Unidade no Espírito

Postado em
0

por Marizete Garcia

Em Efésios 4.3, vemos que está escrito: “[…]esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz”.

Deus está nos convidando para uma consciência maior sobre o que fazer nesse dia. Vamos nos levantar por dentro, para preservarmos, não nos perdemos, ficarmos firmes e constantes, preservando a unidade no Espírito. 

Se não estivermos abraçando aquele plano específico de Deus ou estivermos sem instrução, vamos ficar estáticos, parados, ainda que tendo todo o poder e autoridade para fazer e desfazer obras. Essa não é a vontade de Deus.

Devemos nos esforçar em proteger os recursos que Deus já nos tem dado e que estão descritos na Palavra. Não fomos chamados para ficar onde estamos, precisamos ter consciência disso. O Espírito Santo está dentro de nós e precisamos ter uma vida no Espírito, diária, reavivando esse relacionamento. Somos únicos com Ele e não deve haver outros competidores para destruir este relacionamento.

Precisamos nos esforçar, diligentemente, para conservar essa vida no Espírito, para não haver mácula sobre ela. Precisamos ser defensores dessa vida que Deus nos deu. Somos guardiões daquilo que o Senhor nos trouxe, o Espírito de Deus, esse é o maior valor que Ele nos deu.

Eu quero falar da unidade do Espírito conosco, pois somos aqueles que vamos guardar, defender essa vida, para que haja preservação, para podermos desfrutar da influência que Ele promove, de uma constância na vida no Espírito. Sua vida vai depender desse tipo de relacionamento. A unidade do Espírito vai resultar em conselhos divinos, paz e prosperidade em tudo o que nós precisamos. 

Nessa vida, estão todos os recursos, ferramentas e depósitos de Deus. Quando consideramos essas coisas, entramos nos planos de Deus. O Evangelho não é só em palavras, mas em demonstração de poder.

A Igreja precisa crescer nessa consciência, naquilo que já tem. A nossa missão é desfrutar da unidade no Espírito. Ele está desejoso para que entendamos que com Ele somos únicos e somos maioria.

É um privilégio sermos crentes. Se estamos revestidos de poder, estamos prontos para o “ide”, pois estaremos conscientes de quem nós somos. Somos um com Ele, não podemos ser divididos nem no pensamento. 

Em Romanos 15.5-6 está escrito: Ora, o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentir de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus, para que concordemente e a uma voz glorifiqueis ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”.

Eu só posso concordar com Ele estando unido a Ele, então aí terei uma voz certa. Não podemos ficar intimidados, calados e quietos, precisamos fazer um rebuliço santo. Eu tenho uma voz, uma palavra, o poder que ressuscitou Jesus dos mortos. Como glorificamos o nome de Jesus? Desmanchando as obras das trevas.

Em Efésios 4.13 está escrito: “Até que todos cheguemos à unidade da fé e do pleno conhecimento do Filho de Deus, à perfeita varonilidade, à medida da estatura da plenitude de Cristo”.

Quando guardamos a unidade do Espírito, chegamos à plenitude de Cristo. A unidade com Ele vai nos trazer amadurecimento e constância.

Em Filipenses 2.1-2, vemos que está escrito: Se há, pois, alguma exortação em Cristo, alguma consolação de amor, alguma comunhão do Espírito, se há entranhados afetos e misericórdias, completai a minha alegria, de modo que penseis a mesma coisa, tenhais o mesmo amor, sejais unidos de alma, tendo o mesmo sentimento”.

Precisamos ter mais consciência da pessoa que está dentro de nós e fazer com que esse relacionamento cresça, pois quem cresce, aparece. É importante essa conexão, pois Ele está pronto para revelar segredos e a profundidade da Palavra.

A voz que Deus deu à Igreja precisa ser mais efetiva e com maior profundidade.

Será que esse poder tem proporcionado coisas maiores em nossas vidas? Esteja animado, esse é o maior tempo de ânimo na Igreja, pois com o ânimo vem as forças. Se você está com medo, atemorizado, saiba que Ele está dentro de você e diz: “Paz, seja convosco!”.

Somos chamados por Deus para evidenciar a Sua glória, não para ser daqueles que ficam sentados, mas que estão levantados, erguidos, liberando alguma coisa. O poder absoluto está conosco e somos devedores ao mundo desse poder. Com o mundo está o poder relativo, mas conosco o poder absoluto.

Não podemos ser efetivos sem o revestimento de poder. O desejo de Deus é que tenhamos consciência da unidade do Espírito, para ter consciência da unidade de um com o outro.

Precisamos desenvolver a nossa vida de oração, porque ela vai nortear em que nível de concordância com o Espírito de Deus estamos. A unidade no Espírito promove rompimentos!

A glória de Deus precisa ser manifesta através de nós. A Igreja precisa parar para se importar, o povo está sedento, sensível, é tempo da Igreja atacar, aí, sim, Deus fará com que a mente deles possa entender e eles sejam renovados. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA