O velho e o novo homem

Postado em
0

Thiago Freitas

Professor do Rhema Brasil

O homem após a queda passou a estar cada vez mais mergulhado em um padrão de comportamento reprovável aos padrões de Deus. Entrou em um processo de decadência após a queda. De fato, foi da vida para a morte, provando o gosto amargo dela. Como um veneno, o pecado adentrou seu homem interior, comprometendo toda a sua existência. Separado da vida de Deus, seu interior ficou cheio da natureza de morte. Ele se tornou por natureza um filho da ira, dominado pelo deus deste século.

A consciência da natureza de Deus no espírito do homem foi se perdendo de forma gradativa. Cada vez mais o homem começou a ser governado por aquilo que ele havia sido criado para governar. A natureza de Deus no seu espírito lhe dava a habilidade de ser “senhor” sobre si mesmo, sobre suas vontades não harmonizadas com a vontade de Deus, e sobre tudo o que ELE havia criado. Após a queda, o homem passou a ser governando pelo o que estava no exterior. Pelos seus próprios pensamentos, pelas vontades incontroladas de sua carne. Passou a não viver mais inspirado pela Vida no seu espírito, porque morrera para Deus.

Mas, Deus, que é rico em misericórdia e por causa do seu grande amor com que nos amou, por meio de Cristo, nos deu novamente a Vida, fazendo com que ressuscitássemos para Ele e para os seus padrões originais (Ef 2:4-6): “Como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela gloria do Pai, assim também andássemos nós em novidade de vida” (Rm 6:4). 

“Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora, segundo o curso desse mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos nos nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, – pela graça sois salvos, e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus; para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie. Pois somos feitura Dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:1-10)

A inspiração de Deus voltaria a estar no coração do homem. O homem por meio de Cristo, voltaria ao seu status original, pois voltaria a viver pela influência do seu coração, habitado pela vida de Deus. As boas obras seriam conseqüência dessa nova Criação. No interior, o homem nascido de novo, não mais teria a natureza do pecado. Teria seu espírito recriado a Imagem de Deus, tendo em si a própria habilidade dEle (Ef4:24). O plano Original de Deus de ter filhos santos e irrepreensíveis estava sendo restaurado. Homens passariam pelo novo nascimento recebendo em seu coração o selo do Espírito.

O homem em Cristo, nascido de novo, tendo a natureza de Deus no seu espírito passa de novo a ser um representante de Deus, anunciando o caminho da reconciliação com o Pai (Ef5:20). “A nação santa, o povo de propriedade exclusiva Dele, anunciando essas virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (IPe 2:9-10)

Temos o homem em Cristo novamente na posição de domínio. Pelo poder do Espírito, temos o homem reinando sobre o pecado e sobre todas as suas consequências.O homem passa agora a exercer domínio sobre sua carne e pensamentos não alinhados as realidades de Deus em seu Homem interior. Um processo de renovação pela Palavra na forma de pensar se torna necessário, para que o homem interior, criado a imagem de Deus, tome o lugar de “senhor” na vida diária. As vontades da carne e os pensamentos não regenerados perderão a sua força, e você viverá cada vez mais de forma excelente.

O mundo precisa ver e conhecer a Deus. E é a Igreja, o corpo de Cristo sobre a terra, quem tem a “obrigação” de demonstrar, como embaixadora, a forma excelente de vida que o Pai disponibilizou a todos, através da obra redentora de seu filho. Em cada área da sociedade faz-se necessária a presença de homens e mulheres regenerados, que não se conformam com o sistema desse mundo, que estão transformado a si mesmos pela renovação da mente, demonstrando uma prática de vida contrária à que o sistema do mundo vive.

Decida, hoje mesmo, renovar sua mente, entender o que você é em seu coração. Revista-se desse novo homem. Torne-se imitador de Deus e O glorifique em tudo o que fizer na sua vida diária, demonstrando um estilo de vida excelente, assim como é o seu coração impregnado com a natureza de um Deus excelente.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA