Verbo FM

Deixando a condição de vítimas

Marta Chrisóstomo
Professora do Centro de Treinamento Bíblico Rhema

Uma das coisas que, a partir do novo nascimento, é preciso viver é a transformação que livra da condição de vítima que o sistema incute tornando pessoas dependentes de si mesmas, de suas emoções, do próprio sistema e do outro. O que pode continuar acontecendo até mesmo para quem foi recriado em Cristo, mas não busca a renovação do entendimento que liberta da conformação com o ordinário.

A atualidade traz a divulgação efusiva a respeito de uma habilidade que pode ser aprendida, adquirida de não aceitar ser uma vítima, mas solução.

Uma das formas de aprendizado é o confronto direto com toda e qualquer situação contrária, criando assim resistência à pressão extrema por parte do indivíduo, essa capacidade não apenas o livra, como torna possível uma superação e traz outros a buscarem força no exemplo dado.

E não menosprezando dor ou sofrimento algum – essa não é a intenção do texto, pelo contrário – mas, sim, inspirar uma reflexão sincera de que – quem vive a nova natureza (a de Deus) e por conseguinte força além da sua própria (Ef 6.10) não pode mais viver como uma vítima da circunstância.  Pois, nessa força extraordinária é possível ainda que atribulados não desanimar, ainda que pegos de surpresa com más notícias não desesperar, ainda que em algum momento abatido, não se render a derrota.

“Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;” (II Coríntios 4.8-9)

Ou seja, a natureza recriada em Deus, leva a ultrapassar limitações.

Um exemplo a observar é da lagarta/borboleta que busca viver o que foi criada para ser, e não se vitimiza mesmo que haja sofrimento para a transformação acontecer (toda mudança traz desconforto).

Por que a lagarta não desiste simplesmente quando sua carne está sendo modificada, quando está se esforçando na transformação? Porque quem nasceu para voar não aceita rastejar de forma alguma.  A natureza da borboleta impede a vitimização e ela prossegue valente. Pois, na pressão da metamorfose (transformação) o que está dentro se torna visível. 

Assim deve ser com quem tem a natureza de Cristo, perseverança na transformação,  no desvestir do velho ( da natureza de vítimas, fracos, naturais, ordinários) para o  revestir do novo – vivendo pela fé sua real natureza extraordinária de ousadia, coragem, força, liberdade, provisão e de voos altos.

2 Comentários

  • É impossível não ser impactada/transformada por suas mensagens. Louvo a Deus porque um dia nossos caminhos foram cruzados. O carinho com que você trata as pessoas, as motivações a seguir adiante é, algo realmente dado por Deus, habilidade de poucos. Que a graça do nosso Pai superabunde sempre em sua vida.

    Resposta
  • Querida Marta, como eu te amo minha irmã, conselheira, amiga … Vc sempre me edificando com suas mensagens vinda da parte do Pai! Mto boooommm! Louvo a Deus pela sua vida e por vc ser uma pessoa tão íntegra e especial. Te amo. Palavra poderosa que quebra cadeias. \o/ <3

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!