Verbo FM

O que você está fazendo em um momento como este?

12687917_1105002906198928_6989226020909196694_n
Gabriella Kashiwakura
Graduada do Rhema

Em primeiro lugar, consideremos os seguintes versículos:

“Amarás, pois, ao Senhor, teu Deus, de todo o coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes.” (Marcos 12:30-31)

“Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para amor fraternal, não fingido, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro.” (1 Pedro 1:22)

“Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobrirá a multidão de pecados, sendo hospitaleiros uns para os outros sem murmurações. Cada um administre aos outros o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.” (1 Pedro 4:8)

O que esses versículos possuem em comum? Todos falam sobre o amor ao próximo! Em adição a esses versículos, temos que, em Mateus 5:13-16, está escrito que somos o sal da Terra e a luz do mundo, feitos para resplandecer a natureza do Pai diante dos homens, para que eles O vejam e O glorifiquem. Dessa forma, se fomos comissionados a amar o próximo e sermos luz para este mundo, o que estamos fazendo enquanto o caos acontece aqui? Onde estamos enquanto toda a calamidade se manifesta no mundo?

Gênesis 2:15 diz que Deus pôs o homem no Jardim do Éden, para o lavrar e o guardar; Salmos 115:16 nos traz que os céus são do Senhor, mas a Terra foi dada aos filhos dos homens. Diante disso, fica a pergunta: como você está cuidando do jardim? Será que estamos verdadeiramente participando da preparação do terreno para a vinda de Cristo?

Todos os dias, quando ligamos a televisão, abrimos o jornal, checamos nossas redes sociais e andamos na rua, ouvimos e vemos um mundo sucumbindo, clamando por ajuda. Vemos notícias sobre países em guerra, pessoas forçadas para fora de seus lares, crianças abandonadas, mulheres traficadas sexualmente, cristãos sendo perseguidos em diferentes partes do mundo e um número crescente de desespero e dor tomando conta de cada esquina. Fala-se que estamos vivendo em meio à maior crise humanitária que o mundo já viu; porém, se somos a Igreja, o que estamos fazendo diante de tais circunstâncias?

Se somos a Igreja de Cristo, se somos salvos e livres do pecado, se somos filhos de Deus, por que ainda estamos AQUI? Por que ainda não fomos arrebatados? Por que fomos comissionados a ir e pregar o evangelho? Simplesmente porque Deus ainda quer fazer grandes e maravilhosas obras na Terra. Deus amou o mundo, amou o homem, de tal maneira que deu o Seu único filho, para que todo aquele que nEle cresse tivesse a vida eterna. Deus continua amando o homem! Ele ainda quer mostrar a Sua glória a toda criatura. Ele ainda quer revelar o Seu caráter! Todo homem tem o direito de conhecer a Deus e, como Sua Igreja, temos a missão de levar o Evangelho. Por isso, ainda temos a responsabilidade de gerarmos frutos, ainda temos muito a fazer aqui.

No entanto, corremos o risco de estarmos vivendo em uma Igreja que só se preocupa consigo mesma. Fechados em nosso próprio mundo, entoamos que Deus nos ama e que Ele nos abençoa, mas corremos o risco de nos esquecermos daqueles que clamam por ajuda. Somos aqueles do “eu sou”, “eu posso”, “eu quero”, mas desconsideramos aquele que nada tem. Temos todo o aparato necessário para fazermos a diferença, mas estamos nos deixando levar pela indiferença, pela apatia e pela letargia.

Não podemos nos centrar em nós mesmos; nossas vidas devem ir além das paredes da igreja! Devemos almejar atingir o mundo! Uma luz, quando brilha no claro, não faz muita diferença, mas, quando ela brilha no escuro, mostra o seu potencial. Não podemos ser uma Igreja dividida em discussões tolas entre denominações; não podemos fingir integridade somente para conquistar cargos e púlpito na igreja. Se o verdadeiro amor nos constrange, deixemos que ele nos constranja, a ponto de nos fazer almejar muito mais. Devemos, principalmente e verdadeiramente, brilhar para aqueles que não possuem luz, para aqueles que vivem na escuridão; devemos entender, de uma vez por todas, que nossas vidas não são mais para nós mesmos, mas para gerarmos vidas para o Reino.

Não há nenhuma causa no mundo que seja distante o suficiente para se tornar insignificante para você! Seu próximo pode ser qualquer um, incluindo aquele que está do outro lado do mundo e que precisa da sua oração. Tenha em mente que você está rodeado de uma humanidade que implora por ajuda! São pessoas que podem se tornar filhos de Deus se tiverem a chance de ouvir sobre Cristo; são outras pessoas, iguais a mim e a você, que querem ver Jesus, que querem conhecer o caráter de Deus, que clamam por um Pai eternamente bom! E Deus tem uma chance para todas elas!

Nossas orações devem ir muito além de nós mesmos! Você pode gerar frutos e ser luz por meio da oração! Ore por seu próximo; ore pelo governo do seu país; ore pelos necessitados ao redor do mundo; ore pela igreja perseguida nos outros continentes; ore por qualquer outra coisa além de você mesmo! Ore com todo o seu coração, com o seu espírito; ore com fervor. Crie e cultive um amor por outras vidas. Não podemos ser a Igreja e viver num mundo tão contaminado por calamidades. Não podemos ser uma Igreja negligente. Não deixe o seu próprio ego tomar conta, fazendo-o se esquecer da calamidade que cresce em seu jardim. Não seja santo somente na igreja; revele o Amor para além!

Muitas vezes, somos aqueles que temos excelentes ministrações, mas deixamos que nossos corações se esfriem na primeira pessoa necessitada que vemos na rua! Muitas vezes, deixamos os ensinamentos de Jesus de lado na primeira esquina, no primeiro sinal vermelho, na primeira marquise, na primeira pessoa que bate no vidro de nossos carros. Para que serve tanta prosperidade, se não for para contribuir para o suprimento das necessidades do próximo? Para que serve crermos no sacrifício de Cristo, se não for para revelar o caráter do Pai em nossas ações? Para que serve ainda estarmos aqui, se não for para gerarmos frutos?

Em 1 João 3:17-18, está escrito: Quem, pois, tiver bens do mundo e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar o seu coração, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade. Portanto, para que serve todo esse potencial, se não for para fazermos boas obras? Que a natureza do Pai seja revelada em nós, dentro e fora da igreja, por meio de uma carona, de um abraço, de um pão, de uma moeda, de uma oração, de uma mão amiga, de uma ajuda.

Em um mundo repleto de caos, o que você fará em um momento como este? Se você quer ser luz, que seja uma luz de longe alcance.

1 Comentário

  • amém,gloria á Deus,pai eterno que eu possa ser luz por onde passar,o que tú queres que eu faça,me capacita para faze-lo,que possa ser instrumento nas tuas mãos e levar á tua palavra aqueles que necessitam,amém!

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!