Trabalho em equipe

Postado em
0

por Zuleica Messias

“Vocês, maridos, devem ser cuidadosos com as suas esposas, estando atentos as necessidades delas e respeitando-as como sexo mais frágil. Lembre-se que vocês e suas esposas são companheiros em receber as bênçãos de Deus e se não as tratarem como devem as orações de vocês não terão uma resposta pronta” (I Pedro 3.7).

É sério isso! Lembrando que Pedro era casado, tinha sogra. E vemos os conselhos dele aos maridos, de que os maridos devem estar atentos às necessidades da sua esposa.

Quantos sabem que para nós percebermos a necessidade do outro precisamos tirar os olhos do nosso umbigo? É necessário olhar para o outro, percebendo o outro, analisando o outro. 

Já passou o tempo que as mulheres ficavam dentro de casa fazendo uma boa comida e bordando panos de prato. Atualmente, a maioria delas está lá fora batalhando pela vida também. Inclusive, ajudando o marido de alguma forma, na renda e no orçamento da casa. Mas, infelizmente, na hora de voltar para casa, as coisas ainda não mudaram.

Você já viu que a volta para casa de um homem é totalmente diferente da mulher? O marido volta para casa, está cansado, chega, vai tomar um banho e quando termina vai direto para o sofá. Em sua maioria, é assim… Afinal de contas ele está muito cansado. A esposa chega em casa, também cansada, solta a bolsa, na maioria das vezes, não dá tempo nem de tomar um banho, ela vai direto à cozinha.

Enquanto as tarefas para o homem terminaram, para a mulher está apenas começando uma nova etapa. Porque ela terminou lá fora, mas agora começa uma outra dento de casa. E se ela tiver filhos ai é que tem trabalho a fazer ainda… Ela tem que dar conta da comida, lavar a louça, colocar roupa na máquina de lavar, dar banho em filhos, ensinar a tarefa deles, colocá-los para dormir, entre outras coisas. 

Enquanto isso, o marido está no sofá com o controle remoto nas mãos vendo TV. E, ainda tem aqueles que dizem: “Amor, vai demorar o jantar?”.

Ei, a Bíblia, o “manual de família”, nos manda perceber as necessidades dela. Existem muitos homens que, nos gabinetes pastorais se queixam demais e dizem: “Pastor, não sei o que acontece com a minha esposa, ela está tão fria. As coisas mudaram tanto de um tempo para cá. Ela não está nem aí. Se passarmos um mês sem relação sexual, ela não está nem aí…”. Muitas vezes, você não tem dentro de casa uma mulher fria, você tem uma mulher cansada! E quando ela pensa em cama, só tem um pensamento na cabeça dela: dormir.  E você está lá pensando: “Uau, é hoje!”. É hoje nada, rapaz!

É por isso que Pedro diz: perceba a necessidade dela. Veja o que ela está precisando. O manual de família diz: “melhor é serem dois do que um”.

Trabalho em equipe é ideia de Deus. Não fica pesado para ninguém. 

Eu até concordo que o maridão queira ser tratado como um rei. Desde que a sua esposa possa ser tratada como uma rainha. Mas, se não dá para ela ser tratada como rainha, se é ela quem tem que colocar a mão na massa e fazer tudo, é necessário você perceber o que ela está precisando. Então, chegue junto dela. Enquanto ela está lavando a louça, você está secando. Enquanto ela está colocando as roupas na máquina, você está dando banho nos meninos. Enquanto ela está preparando o almoço, do dia seguinte, você está fazendo o devocional com as crianças ou ensinando as tarefas da escola a eles. 

Trabalho de equipe! Maridos percebendo as necessidades da esposa, aliviando a carga dela. E, se era para ela ficar como uma barata tonta dentro de casa até meia-noite, com sua ajuda, às 22h ela vai estar livre. Aí, é só alegria!

Como diz meu marido: mulher é um ser responsivo. Pense como a gente sabe responder bem gestos de carinho, amor e atenção! A nossa vida é feita de estações. 

“Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino. Quando cheguei a ser homem, desisti das próprias coisas de menino” (I Coríntios 13.11).

Sabia que encontramos muitos maridos bebês? E, infelizmente, as mães tem um papel nisso. É incrível, mas eu encontrei uma mãe, em pleno 2021, chamando a filha para fazer uma tarefa doméstica e a menina disse: “Mãe chama meu irmão também”, a mãe respondeu que não, não é tarefa de homem.

O que essas mães estão gerando? Meninos que recebem tudo nas mãos. Que não sabem fazer absolutamente nada. E querem entrar no casamento assim. Só que, quando você se casa, não se casa com uma mulher que será a sua mãe. Você se casa com uma mulher que será a sua companheira, sua parceria. 

O homem vai tomar banho, não leva nem a toalha. E após o banho, diz: “Amor, pega a toalha, traz a minha cueca”. Coisa de menino! 

Meninos não deveriam se casar. Só os homens! 

E, as mães precisam se atentar para isso. Por que as mães ensinam as meninas a arrumarem a cama, a deixar o lençol esticadinho, a separar roupa suja de roupa limpa e não fazem o mesmo trabalho com os meninos? Por que os meninos têm que crescer bagunceiros? Sem noção de roupa suja ou limpa? Vivendo em um quarto como adolescente que fede. Sim, porque tem quarto deles que fedem. E a mãe está lá, o camarada já tem 16 anos, mas é a mãe que está lá arrumando a cama do nenê dela. Você está deformando esse rapaz. Ele precisa crescer e deixar de ser menino. 

Não estou dizendo que ele vai fazer tudo dentro de casa. Mas ele precisa saber fazer, porque, se precisar ele vai ter que fazer. Não fazer nada é um pouco de egoísmo. O apóstolo Pedro diz: “Ei, perceba a necessidade da sua esposa. Ajude-a. Seja parceiro dela. A mulher não precisa apenas de arroz, feijão e um vestido. Seja aquele homem companheiro que chega junto”

Como meu marido, Heli, é meu parceiro! Como acho lindo isso. Estamos casados há 35 anos. Mas eu nunca me senti sobrecarregada. E eu nem preciso pedir ajuda, ás vezes, estamos na correria do dia a dia, eu chego em casa, cansada, sento no sofá e sabe o que ele faz? Ele vai direto para a cozinha fazer um cuscuz e um café. 

Sabe o que é isso? Ele está atento ao meu cansaço.

A melhor coisa do mundo é marido crente, conectado com Deus. Que vive em comunhão com o Espírito Santo. Marido, se conecte com o Espírito Santo e Ele vai lhe comunicar coisas. Vai lhe mostrar formas de ajudar a sua esposa. É tão fácil viver bem! Não é complicado. Basta a gente deixar de ser egoísta e olhar um pouco para o outro também. 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA