A sabedoria do alto

Postado em
0

Thiago Freitas

Professor do Rhema Brasil

Geralmente no meio cristão medimos a sabedoria de alguém com base em sua desenvoltura no púlpito, e também em sua habilidade de dar respostas sábias a questões aparentemente complicadas. Há essa faceta da sabedoria que não podemos negar; desenvoltura no púlpito, sermões belos e inteligentes, respostas sábias para questões complicadas. Mas, quero chamar a atenção para um aspecto da sabedoria que é pouco abordado, e infelizmente pouco praticado por nós cristãos.

Tiago em sua epístola, no primeiro capitulo nos diz que se precisamos de sabedoria, podemos pedir a Deus, que Ele nos dará liberalmente (Tg 1:5). No capitulo três, ele volta a tratar de novo da sabedoria, e o que nos impressiona é que na ótica dele, a sabedoria não se trata somente de palavras bem colocadas de acordo com a ocasião, mas sim de PROCEDIMENTO que evidencia a sabedoria.

Quem entre vós é sábio e inteligente? MOSTRE em MANSIDÃO de sabedoria, mediante condigno PROCEDER, as suas obras. Tiago 3:13 

Tiago esta deixando claro que a sabedoria deve ser evidenciada pelo comportamento. Se alguém é sábio, MOSTRE mediante condigno PROCEDER. Vale chamar a atenção para a palavra “condigno”. Advinda da raiz grega “καλοσ” kalos  transmite o sentido de: bonito, gracioso, excelente,escolhido, insuperável, precioso, proveitoso, apropriado, recomendável, magnífico, bonito por razão de pureza de coração e vida. Em outras palavras, a sabedoria é evidenciada mediante esse tipo excelente de procedimento. Mais do que palavras, mostramos ser sábios quando nosso comportamento é magnifico, precioso, resultante da pureza do coração.

No verso 17 do capitulo três, ele reitera o que disse no verso 13, deixando claro que a sabedoria do alto é primeiramente, pura; depois, pacifica (pessoa tranquila, que ama a paz, serena), indulgente (alguém integro), tratável (alguém disposto a ceder, facilmente persuadido), plena de misericórdia e de BONS FRUTOS, imparcial, sem fingimento. 

A luz de tudo o que temos visto, vale mencionar que se torna necessário uma avaliação de nós mesmos, se realmente somos sábios, não a luz do que julgamos ser sábios, mas sim dentro dos padrões divinos. Talvez nossos discursos estejam belíssimos, mas nosso comportamento esteja distante da sabedoria do alto. Quem dentre nós é sábio? Mostre mediante um excelente proceder; Mostre em pureza, tranquilidade, serenidade, em integridade, sendo ensinável, disposto a ceder, evidenciando bons frutos, essa é a sabedoria do alto.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA