Não seja um “crente Cinderela”

Postado em
0

por Jairo Pacheco
*
Diretor da ONG Ide Projetos Sociais

“Então, regressaram os setenta, possuídos de alegria, dizendo: Senhor, os próprios demônios se nos submetem pelo teu nome! Mas ele lhes disse: Eu via Satanás caindo do céu como um relâmpago. Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano. Não obstante, alegrai-vos, não porque os espíritos se vos submetem, e sim porque o vosso nome está arrolado nos céus” (Lucas 10.17-20).

O mundo diz que você nunca esquece o primeiro beijo, mas eu lhe digo, você nunca esquece o primeiro demônio que você expulsa. É uma experiência marcante, ímpar. Eu e minha esposa tivemos essa oportunidade.

Tudo o que eu tinha de noção acerca de demônios era o que eu ouvia na internet ou via nos filmes. Tudo o que escutei foi que ele sai de uma pessoa e entra no mais fraco. Mesmo com esses pensamentos e com medo, ainda sem muito conhecimento da Palavra, na primeira vez em que expulsei um demônio, o nome de Jesus fez com que aquele demônio saísse. Glória a Deus!

Eu entendo a empolgação daqueles setenta que expulsaram demônios, pois naquela minha primeira experiência eu fiquei tão entusiasmado que nem consegui dormir à noite. Queria contar para todo mundo e queria ter mais oportunidades de expulsar… Virei um caça-demônios (risos).

Mas veja que na passagem acima, Jesus fala sobre com o que devemos nos alegrar: com a salvação. Sempre que exaltamos a obra do inimigo, diminuímos a obra da cruz. Nunca que um demônio expulso deve ser o seu motivo de alegria, pelo contrário, as vidas alcançadas sim!

Essa é uma identidade que muitos de nós perdemos. Precisamos nos despertar sobre quem somos, o que temos e podemos. O grande dia se aproxima e precisamos ter uma geração poderosa e ousada.

Precisamos deixar a Síndrome do crente Cinderela.

Aquela personagem coloca o sapatinho mágico e a vida dela se transforma. Parece que quando saímos da igreja, perdemos o sapatinho da fé, começamos a agir baseados nas nossas emoções, pelos momentos, pelas influências de fora…

Quando Cristo morreu, Ele não morreu para que tivéssemos apenas uma vida plena dentro de quatro paredes, mas lá fora também. Você pode mais do que você pensa que pode! Você precisa se ver como Deus o vê, porque os demônios sabem quem você é, mas você precisa saber também.

Não existem limites para aqueles que creem, nem para aqueles que confiam no Senhor. Fomos chamados para sermos suporte para a vida de muitos. Se Deus falou pra você ir, vá! Os dias são maus, mas é nas pressões que entendemos quem é e quem não é de Cristo.

Agora é a melhor hora para investirmos em vidas!

Onde quer que estejamos, precisamos resplandecer a glória de Deus. Nossa expectativa precisa estar n’Ele. Ei, a Bíblia afirma que você é embaixador de Cristo, sal da terra e luz do mundo, onde quer que você vá, a bênção do Senhor vai alcançá-lo.

É tempo de entender quem você é em Cristo e que com Ele não tem tempo ruim. Quando o negócio apertar, vai ter crescimento! Vamos mudar nossa concepção acerca do nosso estilo de vida em Deus. Somos responsáveis por nos enchermos e somos responsáveis em transbordarmos.

Quando houver o transbordar, vidas serão alcançadas. A nossa postura, em Cristo, deve também ser manifesta lá fora. Pare de se limitar! Você tem dentro de si alguém que é maior que tudo nesta vida.

Toda a ação da parte de Deus já foi concluída perfeitamente na cruz. Portanto, Ele não age, só reage. Ele se move pela fé! Você dá o primeiro passo e Ele lhe carrega nos braços.

Você vai ouvir palavras negativas sobre a visão que Deus lhe deu, mas se Deus o mandou fazer, faça, porque a provisão vem na obediência.

A sua prosperidade e o seu sucesso estão na obediência. Todo o sucesso fora do propósito, gera frustração.

É tempo de uma nova estação, é tempo de algo novo!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA