Agora somos filhos!

Postado em
1

por Policarpo Brito
*Professor do Centro de Treinamento Bíblico Rhema 

“Porque eis que aquele dia vem ardendo como fornalha; todos os soberbos, e todos os que cometem impiedade, serão como a palha; e o dia que está para vir os abrasará, diz o SENHOR dos Exércitos, de sorte que lhes não deixará nem raiz nem ramo. Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o Senhor dos Exércitos. Lembrai-vos da lei de Moisés, meu servo, que lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos. Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição” (Malaquias 4.1-6).

A Bíblia diz que, nos últimos dias, Deus tem nos falado pelos filhos, a quem Ele constituiu herdeiros de todas as coisas. Deus tem uma promessa e também uma advertência para os pais.

O Senhor se mostra longânimo desde Gênesis até Apocalipse. Em resumo, o livro de Malaquias fala da maneira dissoluta que o povo vivia, mas Deus fala com eles em primeira pessoa, como um Pai amoroso, que exorta e disciplina porque ama. Deus corrige e disciplina a quem Ele ama!

A Bíblia está repleta de informações de Deus como Pai, principalmente no Novo Testamento. Compreender o caráter de Deus é uma questão de revelação, iluminação dos olhos espirituais. Isso não vem por estudos do grego ou aramaico, mas vem de ver, observar como o Filho se relacionava com o Pai, em outras palavras, de ver como Jesus se relacionava com o seu Pai. Jesus dizia: “Aquele que me enviou jamais me deixa só”. Ele afirma, ninguém vem ao Pai a não ser por mim.

Nós não vamos compreender o caráter de Deus como Pai, se não entendermos o caráter de Jesus, o Filho. 

Jesus apresentou Aquele que os Judeus não conseguiram ver. No Velho Testamento, o povo sempre via  Deus como uma sombra, de forma negativa. Os homens não conseguiam ver Deus como um Pai, mas Cristo Jesus é o grande laboratório fotográfico de Deus, Ele nos apresenta o Pai a cores e ao vivo. Você tem que se apaixonar por um Deus que é Pai! Paulo nos ensinou: “Eu me ponho de joelhos diante do Pai”. Deus ama família, Ele não pode viver sem família. Deus ama se relacionar com o ser humano como um Pai, como família.

João nos relata que no princípio Ele era o verbo e estava com Deus. Vemos aqui um relacionamento íntimo, ambos em concordância. Quando o Pai gerou a Jesus, trazendo-O de dentro os mortos, lhe deu um nome que está acima de todo nome, Ele é o Senhor para glorificar a Deus, o Pai. 

As compras e o acesso ao suprimento no Egito não eram feitos diretamente por faraó, mas por José. Precisamos entender que é pelo filho, ninguém vem ao Pai se o Filho não trouxer. O caminho é o Filho. É Jesus que nos revela o Pai. 

“Designou a lua para as estações; o sol conhece o seu ocaso. Os leõezinhos bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento. Assim é este mar grande e muito espaçoso, onde há seres sem número, animais pequenos e grandes. Todos esperam de ti, que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno” (Salmos 104.19, 21, 25 e 27).

Veja como Deus se relaciona com a sua criação. A criação responde ao Seu criador com honra. Quando a Bíblia diz para honrar a seus pais, não importa se são crentes ou não. Pai é digno de ser honrado. O pai terreno tem o mesmo título de Deus, o mesmo título que o criador do universo tem. 

A criação trata o Criador como um pai, para que os filhos olhem e saibam que o nosso sustento vem d’Ele. Deus criou todas as coisas não só como o El Shadai, o Deus todo poderoso, mas Ele envolveu um coração paterno nisso. Existe um caminho, um destino para todo ser vivente e Jesus veio a este mundo com esse propósito, fazer com que o mundo conhecesse Deus como um Pai. Jesus não foi inspirado por Elias, mas pelo Pai. Ele nos apresentou um Pai!

O jovem rico chegou para Jesus e disse: “Bom mestre”. Jesus respondeu: “Por que me chamas bom. Só tem um que é bom, o meu Pai”. Trate Deus com carinho, como um Pai. Ele ama ser chamado assim. Jesus também disse: “Todas as coisas me foram entregues”. Apenas um filho poderia dizer algo assim. Que nós tenhamos um relacionamento perfeito como o nosso Pai celestial. Jesus também disse: “O Pai conhece o filho. Acredite nesse Pai, porque Ele é bom”.

Benefícios em se conhecer o Pai:

Temos uma identidade – não somos filhos de proveta. Nós temos um Pai, o DNA d’Ele bate com o nosso agora. Antes éramos filhos da desobediência, hoje não, o Pai nos amou com grande amor e nos fez seus filhos.

As pessoas se transformam tanto hoje em dia, por falta de identidade. Um dia se identifica com um, outro dia com o outro. Nós não, temos uma identidade porque olhamos para o Filho, e o Filho tinha uma identidade de filho de Deus, porque olhava para o Pai.

Temos autoestima – pois o escritor de Hebreus diz: “Porei nele a minha confiança”. E outra vez: “Eis-me aqui a mim, e aos filhos que Deus me deuE, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas, para que pela morte aniquilasse o que tinha o império da morte, isto é, o diabo. E livrasse todos os que, com medo da morte, estavam por toda a vida sujeitos à servidão (Hebreus 2.13-15).

Por sua morte Ele destruiu aquele que tem o poder da morte e livrou a todos do pavor da morte, do medo, da depressão para vida eterna. Temos autoestima por conhecermos o Pai, e pela consciência que temos um lar no céu. O céu é real, é um lugar maravilhoso que Deus preparou para aqueles que o amam. 

Temos segurança – Ele nos dá segurança total, conforme João 10.28 E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão”. Aquele que o Pai deu a Cristo, ninguém arrebatará das Suas mãos. Ninguém tomará com violência das Suas mãos. 

Você pode parecer pequeno, parecer que está só, mas você é selecionado para ser habitante do Reino do Filho do amor de Deus.

Quando Noé pousou a arca no monte Ararat, ele ofereceu sacrifícios a Deus. Deus então estabelece uma aliança com ele e a descendência dele (Gênesis 9.9). Deus se importa com os nossos filhos, com nós e a nossa casa. Paulo pregou para o carcereiro e, ele e a casa dele foram salvos. 

“E a sua posteridade será conhecida entre os gentios, e os seus descendentes no meio dos povos; todos quantos os virem os conhecerão, como descendência bendita do Senhor” (Isaías 61.9).

Deus é esse Deus maravilhoso, que deseja que nós e a nossa casa seja chamada família bendita do Senhor. Ele deseja que os nossos filhos herdem as bênçãos espirituais. 

O Rei Ezequias adoeceu para morte. Chorou e orou, o Senhor acrescentou mais 15 anos de vida. Depois disso, algumas pessoas vieram visitar Ezequias por causa da sua fama, e ele passa a mostrar os seus tesouros e glórias. O povo viu a riqueza e a fama dele. Porém, o profeta Isaías lhe disse: “Eles voltarão e levarão toda sua riqueza, e pior, seus filhos serão eunucos, e sua geração se acabará porque você priorizou riquezas”.

Deus quer alcançar a nossa descendência. Ele não quer filhos avarentos. Um alerta: pense na herança espiritual, pense nos seus filhos, deixe eles vê-lo lendo a bíblia, prostrado orando, chorando, temendo ao Senhor. Deus se agradou do coração de Abraão, sejamos como ele. 

 

1 COMENTÁRIO

  1. […] Fonte:Verbo da Vida (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); (function ($) { var bsaProContainer = $('.bsaProContainer-1'); var number_show_ads = "0"; var number_hide_ads = "0"; if ( number_show_ads > 0 ) { setTimeout(function () { bsaProContainer.fadeIn(); }, number_show_ads * 1000); } if ( number_hide_ads > 0 ) { setTimeout(function () { bsaProContainer.fadeOut(); }, number_hide_ads * 1000); } })(jQuery); […]

DEIXE UMA RESPOSTA