O vocacionado e a igreja local

Postado em
0

por Nelson Neto
(Graduado da Escola de Missões e líder da Secretaria de Missões do Verbo da Vida em Cumbica-SP)

Dentro do cenário missionário não podemos desconsiderar um dos pilares fundamentais para um bom desempenho no chamado, esse pilar é o bom relacionamento do vocacionado com sua igreja local, consequentemente com sua liderança, proporcionando uma segurança maior para os demais passos a serem dados por aquele que temo chamado para missões.

No ano de 2010, quando identifiquei minha vocação e direção para missões transculturais, o meu intuito era a princípio começar a viajar. Mas, até o momento não tínhamos secretaria de missões e nem outra pessoa relacionada nesse assunto em minha igreja local. No segundo ano do Rhema, tive a oportunidade de fazer minha primeira viagem transcultural para a Argentina com alguns jovens missionários e a missionária Elaine Sousa, nessa viagem foi quando Deus começou a descortinar os planos para o meu futuro.

Ao término do Rhema, quando eu já me sentia preparado para ir embora para outra nação, foi no momento em que conversei com meu pastor e o mesmo viu a necessidade que teria de um treinamento maior, pois eu era o primeiro missionário transcultural que estava se levantando na igreja e, ele no momento não poderia dar o treinamento o qual via que eu ainda precisava. Foi então que surgiu em meu coração o desejo de ingressar na Escola de Missões Rhema e lá comecei a fazer conexões com missionários e pessoas vocacionadas ao chamado transcultural.

Como missionários, não podemos desconsiderar a necessidade do vocacionado ter uma boa conexão com sua igreja local e liderança, pois eles estão observando o seu desenvolvimento e crescimento e, saberão apontar as áreas que precisamos melhorar para sermos eficazes no campo.

Em Atos 13.1-3 podemos ver Barnabé e Saulo, que antes de ir ao campo, estavam juntos com os discípulos servindo, orando, jejuando até que chegou o momento em que por direção do Senhor eles impuseram as mãos sobre eles e os enviaram. Não pense você que será enviado por si só, pois você não fará no campo coisas das quais já tenha realizado em sua igreja local, você até fará coisas maiores, mas as suas bases sempre virão de sua igreja local.

Podemos ver na Palavra quantos jovens precisaram de treinamento, seja em curto ou longo prazo, para fazer aquilo que Deus os havia chamado. Esse tempo lhe ajudarão a prevenir de sofrer danos, como também trilhar passos seguros dentro do chamado missionário.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA