Pureza de identidade

Postado em
0

por Daiene Bonetti
*Integrante da equipe ministerial

Nós vamos falar um pouco sobre viver uma vida santa, conscientes da nossa identidade em Cristo. Em nosso espírito, recebemos um novo coração, mudamos a nossa condição, obtivemos uma nova natureza.

Em João 10.10 está escrito: O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”.

Por meio do sacrifício de Jesus, passamos da morte para a vida. Nossa condição foi mudada, não seremos pecadores nunca mais. Fomos colocados como justiça de Deus, temos uma vida de retidão diante d’Ele. Fomos justificados, fomos chamados para viver uma vida santa, de integridade. Não vamos viver como vivíamos antes, fomos chamados todos os dias, para estarmos diante d’Ele.

O pecado não tem mais domínio em nós. 

Nós fomos habilitados para sermos ministros de uma Nova Aliança, fomos colocados como reis e sacerdotes. Fazemos parte de um novo reino. Estávamos em um lugar de trevas e Deus nos colocou em outro lugar, no Reino do Filho do Seu amor. Não fazemos mais parte de um reino onde éramos escravos do pecado, obscurecidos no nosso entendimento. Agora eu e você temos a luz da vida. Não andamos mais tropeçando porque Ele possibilitou andarmos por caminhos aplanados, para cumprirmos tudo aquilo que está proposto para nós através da salvação.

“Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (II Coríntios 5.14-17).

A prática da vida do pecado ficou para trás. Nós nascemos de novo e não é mais para viver a velha vida, mas para andarmos em novidade de vida. A Sua natureza foi compartilhada conosco. Fomos chamados para ser santos assim como Ele é, unidos ao Senhor em espírito. Somos um só com Ele!

Somos chamados a viver um estilo de vida diferente daquele no qual andávamos. O Espírito Santo passou a habitar dentro de nós, precisamos viver de acordo com a vida de Deus dentro de nós, com tudo aquilo que fazemos e nos movemos.

Estamos em uma nova vida, em uma nova condição. Nós somos o povo escolhido de Deus. Outrora estávamos em trevas, mas Ele nos chamou para si. Ele não nos chama mais de servos, mas nos chama de filhos. Você tem uma posição diferenciada e privilegiada. Você é filho do Pai.

Às vezes, eu vejo a igreja indo para um extremo. As pessoas confundem a liberdade e acham que podem viver de qualquer maneira. Não é assim que pensamos nesse lugar. Temos o santo temor pela Sua palavra. A Bíblia diz que precisamos desenvolver a nossa salvação com temor e tremor. Fomos chamados para viver na lei da liberdade, mas, nesse padrão, reverenciamos a Deus com temor.

Nós precisamos viver uma vida que agrada ao Senhor e precisamos zelar pelo santuário de Deus. Existe um comportamento com o qual nós precisamos nos amoldar, que é o padrão do céu. Precisamos ter um coração grato e celebrarmos o que Jesus fez por nós. Não podemos andar desleixados, zelando pelas mesmas coisas. O mesmo poder que ressuscitou Jesus dos mortos está em nós, para vivermos uma vida santa. Fomos chamados para uma santa vocação, que é viver para Deus e perseguirmos os Seus propósitos. 

Algumas pessoas usam a graça para pecar, mas o irmão Tony Cooke diz algo: “A graça nunca será uma permissão divina para fazer o que é errado, mas a graça é a capacitação divina para fazermos o que é certo”.

Graça é o poder de Deus para que digamos “não” ao pecado. Essa vida de pecado não valerá a pena, nunca mais!

Podemos levantar a nossa voz e dizer “não” ao pecado! Ainda que o diabo tente nos falar que erramos, temos um advogado, podemos nos purificar pela lavagem da Palavra. Devemos nos arrepender e decidirmos que não iremos falhar nas mesmas coisas novamente. O trono da graça está à distância  de uma oração. A parte de Deus, Ele já fez.

Precisamos apresentar a nossa alma e corpo irrepreensíveis, até a volta do Senhor. Deus espera que cooperemos com Ele, vivendo uma vida de santificação até o nosso corpo ser glorificado. O Senhor nos chama para vivermos o processo de santificação. Isso significa que devemos salvar a nossa alma todos os dias.

Fomos libertos das paixões deste mundo, de toda a miséria, de tudo aquilo que não pertence à nossa vida, por isso é que precisamos salvar a nossa mente… Nesse processo de santificação, através da renovação da mente e subjugando o nosso corpo (Tiago 1.21). A nossa mente precisa estar no padrão do céu, para experimentarmos da boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

A vontade de Deus está sempre relacionada ao Seu caráter. Fomos feitos à Sua imagem e semelhança para reproduzirmos quem Ele é aqui nessa terra. Somos o sal dessa terra, luz desse mundo e precisamos salgar. Estamos falando de santidade nesse tempo, porque precisamos colocar a visão que temos recebido para fora dessas quatro paredes do templo. O mundo clama pela nossa resposta e precisamos estar com uma vida que reflete o nosso Pai. Vocês precisam andar, falar, viver de uma forma que glorifique a Deus. 

Precisamos parar de falar que é difícil ser crente e firmar nossos pés sobre a rocha. Não somos mais escravos do medo. Precisamos parar de ver, ouvir e estar em lugares que não são boa influência para nós. Deus nos chamou para um lugar de santidade. 

Não negocie com o diabo, nem com as coisas deste mundo. Amamos e guardamos a Palavra. Seremos como Daniel… Deus está chamando “Daniéis”, nesse tempo, decidindo não nos contaminarmos com as finas iguarias do rei. Você não nasceu para viver na Babilônia.

Não existe felicidade completa sem Jesus. O diabo tenta trazer algo com uma aparência muito boa, mas é momentânea, passa, não é a alegria verdadeira. 

“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12.1).

A nossa vida diária precisa ser de santidade, entregue em adoração ao Senhor, não oferecendo o nosso corpo ao pecado, mas como instrumentos de justiça. Precisamos estar cheios, equipados do amor de Deus, para vivermos a vida que Ele nos chamou para viver. É tempo de consagração, Igreja! O desejo de Deus é o nosso crescimento. É tempo de um compromisso maior, deixando os pecados de estimação, entendendo a nossa identidade em Cristo. A santidade de Deus nos alcança!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA