Verbo FM

Suicidas de influência

Lenise Freitas
Líder do Ministério Graça e Verdade e Graduada da Escola de Ministros Rhema Itinerante no Rio de Janeiro-RJ

Muito tem se falado sobre assassinos de influências. Alguns que por vários motivos impedem que outros recebam da vida de outras pessoas.

Mas, tenho meditado a cerca de uma outra categoria: suicidas de influência! Pessoas que por vários motivos anulam sua própria influência na vida de outros.

Vivemos uma fase difícil. Como se diz, se alguém posta nas redes sociais que não gosta de coentro imediatamente aparecem militantes pra combater a “coentrofobia”!

Mas, é preciso que estejamos atentos. O radicalismo banal, muitas vezes, desqualifica lutas legítimas. Precisamos aprender a discernir o precioso do vil. Não conhecemos a história de todos, seus traumas, o quanto o mundo os machucou. Que dores as pessoas carregam, em que ponto está seu processo de restauração.

Esse é o nosso tempo. A Palavra nos diz que devemos aprender a contar os nossos dias, entender o tempo que vivemos, para alcançarmos corações sábios!

Ah, a sabedoria! Se alguém tem falta dela que peça ao Senhor que a dá liberalmente!

O princípio da sabedoria é o temor do Senhor. Mas, creio que faz parte da sabedoria entender nosso propósito na terra. Como cristãos, nossa vida não nos pertence mais. A vida que agora vivemos, vivemos para refletir a Cristo. Todos recebemos  o ministério da reconciliação.

E o que mais é sua missão na terra?
O que Deus lhe chamou para fazer? Sua missão deve ser um marco na sua vida e tudo que você fizer deve levar essa missão em conta. 

Precisamos mostrar aos outros que vale a pena seguir a Cristo. Que vale a pena estar na nossa igreja! Que ela pode entrar sem medo porque sua história  será respeitada e ela sairá de lá alimentada, melhor do que entrou.  Que vivemos em justiça paz e alegria no Espírito Santo. 

Nossas palavras e atitudes nos aproximam ou nos afastam do objetivo da nossa missão?
Tenho aproximado pessoas do Evangelho ou fechado portas? 
Às vezes, uma piada infeliz, uma frase mal dita, se torna maldição quando de nossas bocas só deveriam sair bênçãos.

Algumas vezes, entraremos em choque com o outro justamente por causa do nosso chamado. Quando isso acontece, eu, particularmente, tenho procurado medir as palavras com muito cuidado. Está ali uma pessoa por quem Cristo deu a sua vida! 
E a forma como falamos é também tão importante  quanto aquilo que estamos falando.

Mas, se não é necessária a colisão, evitemos!
Se for possível enquanto estiverdes em nós  tenhamos  paz com todos. 

Não podemos nos distrair com armadilhas que estão aí para nos tirar do foco e da posição. Armadilhas que roubam nosso tempo e sem percebermos até expõe nossas fragilidades. Aquilo que Deus ainda está trabalhando em nossas vidas. 

Até o tolo se faz passar por sábio quando está em silêncio.
O bom pescador sabe fazer o silêncio e o movimento certo para alcançar o peixe. Somos pescadores de homens!

Ninguém que milita se distrai com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra. E nossa guerra não é contra carne e sangue. Não é contra pessoas, mas justamente contra influências! Espíritos enganadores!

Se somos líderes, sabemos que nossa responsabilidade é maior. Um dia seremos cobrados com rigor! Precisamos conhecer o coração das nossas ovelhas!
Será que estamos fazendo algo que está fechando o coração do outro para receber das nossas vidas? 

Se algo não edifica, não glorifica ao Senhor, não opera para a paz, não façamos! Se nossas palavras não forem doces, não forem remédio, não deixemos que elas saiam da nossa boca! Se estamos simplesmente replicando algo de outra pessoa, também somos responsáveis por isso. Estamos checando a fonte? A inspiração? 

Se algo pode escandalizar nosso irmão, precisamos com urgência abrir mão disso. Demonstramos maturidade dessa forma. 

É impossível que não venham escândalos, mas ai daqueles por quem vierem! Melhor lhes fora que lhes pusessem ao pescoço uma pedra de moinho, e fossem lançados ao mar, do que fazerem tropeçar um destes pequenos. (Lucas 17.1-2)

Ei, onde está o nosso irmão? Onde estamos nós? O que temos feito com o chamado, com os dons e talentos, com as portas que o Senhor tem aberto pra nós?

Queridos, não matem, não anulem a sua própria influência! Cada um de nós é muito importante. Deus nos chamou para algo poderoso. Ele conta com a gente! Se não fizermos outros farão. Mas, nós teremos perdido o melhor de Deus para nossas vidas. Nossas vidas terão perdido o sentido.

Não sejamos  suicidas de  influência! 

9 Comentários

  • Tanta gente precisa ler e entender isso. Tanta gente perdeu a influência sobre mim (e sobre muitos) por causa da eleição passada. Gente que eu considerava a opinião, e hoje caíram vertiginosamente no meu conceito. Gente que eu julgava ser inteligente e se mostrou inocente. Gente que eu julgava ser alguém melhor, mas entrou em discussões fúteis e demonstrou a realidade de quem é por dentro.

    Se nos limitássemos a pregar Cristo – vida e obra – ao invés de temer o mundo de maneira legalista e desprovida de graça, alcançaríamos melhor os nossos objetivos de expansão do Evangelho. Mas muitos escolheram se amoldar ao padrão desse século, e caíram em – mais uma! – armadilha de Satanás.

    Resposta
    • Vamos em frente olhando sempre para o Senhor! Que sejamos sempre guiados por seu Espirito, seu amor!

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NewsLetter

Cadastre-se em nossa lista para receber atualizações de nosso portal. 

Destaques da semana​

Estude no Maior Centro de Treinamento Bíblico do Mundo!