Ouvido de mercador

Postado em
0

por Perilo Borba

“Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. Por isso, rejeitando toda a imundícia e superfluidade de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural; Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1.19-25).

Todos nós desejamos ser bem aventurados no que fizermos, mas existe uma condição para alcançarmos esse resultado: praticarmos a Palavra de Deus. Não por acaso, Josué 1.8 nos diz: “não cesses de falar do Livro da Lei”. Mas antes de falar, há uma outra etapa descrita no texto bíblico: precisamos meditar nas Escrituras de dia e de noite, para que tenhamos o cuidado de fazer o que está escrito.  

Falamos muito sobre “Rhema, a Palavra falada”, mas a verdade é que aquilo que nós vamos falar, será determinado por aquilo que estamos ouvindo. Por isso, Deus disse a Josué: “não cesses de falar (…) Mas antes de falar, você precisa ouvir e meditar”. Isso pode ser visto em Atos 10, quando Cornélio – que tinha sede de Deus – foi orientado a procurar Pedro, pois o apóstolo tinha palavras que trariam salvação para Cornélio e toda a família. 

 Ao narrar o episódio a Pedro, o centurião diz:

“E logo mandei chamar-te, e bem fizeste em vir. Agora, pois, estamos todos presentes diante de Deus, para ouvir tudo quanto por Deus te é mandado ” (Atos 10.33).

Nós precisamos ter essa atitude de prontidão e interesse para ouvir. Acolher as instruções de Deus com mansidão, como uma boa terra, sem concorrência para a Palavra. Precisamos deixar que as Escrituras penetrem em nossos corações. Se não agirmos assim, seremos “tardios em ouvir”, ou “negligentes”, como afirma o texto da carta aos Hebreus:

“Do qual muito temos que dizer, de difícil interpretação; porquanto vos fizestes negligentes para ouvir” (Hebreus 5.11).

Ouvir não é só escutar. É receber e considerar a informação que chega até você. É agarrar, ao ponto de deixar fazer parte de quem você é. É daí que se percebe a importância de meditar na Palavra, ou seja, relembrar, anotar, esmiuçar.  Esse é o “ouvir” que gera fé em nossos corações. No entanto, não foi essa a atitude identificada entre os Hebreus. E a negligência em ouvir, gerou uma consequência:

“Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento. Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino” (Hebreus 5.12–13).

Tenho dois filhos pequenos. Às vezes, é difícil explicar algumas coisas. Eles ainda não têm o poder de concentração e convencimento que temos, por isso precisamos repetir sempre os ensinos mais básicos. E a verdade é que infelizmente existem muitos cristãos semelhantes a crianças pequenas: são difíceis de lidar, tardios em ouvir. São rápidos em falar, em apresentar desculpas e justificativas, quando deveriam ser prontos para acolher os ensinamentos. Ficam irados diante de uma correção.

Muitas vezes, o conhecido “pavio curto” domina a muitos. São pessoas que perdem o controle com qualquer coisa. Não pode ser assim. Quando nos determinamos a sermos “prontos para ouvir”, estamos determinando que queremos crescer, melhorar e deixar a fé brotar em nossos corações. 

“Filho meu, atenta para as minhas palavras; às minhas razões inclina o teu ouvido” (Provérbios 4.20).

Para o que, no seu dia-a-dia, você tem escolhido inclinar os seus ouvidos? Deixe–me dizer algo: da mesma forma que a Fé em Deus  vem pelo ouvir da Palavra de Deus, você também pode acabar crendo em outras coisas se ouvir outras informações. Do mesmo jeito que a fé vem pelo que você ouve, o medo e a dúvida também podem vir pelo que você acolhe. Tristeza e frustração também podem vir de acordo com o que você tem ouvido. 

Para o que ou para quem você tem inclinado os seus ouvidos?

Tem muita gente pronta para ouvir o que não presta. São rápidos para ouvir os noticiários, as histórias sobre alguém, as publicações na internet. São rápidos até para ouvir as fofocas. A verdade é que são rápidos para tudo, menos para a Palavra de Deus. Depois, não sabem porque não são bem-sucedidos. Cheios de tristeza, medo e depressão.

Precisamos inclinar os nossos ouvidos para a Palavra de Deus. No Livro de Provérbios, Salomão, cheio da sabedoria do alto – falando como se fosse a própria Sabedoria de Deus – afirma:

“Mas o que me der ouvidos habitará em segurança, e estará livre do temor do mal” (Provérbios 1.33).

O Senhor está nos dizendo que aquele que lhe der ouvidos, habitará cheio de paz, saúde e suprido em todas as suas necessidades. A Palavra é vida para quem a encontra, é saúde para o nosso corpo. 

Na epístola aos Hebreus, está escrito: “Quando ouvirdes a voz do Senhor Teu Deus, não endureçais o coração”. Ser alguém pronto para ouvir é ser alguém que vai abrir o coração e deixar que a Palavra entre, mesmo que ela confronte, tire da zona de conforto e leve a algumas renúncias. 

“Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora (…) Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram” (João 10.3-8).

Jesus é o Seu Bom Pastor? Você é ovelha d’Ele? Então precisa ouvi-lO. Não só ouvir a voz d’Ele, mas conhecê-la, ainda que de longe. É curioso pensar que, quando temos muita intimidade com alguém, reconhecemos a voz dessa pessoa onde quer que estejamos. É preciso um relacionamento com o Senhor para discernir o que Ele tem para nós e para reconhecer aquilo que provém d’Ele.

A Palavra nos diz que Deus nos guia através da oração, do testemunho interior, da paz que habita em nossos corações. Mas Ele também nos guia pelas Escrituras e isso é muito importante para nós. 

Salmo 23.1 nos diz: “O Senhor é o Meu Pastor e nada me faltará”. A pergunta é: Por que, às vezes, ainda existe falta em nosso meio? Há uma explicação: não basta só falar que Ele é o nosso Pastor, precisamos agir como as suas ovelhas. O Salmo, em seu texto, continua afirmando: “Ele me conduz…”. Você tem tido familiaridade com a voz de Deus? Tem ouvido e se deixado conduzir por Ele? Se assim fizermos, bondade e misericórdia nos seguirão todos os dias em nossas vidas.

Passado muito tempo, e sendo já perigosa a navegação, pois, também o jejum já tinha passado, Paulo os admoestava, Dizendo-lhes: Senhores, vejo que a navegação há de ser incômoda, e com muito dano, não só para o navio e carga, mas também para as nossas vidas. Mas o centurião cria mais no piloto e no mestre, do que no que dizia Paulo. E, como aquele porto não era cômodo para invernar, os mais deles foram de parecer que se partisse dali para ver se podiam chegar a Fenice, que é um porto de Creta que olha para o lado do vento da África e do Coro, e invernar ali. E, soprando o sul brandamente, lhes pareceu terem já o que desejavam e, fazendo-se de vela, foram de muito perto costeando Creta. Mas não muito depois deu nela um pé de vento, chamado Euro-aquilão. E, sendo o navio arrebatado, e não podendo navegar contra o vento, dando de mão a tudo, nos deixamos ir à toa” (Atos 27.9-15).

Aqui vemos que Paulo tinha uma instrução do Senhor, mas ele era um prisioneiro. Os demais presentes no navio deram mais crédito ao piloto e ao mestre, do que às palavras inspiradas de Paulo. A quem você tem dado mais crédito? A conselhos de sua liderança, pregações, livros e palavras inspiradas por Deus ou a outras informações? A quem você dá crédito é o que determina o sucesso que você vai ter.

Precisamos andar por fé e não por vista. Não é o que estão dizendo, mas o que Deus está dizendo. Não precisamos dificultar isso, é algo simples. Ficamos com o que Deus diz, ainda que outros falem o contrário.

Às vezes, é preciso ter o famoso “ouvido de mercador”. Dizem que essa expressão surgiu em virtude dos mercadores, os caixeiros viajantes, que gritavam anunciando as suas mercadorias e ignoravam os que se aproximavam tentando “pechinchar” os preços. Mas e se fizermos o “ouvido de mercador” para Deus?  Agimos assim sempre que ouvimos a voz d’Ele e endurecemos os nossos corações. Não aja de tal forma . Seja pronto para ouvir o Senhor. O diabo, certamente, trará informações contrárias, mas não podemos dar importância. Precisamos nos manter falando, confessando e crendo na Palavra.

Não devemos nos atentar para nenhuma informação contrária àquilo que cremos. Que possamos falar ainda mais alto a Palavra. quando a influência negativa chegar. 

Existem coisas que estamos esperando e que já são nossas, já podemos desfrutar delas pela fé. Foi a Fé do cego Bartimeu que o levou para um patamar de saúde física providenciada por Deus (Marcos 10.46-52). O que a sua fé tem feito por você? A nossa fé precisa nos levar a níveis diferentes. Para isso, precisamos ler, meditar e confessar a Palavra.

“Declarou Samuel ao povo o direito do reino, e escreveu-o num livro, e pô-lo perante o Senhor; então despediu Samuel a todo o povo, cada um para sua casa. E foi também Saul à sua casa, em Gibeá; e foram com ele do exército aqueles cujos corações Deus tocara. Mas os filhos de Belial disseram: É este o que nos há de livrar? E o desprezaram, e não lhe trouxeram presentes; porém ele se fez como surdo” (I Samuel 10.25-27).

Precisamos nos “fazer de surdos” para informações que não condizem com a Palavra.

Se Deus diz que você é, você é. Se Ele diz que você pode, então você pode. Quando Jesus chamou Bartimeu, a Bíblia diz que ele retirou a capa que o definia como doente e inferior. Ele foi rápido em alcançar o Mestre. Seja rápido em agir corretamente e vai ser rápido para receber o que Deus tem para a sua vida. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA