Verbo FM

Sexualidade, raposas e colinas escarpadas

leniseLenise Freitas

Graduada da Escola de Ministros Rhema

Não, este não é um texto para Animal Planet, nem para  National Geografic. Você não está no site errado. Este é um texto para você se entender melhor e entender um novo significado para sexualidade em sua vida.

 Temos falado muito sobre  questões de sexualidade nesse tempo: orientação sexual, ideologia de gênero, sexualidade no casamento. Todos nós temos uma idéia do que seja sexualidade. Mas até mesmo para entendermos essas questões é importante termos uma definição clara do que realmente é a sexualidade. Refletindo e pesquisando encontrei vários conceitos semelhantes de alguma forma, mas particularmente me chamou atenção, o conceito definido pela Organização Mundial de Saúde:

“A sexualidade é uma energia que nos motiva para encontrar amor, contato, ternura e intimidade; ela integra-se no modo como sentimos, movemos, tocamos e somos tocados, é ser-se sensual e ao mesmo tempo ser-se sexual. A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental”.

Gostei muito desse conceito principalmente quando define a sexualidade como uma energia. Não sou especialista em física, mas sei que energia é algo que podemos dosar e conduzir.

Para diferentes situações, para ligar diferentes aparelhos, precisamos  de diferentes tensões. Não podemos usar a mesma tensão de energia que eu usaríamos  para ligar uma caldeira numa fábrica, por exemplo, no meu radinho de pilha. Se a dosagem for errada, o meu aparelho não funciona ou pode queimar e também  perde a funcionalidade.

A energia é também algo que precisa ser conduzido. Se eu não tiver o condutor apropriado e se ele não estiver bem direcionado, a energia ao invés de ser útil pode causar um acidente e até mesmo matar uma pessoa.

Assim também é com a sexualidade. Precisamos controlar dosar e direcionar em cada estação  e momento de nossa vida.

Também concordo que a sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e interações e, por isso, influencia também a nossa saúde física e mental. Não tenho dúvidas que podemos acrescentar que a influencia também nossa saúde espiritual.
Temos uma questão que nos afeta nas três dimensões: corpo, alma e espírito.

A sexualidade em sua natureza original é algo muito bom, foi criada por Deus como um presente ao homem. Tanto para garantir a reprodução e perpetuação da espécie como para seu prazer, sua satisfação pessoal.

Quando entendemos que a sexualidade é essa energia que nos  impulsiona, nos motiva a encontrar amor, contato, ternura, intimidade, entendemos  porque Deus compara a Aliança entre Cristo e a  Igreja, com o casamento e tudo que está envolvido nele. Entendemos o significado do livro de Cânticos na Bíblia.

Na aliança que é um casamento, devemos encontrar  amor, contato, ternura e  o mais alto nível de intimidade que pode existir entre dois seres humanos: a relação sexual, o ato conjugal. No casamento, marido e mulher tornam-se um só.  Como estamos na dimensão física, tornam-se uma só carne. Este também não  é o objetivo de Deus tornar-se um só  conosco?

Este é o motivo porque justamente a sexualidade é uma área tão atacada e porque isso tem se avultado nesses últimos dias que estamos vivendo na terra. Grande é esse mistério, mas eu me refiro a Cristo e a Igreja.

Satanás deseja bagunçar, distorcer, anular toda beleza e santidade da sexualidade para que o homem não possa entender a profundidade e o valor de sua Aliança com Deus. Para que não entenda seu papel nessa Aliança e deixe de experimentar o amor, o contato, a ternura e a intimidade com Deus em sua plenitude.

Para que as Bodas do Cordeiro, o mais esperado de todos os eventos aconteça, precisamos de Cristo e a Igreja. O noivo e a noiva. Dois seres diferentes, simbolicamente, homem e mulher! Então a estratégia do inferno é destruir essas identidades, acabar com essas diferenças. Quer que nos sintamos ” todos iguais” ,  “neutros” e “livres” para nos relacionarmos como quisermos, quando quisermos, com quem quisermos.

Se somos todos neutros, não existe homem, não existe mulher. Não existe Cristo, não existe igreja, somos todos iguais e cada um escolhe o que quer ser e como se relacionar. Exatamente o que Lúcifer fez quando rejeitou sua natureza de anjo, um ser ministrador criado para o louvor e quis ser louvado, tomando o lugar de Deus, querendo ser igual a Ele.

“Mas Cristo é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; nEle foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, da igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as coisas ter a primazia.E a  intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança.

Apanhai-me as raposas, as raposinhas, que devastam os vinhedos, porque as nossas vinhas estão em flor.O meu amado é meu, e eu sou dele; ele apascenta o seu rebanho entre os lírios. Antes que refresque o dia e fujam as sombras, volta, amado meu; faze-te semelhante ao gamo ou ao filho das gazelas sobre as colinas escarpadas.”

Colossenses1:16-18, Salmos 25:14, Cânticos 2:15-17

 

4 Comentários

  • Lenise, tenho lidos os seus textos pois trabalho secularmente com adolescentes e nada melhor do que para entender mais sobre sexualidade, ideologia de gêneros a luz da Palavra.

    Resposta
  • Muito bom! Estou cursando psicologia e estou tendo seminários sobre esse assunto. Obrigada, foi edificante! Mulher sábia!!

    Resposta
  • Excelente texto, explicativo e edificador, porém mais que tudo isso inspirador. Parabéns.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!