Verbo FM

O governo espiritual do lar

Luciano Subirá
Pastor da Igreja Alcance Curitiba

por Luciano Subirá

E que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito” (I Tm. 3.4)

Homens… É nossa responsabilidade cuidar espiritualmente de nossa família. O plano de Deus para todos nós é que governemos bem a nossa casa, estejamos no ministério ou não.

O homem é o cabeça da mulher (I Co 11.3). Deus nos concedeu autoridade sobre a nossa esposa e filhos. Ser cabeça é ser governo. Existe uma autoridade que indiscutivelmente foi dada ao homem. Mas, autoridade é diferente de autoritarismo. Se alguém precisar gritar em casa para dizer quem manda, provavelmente ele já perdeu a autoridade. Jesus nos ensinou que o lugar de liderança é um lugar de serviço.

Governar o lar não é só uma privilégio, mas uma responsabilidade. O que nós temos feito espiritualmente pela nossa família? Não é só levar eles para a igreja, mas cuidar espiritualmente de todos. Isso inclui também a sua vida de oração. Como homens, devemos sempre cobrir nossa esposa e filhos com as nossas orações.

Devemos ensinar os nossos filhos para nunca se desviarem do caminho correto. Muitos pais estão mais preocupados em terem filhos bons profissionais, do que um homem e mulher de Deus. Do que adiantará se eles forem bons profissionais e irem para o inferno? Eduque-os no caminho do Senhor.

Não podemos perder oportunidades de ensinar os princípios bíblicos aos nossos filhos. Para isso, vamos precisar corrigi-los em amor. Se nós como pais não entendermos a função de uma correção aos nossos filhos, possivelmente eles também não entenderão.

RELACIONAMENTO CONJUGAL

Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo” (Pv 27.17)

Esse texto não limita em um só relacionamento de amizade, mas em todos. Deus quer nos enviar em um ambiente de relacionamentos onde nós sejamos só agradáveis, mas tratados.

Não é o casamento que é difícil, mas o ser humano. Se o casamento fosse difícil, não existiria briga entre irmãos, amigos, colegas de trabalho, etc…  

Nosso cônjuge deve ser nosso melhor amigo. O casamento é uma união de comportamentos diferentes. A pergunta é: as diferenças são ruins? Não. Tudo o que o Senhor faz é perfeito, então a nossa diversidade o é, assim como o casamento é algo bom.

Afiar o ferro é para fazê-lo ficar melhor. As diferenças têm o poder de nos aperfeiçoar. No casamento, existem atritos, não me refiro a brigas, mas opiniões contrárias, costumes diferentes, etc.

Deus usa as diferenças para nos aperfeiçoar. As diferenças podem contribuir para o casamento. Elas nos aperfeiçoam.

O casamento é um conjunto de direitos e deveres. Nós temos obrigações e prerrogativas. Ter amor não significa ter um ambiente que não tem conflito, mas onde eles são bem resolvidos. Neste ambiente nós podemos ser aperfeiçoados.

Algumas diferenças precisam ser resolvidas, mas outras só adaptadas. Às vezes, a única forma de todos da mesma família pensarem a mesma coisa é através do líder. Que façamos a nossa parte para que o nosso relacionamento conjugal seja de amor, de paz e que, por meio dele, aperfeiçoemos nossas falhas.

*Transcrição de trechos da mensagem do pastor Luciano Subirá no Encerramento da Conferência Nacional de Homens Verbo da Vida, em Outubro de 2018

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!