Verbo FM

Quando as escolhas voltam e batem à porta

felipe
Felipe Aguiar
Graduado da escola de Ministros Rhema e musico na Igreja em Pedra de Guaratiba-RJ

As escolhas que fazemos se refletem em nossa vida de diversas maneiras. Esses dias me peguei pensando sobre as escolhas que fiz durante a minha vida: Será que elas deram resultado? Como seria se eu tivesse feito diferente?

Preciso confessar que saber de uma realização pessoal de um colega de profissão me deixou reflexivo quanto a esse assunto. Um turbilhão de coisas veio à minha mente: “se você não tivesse feito isso, aquilo e aquilo, hoje seria você alcançando a mesma coisa. Olha, está vendo como você não sabe escolher bem? Está aí inerte enquanto todo mundo está andando”.

As escolhas que fazemos, mais cedo ou mais tarde, voltam a bater na nossa porta. Elas tentam nos dizer: “sua escolha foi errada, você devia ter feito como fulano”. Em situações como essas, nas quais nossas decisões são questionadas até o mais profundo nível, muitas vezes tendemos a cair no engano da condenação e da comparação.

Fomos chamados para uma carreira onde o nosso alvo está à nossa frente. Um corredor bem-sucedido não pode se distrair olhando para os lados. O prêmio está à frente, na linha de chegada. Confrontar o nosso caminho com o caminho de outra pessoa é fazer uma comparação desleal, porque cada um tem as suas fraquezas e as suas habilidades.

É claro que escolher um caminho significa, necessariamente, deixar de escolher outro. E juntamente com esse “deixar de escolher”, está o deixar de viver as coisas que o outro caminho poderia oferecer. Se eu tivesse feito as mesmas escolhas que o meu colega fez, talvez hoje eu estivesse conquistando as mesmas coisas que ele está.

Por outro lado, a voz das escolhas passadas tenta abafar o sentimento de gratidão por tudo o que alcancei. A Bíblia nos ensina a contar as nossas bênçãos, e se eu me deixo levar pela voz do “poderia ter sido”, eu posso me esquecer de todo o bem que colhi justamente pelas escolhas que fiz. Como me esquecer de tudo o que vivi em Deus até aqui, de todas as direções que dEle recebi e dos frutos que colhi por causa dessas escolhas? Quão terrível é cair na armadilha da comparação!

Cada escolha correta que fazemos nos leva a alcançar patamares novos de opções, e a cada etapa da vida nos é apresentado um leque novo e maior de possibilidades. Isso significa que, se você continuar fazendo escolhas certas mesmo tendo poucas opções hoje, no futuro um horizonte novo de escolhas pode se apresentar para você, e assim vamos alcançando lugares maiores e melhores em Deus.

Cada vez que escolhemos o caminho da obediência, da renúncia, da atenção ao Espírito, estamos nos assegurando de fazer a melhor escolha, a escolha de nos rendermos àquele que tem pensamentos mais altos que os nossos. E quando essas escolhas voltarem a bater à nossa porta, tentando nos dizer o quanto “perdemos” por escolher a obediência, que possamos lembrar de quantas bênçãos colhemos com essas decisões e ter forças para seguir em frente.

2 Comentários

  • Muito bom mesmo! Acho que todos já passamos por isso em alguma área, a minha foi na área profissional. Por obediência ao Espírito parei por um tempo para ajustar algumas coisas na minha vida e vi amigos avançando velozmente e sabia que eu tinha “competência” para está no mesmo patamar. Mas, quando esse sentimento de parecer que tinha ficado para trás bateu, o Espírito Santo me fez ver tudo o que ele me deu, principalmente a família linda! E percebi que muitos dos quais parecia estar avançando profissionalmente abriram mão de se dedicar e de construir uma família e definitivamente não era isso que eu queria para mim e Deus sempre soube disso, foi ele quem me criou e ele sabe o que é melhor, sempre.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!