Você tem uma identidade em Deus

Postado em
0

por Juliana Borba
*Coordenadora Nacional do Centro de Treinamento Bíblico Rhema

“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (I Timóteo 4.1).

Quero enfatizar algumas coisas sobre essa passagem. A primeira é a palavra “expressamente”. Essa palavra indica algo que não é sutil. O Espírito Santo está fazendo um alerta de forma intensa. E que alerta é esse? Nos últimos dias, existem pessoas que enfraquecerão na fé por dar ouvidos a doutrinas de demônios. Muitas vezes, essas doutrinas são ilusões plantadas em nossas cabeças. Você ouve que é curado e, de repente, vem uma voz e te diz “você continua doente!”. São coisas sutis, mas que, a longo prazo, nos abatem, nos impedem de vivermos as promessas divinas.

Falo sobre isso porque muitas dessas doutrinas e desses sussurros diabólicos estão sendo direcionados a vocês, jovens. Uma dessas mentiras é sobre a sua identidade. Sabe por que apraz ao diabo atacar justamente isso? Porque se ele roubar a noção de quem você é, não há como você avançar. Se você não tem certeza de quem é, como terá certeza de para onde deve ir? Antigamente, quando preenchíamos um formulário, estava escrito “sexo”. E você respondia “masculino” ou “feminino”. Hoje, ao pegar em um questionário, está escrito “gênero”. Aos poucos, ideias contrárias à Bíblia passaram a ser consideradas comuns. É preciso dizer algo aqui: Deus nunca erra. Ao criar macho e fêmea, Ele os contemplou e disse: “É MUITO BOM!”.

Outra doutrina de demônio que tem avançado é a do “pronome neutro”. A verdade é que a nossa língua tem pronomes masculinos e femininos, o vernáculo sempre foi dessa forma. Não é preciso “assassinar” a nossa norma culta para agradar ninguém. “E o respeito?”, me perguntam. Nós respeitamos a todos. Só não precisamos engolir doutrinas de demônios e agir como determinados grupos querem nos impor.

Jesus veio para o pecador e precisamos amá-los, acolhê-los. Mas o pecado continua sendo pecado. Desprezar o conhecimento de Deus continua sendo loucura. Se você abrir das suas convicções, está abrindo mão da sua identidade. Se você abrir mão da sua identidade, está abrindo mão do seu destino.

Certo dia, estava vendo um “story” na internet que perguntava “É bolacha ou biscoito?”. Nem tenho mais uma resposta para isso porque já me habituei com as duas palavras  descrevendo a mesma coisa. Essa estratégia de repetição é a mesma usada pelo diabo. Ele busca habituar os nossos ouvidos a todo tipo de loucura até que elas nos pareçam naturais.

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te” (II Timóteo 3.1-5).

Lendo essas coisas, vejo o espelho de nossos dias. Precisamos ter cuidado com o que fazemos, com o que consumimos, com os nossos relacionamentos. Nós podemos conviver e termos colegas de outra fé, mas amigo de verdade é aquele que crê com você. Talvez alguns pensem “mas eu não me deixo influenciar, eu que sou a influência”. Trata-se de um discurso que soa bonito, mas é soberbo. Se esse tipo de relacionamento não exercesse influência nenhuma sobre nós, a Bíblia não diria “afasta-te”.

Talvez você entre na internet e leia que Jesus não pensava assim, que Ele comia com os pecadores. É fato que Jesus comia com os pecadores, mas a intimidade d’Ele era reservada aos discípulos, aos que com Ele caminhavam e adoravam ao Pai.

A nossa intimidade, a nossa intensidade deve ser reservada para Deus e Seus princípios. Nós todos somos uma voz, somos luz. E nós podemos colocar muitas coisas nos eixos se nos mantivermos firmes em quem somos.

Você já tem o diabo e o mundo o resistindo. Não seja uma resistência para si mesmo. Seja feliz com quem você é. Valorize a sua identidade! “Os dois pães e os cinco peixinhos em sua vida”: sirva, procure oferecer cada dom e talento à obra de Deus. Agindo assim, o que flui de você alimentará multidões. 

“Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia” (Salmos 139.14-16).

Deus escreveu sobre mim, escreveu sobre você. Não existe bebê não planejado para o Pai. Você é resposta para o enfermo, para o mundo, para o cativo. Você é luz das nações. Mas é preciso perseguir o plano de Deus, buscando-O, lendo a Palavra, orando. A verdade é que quanto mais tempo oramos em línguas, menos tempo passamos resolvendo problemas. Faça esse compromisso não só com Deus, mas consigo mesmo. Ninguém começa do fim, ninguém nasce grande. Dê um passo de cada vez, mas não negligencie o dom. Não deixe  doutrinas erradas arranharem a sua identidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA