Verbo FM

Deus do sobrenatural

giovanna lima
Giovanna Lima
Integrante dos Jovens Invictus na Igreja Verbo da Vida em Pedra de Guaratiba-RJ

“O meu povo vem a ti, como costuma fazer, e se assenta para ouvir a tua pregação meu povo vem a ti, como costuma fazer, e se assenta para ouvir a tua pregação, mas não coloca a Palavra em prática. Com a boca eles chegam a expressar louvor e devoção, mas o coração dessa gente dá mais importância ao lucro, estão ávidos por ganhos injustos. Para este povo o profeta se assemelha a um poeta ou cantor romântico que entoa cânticos de amor com bela voz e toca seu instrumento musical virtuosamente; porquanto eles ouvem as tuas palavras, mas, de fato, não as colocam em prática em suas próprias vidas. “ (Ezequiel 33: 31 e 32)

Até quando vamos considerar Jesus um cara show de bola que andou pela terra? Até quando a Bíblia vai ser só mais um livro de história para nós? Até quando vamos lidar com o sobrenatural como algo distante?

A verdade é que não tomamos postura porque não consideramos a palavra como deveríamos considerar. Porque se houvesse uma certeza de que a palavra é a verdade, viveríamos a altura desse conhecimento. Mas, pelo contrário, é possível observar uma geração negligente. Nós fomos libertos pela graça, mas liberdade não é libertinagem, graça não é bagunça. Até quando você vai se permitir pregar uma palavra que você não vive? Já está na hora de pararmos de considerar a Bíblia poesia e começar a considerá-la palavra de Deus.

Eu ouvi o um ministro jovem falar esses dias sobre o alto padrão que Jesus nos deixou, e Ele citou a passagem em que Jesus fala que se teu olho te faz pecar, você deve arranca-lo fora, e ele disse: Jesus nos deixou um padrão radical. E nos deixou mesmo.

Não é só porque não vivemos na religiosidade que não somos radicais. Nós devemos ser radicais naquilo que acreditamos. Se redes sociais te fazem pecar/trocar prioridade, porque você não arranca fora? Se música secular te faz pecar, pare de escutar, se certos assuntos e conversas te fazem pecar, se ausenta da roda quando a pauta surgir.

Eu acredito fielmente em uma igreja que deve se jogar no mundo, influenciar cada esfera da sociedade, entrar na política, na arte, em tudo que conhecemos e levar a verdade da palavra, não com palavras de sabedoria humana, mas com uma vida no Espírito. Mas, para alcançarmos aqueles que estão longe de casa, precisamos estar intensos no nosso relacionamento com Deus – sabe aquele relacionamento de você querer estar por Ele, só porque é Ele e não pelo que Ele tem pra oferecer? Então -, também precisamos estar com uma identidade muito bem firmada em Deus, e aumentando cada dia mais as renúncias para a nossa carne. Porque estamos no mundo, estamos suscetíveis a falhar, aquele que está em pé, vigie para que não caia, não somos “suprassumos” na fé, essa postura só nos faz cair mais rápido. Devemos identificar as nossas áreas de fraqueza, reconhecê-las, conhecer nossos limites, e crescer em Deus.

Não somos religiosos, mas sim, nós somos radicais. O evangelho não vai agradar a todos, porque não é apenas uma história bonita sobre um cara legal. O evangelho é um estilo de vida, é um plano que existe antes que nós mesmos existíssemos, o evangelho é sobre um cara que não abriu concessão. Um cara que mudou o mundo porque permaneceu se alimentando apenas da vontade do Pai, e não daquilo que o mundo tinha a oferecer. Hoje, se queremos parecer com Ele, precisamos entender que não vamos agradar a todos! Precisamos entender, que se for necessário abrir mão de coisas, nós vamos abrir sim. Preserve a santidade que foi conquistada por Jesus naquela cruz, nós já fomos feitos santos, não pela nossa capacidade, mas quando nascemos de novo nós temos uma graça para andar em santidade.

Se o evangelho fosse só palavras e não vida, não teria revolucionado o mundo e sistema que conhecemos hoje. Eu oro por uma geração intensa em relacionamento, sinceramente reverente, pronta para renunciar o que precisar, não tendo a própria vida como valiosa, mas sabendo que viver é só uma coisa: Cristo! Uma geração que vai fazer a diferença em todas as esferas da sociedade porque está com uma firmeza em Deus que as outras não tiveram. Nós não o buscamos por obrigação, mas nós temos obrigações como cristãos, e precisamos entender isso de uma vez por todas. Tua vida não é mais sua, você foi comprado. Sua vida não é “da sua conta”, e não tem essa de “da minha vida cuido eu”, ou você tá em Cristo, ou você não está, e se você está em Cristo, o apóstolo Paulo é bem claro em Galatas 2:20
“Fui crucificado juntamente com Cristo. E, desse modo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. E essa nova vida que agora vivo no corpo, vivo-a exclusivamente pela fé no Filho de Deus, que me amou e se sacrificou por mim.”

Que história é essa de não se submeter? Que história é essa de se achar dono do próprio nariz? Cristão nenhum vive para suas próprias vontades, como um soldado convocado a guerra não se envolve em negócios da vida civil, quanto mais nós, convocados para uma vida no Espírito, em Cristo Jesus, vamos nos deixar nos envolver novamente com a nossa velha natureza. Abra mão, viva a vida que Jesus conquistou para você em sua plenitude! Seja radical no que você acredita! Tenha as vontades Dele como regra pra sua vida, você não é dono do seu próprio nariz!

Vou finalizar esse texto com a frase que já repeti algumas vezes, para ficar ainda mais firmada em seu coração: Não somos religiosos, mas nós somos radicais SIM!

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!