oração e a Bíblia é o manual. Vamos tocar em coisas do trono e essas coisas irão nos tocar também. Temos uma chamada para o alto, para estarmos com o Senhor em comunhão, mas também para orarmos por coisas da nossa vida pessoal, família, igreja e, também, para intercedemos por outras pessoas. 

Vamos ver especificamente sobre a vida de oração de Daniel e o que tem a ver conosco e a igreja dos dias atuais. O livro de Daniel não é uma historinha do passado, mas reflete coisas dos nossos dias. Estamos vivendo os dias finais e Daniel foi um profeta desses dias. Encontramos ele como um homem de oração. Daniel estava na Babilônia, mas a Babilônia não estava nele, ele estava na Babilônia, mas ele se conectava com o Deus de Israel. Isso nos influencia como igreja, mesmo vivendo no mundo natural, existe um caminho vertical para o trono de Deus.

Em Daniel 2.16-19,23 está escrito: “Foi Daniel ter com o rei e lhe pediu que designasse o tempo, e ele revelaria ao rei a interpretação. Então, Daniel foi para casa e fez saber o caso a Ananias, Misael e Azarias, seus companheiros, para que pedissem misericórdia ao Deus do céu sobre este mistério, a fim de que Daniel e seus companheiros não perecessem com o resto dos sábios da Babilônia. Então, foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; Daniel bendisse o Deus do céu”.

Vemos Daniel, aqui, como um homem de oração, ele teve um desafio e buscou amigos para orar.

A Bíblia diz que devemos orar junto aos irmãos. Não desfaleça na sua vida de oração! 

Daniel teve uma vida influente na terra por causa da sua vida com Deus. A Igreja vai ter influência na terra quando ela tiver a atmosfera do Trono. Se posicione com as coisas do alto (Colossenses 3.1-2)

Em Daniel 6.10-12 está escrito: Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa e, em cima, no seu quarto, onde havia janelas abertas do lado de Jerusalém, três vezes por dia, se punha de joelhos, orava e dava graças diante do seu Deus, como costumava fazer. Então, aqueles homens foram juntos, e, tendo achado a Daniel a orar e a suplicar, diante do seu Deus, se apresentaram ao rei, e, a respeito do interdito real, lhe disseram: Não assinaste um interdito que, por espaço de trinta dias, todo homem que fizesse petição a qualquer deus ou a qualquer homem e não a ti, ó rei, fosse lançado na cova dos leões? Respondeu o rei e disse: Esta palavra é certa, segundo a lei dos medos e dos persas, que se não pode revogar”.

Mesmo com decretos, Daniel entendeu que importa mais obedecer a Deus do que aos homens. Ele se posicionou no seu costume que era saudável, de aliança, no costume da consciência de estar sempre conectado com o Deus de Israel. Na Nova Aliança estamos com o caminho do Trono aberto, você tem os céus ao seu favor! Jogaram Daniel na cova dos leões e não aconteceu nada, os leões ficaram dominados pela Presença, pela atmosfera celestial. Quando você carrega a atmosfera dos céus, ela vai deter as circunstâncias, vai dominar as intimidações, vai paralisar a afronta do diabo e vai ser notório que servimos a um Deus vivo e não a um deus morto.

Eu declaro um fogo de oração na sua vida, se você estava longe, você vai ficar com essa influência do Espírito de Deus, declaro toda frieza e mornidão ficando para trás. O leão é que vai ficar calado! 

Voltei o rosto ao Senhor Deus, para O buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza. Orei ao Senhor, meu Deus, confessei e disse: ah! Senhor! Deus grande e temível, que guardas a aliança e a misericórdia para com os que te amam e guardam os teus mandamentos. Falava eu ainda, e orava, e confessava o meu pecado e o pecado do meu povo de Israel, e lançava a minha súplica perante a face do Senhor, meu Deus, pelo monte santo do meu Deus. Falava eu, digo, falava ainda na oração, quando o homem Gabriel, que eu tinha observado na minha visão ao princípio, veio rapidamente, voando, e me tocou à hora do sacrifício da tarde. Ele queria instruir-me, falou comigo e disse: Daniel, agora, saí para fazer-te entender o sentido. No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado; considera, pois, a coisa e entende a visão” (Daniel 9.3-4;20-23).

Daniel estava intercedendo pelos hebreus na Babilônia, essa é uma noite de intercessão por outras pessoas. Temos que nos achegar a Deus, buscar a Sua face. O ministério dos anjos foi ativado nesse contexto, se orarmos o ministério dos anjos é ativado. 

O que me chama muita atenção é que o anjo Gabriel disse que Daniel era muito amado! Daniel tinha um ibope grande na Babilônia, ele era um governador, mas sabe onde Daniel era conhecido? No Trono. Por causa da nossa vida de oração seremos conhecidos no Trono! Quando oramos, os anjos vêm, não precisamos ver, é pela fé, eles estão a serviço de nós que somos herdeiros da salvação. Nos últimos dias, a Igreja vai começar a vivenciar coisas que a Igreja primitiva experimentou.

Daniel 10.10-13 diz: Eis que certa mão me tocou, sacudiu-me e me pôs sobre os meus joelhos e as palmas das minhas mãos. Ele me disse: Daniel, homem muito amado, está atento às palavras que te vou dizer; levanta-te sobre os pés, porque eis que te sou enviado. Ao falar ele comigo esta palavra, eu me pus em pé, tremendo. Então, me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, foram ouvidas as tuas palavras; e, por causa das tuas palavras, é que eu vim. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia”.

O diabo quer impedir, atrapalhar, a nossa vida de oração! Eu vejo na vida de Daniel um espírito perseverante, ele obteve resultados. Se você estava esmorecendo na sua vida de oração, deixa eu lhe dizer, do outro lado, na dimensão do Espírito, Deus está trabalhando, os anjos estão trabalhando e o diabo é que vai ter que sair da nossa frente, porque nós somos chamados para andar em vitória, somos chamados para andar nas bênçãos que foram  proclamadas na Palavra de Deus.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA