Não seja individualista

Postado em
0

por Thiago Borba

“Quem vive isolado se preocupa apenas consigo e rejeita todo bom senso. O tolo não se interessa pelo entendimento; só quer saber de expressar suas opiniões” (Provérbios 18.1-2).

Eu percebo um senso de individualismo exagerado na nossa sociedade, e isso tem entrado na nossa família e igreja. Em Provérbios 18, vemos que o isolado se importa apenas consigo e rejeita o bom senso, se interessa apenas por suas próprias opiniões. A pessoa isolada, ela se acha auto suficiente.

“Para que, se eu demorar, você saiba como as pessoas devem se comportar na casa de Deus. Ela é a igreja do Deus vivo, coluna e alicerce da verdade” (I Timóteo 3.15 – NVT).

A igreja é a coluna, ela sustenta a verdade. Eu e você somos responsáveis em sustentar a verdade da Palavra nesta terra, e não apenas nossas próprias opiniões. Tudo tem sido relativizado, não existe mais verdade, princípios absolutos. As pessoas dizem: “Você acha isso certo, mas a minha opinião é diferente“.

Princípios e fundamentos, não podem ser relativizados. Verdades, não dependem da nossa opinião, para continuar como a verdade.

O grande problema de hoje em dia é que, o que é certo para um, pode não ser certo para o outro, porque agora cada um pode viver de acordo com suas regras. Não precisa se basear no bom senso, no que é correto, as pessoas vivem de acordo com o que querem. Sabemos que em algumas situações, quando as coisas não estão claras, precisamos decidir por nós mesmos. Mas isso nunca é verdade quando se trata dos princípios da Palavra de Deus, ela não depende de opinião para ser considerada como certo ou errado. Mas o diabo tenta trazer esse tipo de ensino, para o coração das pessoas, para nossa cultura e por último para a igreja, para perverter e desviar as pessoas.

“Para que Satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios” (II Coríntios 2.11).

Se ignorarmos o que o diabo quer fazer, ele vai ter vantagem sobre nossa vida.

Eu estava lendo um livro sobre interpretação bíblica, e percebi como temos costume de interpretar a Bíblia de acordo com nossa cultura. A nossa cultura ocidental, é muito individualista, incentivamos as pessoas a valorizarem seu individual, ela é encorajada a evitar a pressão dos seus iguais, e pensar de forma independente, ela vai tomar suas decisões sendo verdadeira consigo mesma.

O valor supremo é a soberania do indivíduo, o que você quer e sente, é mais importante do que qualquer pessoa quer pra você. Incentivamos as pessoas a decidirem o que elas querem para sua vida, o que vão fazer, qual o curso que querem cursar, com quem vão casar.

Na cultura do oriente eles falam sobre o coletivo, o grupo é mais importante. Vemos que os pais é que decidem o que o jovem vai fazer, com quem vão casar, viver. Eles entendem que tomar uma decisão que vai impactar toda a vida do jovem, é muito importante, e precisa ser tomada com cautela. São pensamentos diferentes.

Eu não quero dizer que uma cultura é mais certa que a outra. Mas, eu quero lhe fazer pensar um pouco mais sobre esse individualismo exagerado.

Um estudo indicou que crianças que vestem uniforme escolar ajuda na produção acadêmica, impede comparações, e ajuda na segurança para identificar quem é estudante e quem é intruso. Já outro estudo, apontou que o uso de uniforme impede a criança de expressar seu individualismo, mostrando a sua identidade, através das roupas. Ou seja, o desempenho acadêmico e a segurança são menos importantes do que o individualismo, de como elas se sentem.

Existem pessoas que ignoram qualquer tipo de instrução para viver de acordo com o que elas acreditam que é certo ou errado, ignorando a opinião dos outros. Não estou dizendo que você deve ouvir a opinião de todo mundo, mas também, você não pode viver sem a opinião de ninguém. Você não precisa ouvir a opinião de todo mundo sobre a sua vida, mas existem pessoas, cuja opinião você precisa ouvir. E a grande chave do sucesso, é você filtrar quem são essas pessoas. Pessoas na sua família, ou da família de Deus, que são cheias da Palavra, você precisa parar para ouvi-las.

Não dá para cultivarmos em nós, esses pensamentos malignos de individualismo errado, como um corpo, precisamos uns dos outros.

Foram dessas ideias que nasceu a ideologia de gênero, as pessoas não respeitam nem mesmo o que a natureza diz que elas são. Ignorando o bom senso, ignorando o entendimento, essa é a vida de quem se isola, que procura seus próprios interesses. Mas, nós somos colunas e baluartes da verdade.

O problema não é eu ter minhas próprias ideias, o problema é eu decidir o que é certo ou errado, baseados em minhas ideias. Eu me torno legislador e juiz da minha própria vida, isso é muito perigoso, porque eu defino o que é certo ou errado pelo que penso no momento.

“Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento” (Provérbios 3.5).

Não dá para confiarmos apenas no nosso entendimento, devemos depositar nossa confiança total em Deus. Se depositarmos nossa confiança em nós mesmos, estaremos fadados ao fracasso. 

“Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal” (Provérbios 3.7).

Não podemos levantar a bandeira da nossa opinião e lutar por ela como se fosse verdade absoluta, a única verdade absoluta está na palavra. O que foge disso, isso sim pode ser relativizado, mas a verdade da palavra a nosso respeito não muda. Se ficamos com a palavra quando a circunstância é contrária, quando os fatos dizem o contrário, precisamos ficar com a palavra quando nossa opinião é diferente também.

“Não havendo sábia direção, cai o povo, mas na multidão de conselheiros há segurança” (Provérbios 11.14).

A Palavra nos ensina, nos exorta, a tomar conselho de pessoas. Precisamos estar perto de pessoas que vão influenciar nossa vida. Você não pode escolher ser ou não influenciado, mas você pode escolher que vai te influenciar. Escolha andar com pessoas tementes a Deus, que deseje crescer espiritualmente, que anda em amor, para influenciar sua vida.

“Observei outra coisa que não faz sentido debaixo do sol. É o caso do homem que vive completamente sozinho, sem filho nem irmão, mas que ainda assim se esforça para obter toda riqueza que puder. A certa altura, porém, ele se pergunta: “Para quem trabalho? Por que deixo de aproveitar tantos prazeres?”. Nada faz sentido, e é tudo angustiante. É melhor serem dois que um, pois um ajuda o outro a alcançar o sucesso. Se um cair, o outro o ajuda a levantar-se. Mas quem cai sem ter quem o ajude está em sérios apuros. Da mesma forma, duas pessoas que se deitam juntas aquecem uma à outra. Mas como fazer para se aquecer sozinho? Sozinha, a pessoa corre o risco de ser atacada e vencida, mas duas pessoas juntas podem se defender melhor. Se houver três, melhor ainda, pois uma corda trançada com três fios não arrebenta facilmente. É melhor ser um jovem pobre e sábio que um rei velho e tolo, que não aceita conselhos” (Eclesiastes 4.7-13).

Unidade, crescimento e influência, uma coisa puxa a outra. Não podemos crescer andando sozinhos, respeitando apenas nossa opinião, sem parar para ouvir nosso irmão em Cristo, nosso pai, nosso pastor que quer nos ver crescer. Quando é difícil julgar se uma opinião é certa ou errada, julgue o caráter dessa pessoa que está te orientando. Se é uma pessoa que não tem temor a Deus, eu ficaria muito cauteloso com esse conselho. Se você buscar o conselho de pessoas certas, tomará as decisões certas. Esteja perto de pessoas cheias da palavra, cheios de Deus, que eles vão te guiar no caminho certo, mesmo quando esse caminho contraria sua opinião.

“Não podem os olhos dizer à mão: Não precisamos de ti; nem ainda a cabeça, aos pés: Não preciso de vós” (I Coríntios 12.21).

Precisamos uns dos outros, e precisamos zelar pela opinião das pessoas que nos amam. Você não pode fazer o que é certo sem se importar com o que as pessoas que te amam acham. Fazer o certo tendo o cuidado de que vai aparentar o certo, porque a sua imagem é importante. Jesus tinha cuidado com o que as pessoas diziam e pensavam sobre ele. Ele perguntava: o que as pessoas dizem sobre mim? Porque ele queria saber se o comportamento dele estava alinhado com a vontade de Deus. Ele se importava. Eu não estou dizendo que você tem que ficar preocupado com o que as pessoas estão dizendo sobre você. Mas por outro lado, não viva isolado, sem dar satisfação a ninguém, sem ouvir a ninguém, nós precisamos da opinião de pessoas mais sábias que nós, para tomar as decisões em nossa vida.

O mundo tem nos empurrado para vivermos para nós mesmos, isolados, estimulando as nossas próprias opiniões, ignorado não só o que a palavra diz, mas o bom senso. Ouvimos muito que não precisamos de ninguém pra ser feliz, isso é antibíblico, precisamos de pessoas para nos ajudar a crescer, a nos relacionar, nos mostrar o caminho, para ser feliz.

Nos tempos antigos, mesmo pessoas que não eram cristãs, que não haviam ouvido a Palavra, tinham princípios e tradições que a Palavra nos ensina: ouvir conselhos, respeitar.

E hoje, no Departamento Infantil, temos que ensinar essas coisas, pois em casa, esses ensinamentos foram perdidos. Mas graças a Deus que para a palavra, ensinar e aprender, nunca é tarde demais. É nessa riqueza de opinião que sai os bons conselhos, os jovens precisam aprender a ouvir e os pais a falar.

“Então, respondeu um dos moços e disse: Conheço um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é forte e valente, homem de guerra, sisudo em palavras e de boa aparência; e o Senhor é com ele. Saul enviou mensageiros a Jessé, dizendo: Envia-me Davi, teu filho, o que está com as ovelhas. E sucedia que, quando o espírito maligno, da parte de Deus, vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa e a dedilhava; então, Saul sentia alívio e se achava melhor, e o espírito maligno se retirava dele” ( I Samuel 16.18-19; 23).

Aquele servo de Saul, sabia do poder natural da música, era a instrução que ele tinha para compartilhar. Só que por trás de Davi, havia a unção do Espírito. Quando Davi tocava, acontecia exatamente o que era esperado naturalmente, Saul se achava melhor, só que acontecia algo no Espírito, o espírito maligno se retirava. Porque não era qualquer um tocando. Qualquer um tocando, iria fazer Saul se achar melhor. Mas alguém ungido tocando, iria fazer Saul se achar melhor e retirar o espírito maligno.

Uma influência natural, mas também uma influência sobrenatural, por causa da unção. Nós não somos iguais às pessoas no mundo, existe uma unção sobre nossa vida, e mesmo quando estamos fazendo as mesmas coisas que as pessoas no mundo fazem, os resultados tem que ser melhores.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA