Vacinados pela gratidão

Postado em
0

por Perilo Borba

“Mas Deus não se agradou da maior parte deles, por isso foram prostrados no deserto” (I Coríntios 10.5).

Não podemos repetir esses erros. Pelo fato deles não terem sido obedientes ao plano de Deus não entraram na terra prometida. Você sabia que Deus tem um plano para a sua vida? Não é Deus quem destrói, Ele trabalha construindo e reconstruindo, mas o diabo trabalha  destruindo. Você quer a destruição ou a vida abundante?

Paulo disse aos Efésios: “Não deis lugar ao diabo”.  Sabemos que o diabo anda em nosso derredor procurando uma brecha, a murmuração é uma brecha. Declaro essa brecha fechada na sua vida hoje. A murmuração, significa você falar, muitas vezes só cochichar, de forma descontente, insatisfeita, ingrata, se queixando, cobrando, ou não reconhecendo o devido valor.

A murmuração impediu a maioria do povo de Israel entrar na terra prometida. Em Números 13, vemos que Deus mandou Moisés enviar 12 espias e desses 10 voltaram com um relatório de murmuração. Apenas Josué e Calebe foram pelo caminho da fé, acreditando no que Deus diz; se Deus disse eu posso, eu tenho e eu sou. Apenas a descendência desses dois desfrutaram da terra prometida.

Em Deuteronômio 1, Moisés está relatando essa história e destaca que eles murmuravam nas tendas. Olha que interessante: esse detalhe de Moisés mostra que a murmuração foi em casa e o descontentamento foi público. Cada um foi para a sua tenda e lá eles murmuraram. Em casa a gente tem uma liberdade de expressão que na igreja  não temos, em casa somos nós mesmos. Podemos aparentar ser uma coisa que não somos, mas em casa não escondemos. Se quiser diagnosticar a nossa vida devemos olhar como estamos em casa. Em casa você tem coragem de falar o que fora de casa você não tem.

Embora a gente sinta e pense, nem tudo devemos falar. Vovó dizia: “costume de casa vai à praça.” Se você murmura em casa, mais cedo ou mais tarde vai murmurar na praça, tudo começa em casa. Teu sucesso começa em casa e uma possível destruição começa em casa, você pode dar lugar ao destruidor em sua casa murmurando, questionando Deus, mostrando-se insatisfeito e descontente.

“De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade. Fazei todas as coisas sem murmurações nem contendas” (Filipenses 2.12-14).

Temor a Deus é consciência da presença de Deus. Seu temor não deve ser ao pastor, mas a Deus. Mesmo que você esteja sozinho em um ambiente, Deus está lá. Deus já sabe, então é melhor eu me arrepender antes de falar. Obedeça a Deus e ao seu líder na presença e na ausência. Como você fala em casa? Como fala das pessoas na sua casa? Você falaria na frente das pessoas? Cuidado com o que você fala na frente dos seus filhos.

MURMURAÇÃO E CONTENDA ANDAM JUNTAS, PORQUE É IMPOSSÍVEL VOCÊ TER PAZ COM ALGUÉM MURMURANDO NO SEU OUVIDO.

A murmuração é como um gotejar contínuo, disse o sábio Salomão. Faça tudo sem murmurar, porque se houver murmuração em algum momento vai ter briga. Cobrança é uma das coisas mais maléficas no relacionamento, você só cobra porque está insatisfeito e quando você cobra é uma forma de murmuração. Isso não quer dizer que você não pode pedir, mas é a forma que se fala, pedir é diferente de cobrar.

Em Romanos 13,  o Apóstolo Paulo disse a ninguém deveis coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros. Sempre somos devedores do amor, então se estou devendo que moral eu tenho para cobrar? Cobramos porque deixamos de nos ver como devedores, queremos ser agradados e não agradar. O amor de Deus não busca seus próprios interesses. O amor não cobra, o amor paga. Esse é o amor do tipo de Deus que foi derramado em nosso coração e só precisamos frutificar.

Deixe de se ver como vítima, deixe de dar desculpas: “sou assim mesmo, meu pai era assim, meu avô…”. Ei você é nova criatura. Vale a pena fazer a diferença com o amor de Deus. Fazer tudo sem murmuração é fazer com gratidão e harmonia, unindo, somando, pacificando e isso é o contrário da murmuração. As palavras negativas de reclamação e questionamento geram ambientes terríveis na sua casa. Jesus deixou claro que tipo de ambiente ele gosta.

“E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa” (Lucas 10.38).

A murmuração deixa a pessoa agitada, pilhada e Marta estava assim, agoniada. Alguns podem pensar: “pastor, esse é o meu jeito.” Uma coisa é você ser proativo, outra é você ser ansioso. Isso é falta de domínio próprio e tem um nome: carne. Marta estava agitada e era porque Maria não estava ajudando, não porque queria fazer o melhor pra Jesus.

Jesus não corrigiu Marta pelo que ela estava fazendo, mas pela murmuração, pela insatisfação. Isso fez ela se comparar com Maria, ver Maria com maus olhos, olhando falhas e se vitimando. Jesus deixou claro que a prioridade não são os afazeres, mas o relacionamento. Não adianta deixar a casa em ordem e ferir o relacionamento. O homem, quando chega em casa, prefere o relacionamento a uma casa super arrumada. É importante ter a casa arrumada, sim, mas priorize o relacionamento. A murmuração vai te levar a tratar o outro de forma não respeitosa.

Alguns no casamento relaxam, falam sem pensar e murmuram. Não é o casamento que é culpado, mas você que destrata o outro, quem você antes chamava de amor, hoje chama de rapaz!

A murmuração lhe deixa inquieto e preocupado. Você se preocupa com tantas coisas e poucas são necessárias. Se o relacionamento estiver em ordem, as outras coisas colocamos em ordem juntos. Faça tudo sem murmuração e sem contenda, não é para deixar de fazer, mas fazer sem murmurar. Tem algo que vai nos livrar da murmuração

“Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos” (Efésios 4.22).

Se renove hoje mesmo, sendo uma pessoa diferente, um esposo, esposa diferente na sua casa. Pegue o velho homem e crucifique, perdoe rápido, pague e não cobre. Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, sem edificação, que não é necessária para o momento, inconveniente, e sim a que for boa para edificação. Palavras sempre vão transmitir alguma coisa, palavras nunca são só palavras. No reino espiritual existe uma transmissão que pode ser boa, se a palavra for boa e pode ser ruim, se a palavra for ruim.

“Do fruto da boca enche-se o estômago do homem; o produto dos lábios o satisfaz” (Provérbios 18.20). 

Tenha o cuidado de transmitir a graça e o favor de Deus, a motivação, o zelo e o amor que vai levantar o outro e não colocá-lo para baixo.

“Meus irmãos, não sejam muitos de vocês mestres, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com maior rigor.Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo.Quando colocamos freios na boca dos cavalos para que eles nos obedeçam, podemos controlar o animal todo” (Tiago 3.1-3).

Esse texto nos fala sobre controlar a nossa boca. Da sua boca, ou sai água doce ou amarga. Vamos ser mais doces, pois a palavra branda desvia o furor. Como também dizia a minha avó: “Quando um não quer, dois não brigam”. Seja benigno e compassivo, perdoando o outro, andando em amor. Não converse nada torpe, é melhor ficar calado do que puxar um assunto que não presta, falando mal de outras pessoas.

“Pois quem quiser amar a vida e ver dias felizes guarde a sua língua do mal e os seus lábios da falsidade” (I Pedro 3.10).

Se você agir assim, terá anos de felicidade. A vacina da murmuração é ações de graças! Sempre vai ter uma escolha: murmurar ou agradecer. Se você se tornar alguém grato vai deixar de ser murmurador. Decida crescer em ações de graças. Degrau em degrau, glória em glória, não é só ser grato, mas expressar em ações. Se a murmuração traz destruição, a gratidão vai trazer benção, paz e prosperidade; se a murmuração traz enfermidade, a gratidão vai trazer saúde. Nada é mais valioso do que a sua paz.

SE DEUS ESTÁ COMIGO, TUDO VAI BEM E NÃO EXISTE MOTIVO PARA MURMURAÇÃO.

Troque a murmuração por sacrifícios de louvor e seja grato. Às vezes, a vontade será de reclamar, mas é sacrifício de louvor, exatamente porque exige um posicionamento, um sacrifício.

 

*Texto retirado do site da Igreja Verbo da Vida Sede em Campina Grande (PB)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA