Discernindo a voz do Espírito

Postado em
1
por Camila Vasconcelos (Mossoró-RN)
*Aluna do Centro de Treinamento Bíblico Rhema
 

O ser humano possui a capacidade cognitiva de comunicar-se. Essa característica, presente em nós, veio de Deus. Afinal, o Senhor colocou, em nós, um potencial de racionalização que não foi dada a nenhuma outra espécie. Ele comunicava-se com Adão e Eva desde o princípio (Gênesis 3.8).

O nosso Pai jamais conteve a sua voz diante da humanidade. Contudo, o pecado proporcionou um ruído entre a comunicação de Deus para com o homem, mas isso foi apenas um problema temporário. Diante desse quadro de separação, por causa da morte espiritual, o nosso Deus resolveu essa problemática com a execução do plano redentor, protagonizado por Jesus.

“Pois todos pecaram e não alcançam o padrão da glória de Deus, mas ele, em sua graça, nos declara justos por meio de Cristo Jesus, que nos resgatou do castigo por nossos pecados. Deus apresentou Jesus como sacrifício pelo pecado, com o sangue que ele derramou, mostrando assim sua justiça em favor dos que creem.

No passado ele se conteve e não castigou os pecados antes cometidos. Pois planejava revelar sua justiça no tempo presente.

Com isso, Deus se mostrou justo, condenando o pecado, e justificador, declarando justo o pecador que crê em Jesus”
(Romanos 3.23-26 – NVT).

A redenção foi o instrumento usado por Deus para que voltássemos a ouvi-lo, como no princípio. Esse ato de amor, realizado por Jesus, tornou possível, novamente, a comunicação entre o homem e o Criador.

A partir dessa obra podemos ouvir a voz Deus como se o pecado nunca tivesse existido, porque o selo de filhos amados está em nós, por meio do Espírito Santo, o penhor da promessa (Efésios 1.14).

Agora, as vozes da culpa, da tristeza e da amargura não podem ter um volume maior do que a voz do Pai. No entanto, precisamos conhecer a voz de Deus, em nosso espírito, para que possamos aprender com Ele, desde o acordar até o dormir. Dessa forma, seremos capacitados, instruídos e guiados pelo nosso amigo, Espírito Santo.

Ademais, para que possamos discernir a voz do Espírito é preciso que conheçamos a Palavra de Deus, pois Ele e a sua Palavra são um. Além disso, eu gostaria de frisar a importância do conhecimento bíblico (João 8.32), pois as revelações do Senhor para nós, o seu povo, serão obtidas por meio da sua Palavra. Esses ensinamentos, precisam estar borbulhando em nosso coração, pois, não tem como falarmos a Palavra de Deus sem o nosso espírito estar cheio dela, por isso, a Bíblia nos ensina sobre a boca falar do que está cheio o coração (Mateus 12).

Logo, uma vez que aprendemos a Palavra de Deus e como discernir a voz do Espírito, seremos impulsionados a falar das boas novas e a cumprir o ide do Senhor, pois o amor de Deus manifesto nas Escrituras será como um trampolim que nos impulsiona ao evangelizar diário.

“O nosso trabalho é levar o evangelho aos ouvidos, e Deus levará dos ouvidos para os corações.”  (Martinho Lutero)

1 COMENTÁRIO

  1. […] Fonte:Verbo da Vida (function ($) { var bsaProContainer = $('.bsaProContainer-1'); var number_show_ads = "0"; var number_hide_ads = "0"; if ( number_show_ads > 0 ) { setTimeout(function () { bsaProContainer.fadeIn(); }, number_show_ads * 1000); } if ( number_hide_ads > 0 ) { setTimeout(function () { bsaProContainer.fadeOut(); }, number_hide_ads * 1000); } })(jQuery); […]

DEIXE UMA RESPOSTA